13 de abril de 2024 20:26

Até 7,8 mil vagas e prova única: como será o Concurso Nacional Unificado

O governo prepara uma prova única para o preenchimento de quase 8.000 vagas abertas no serviço público federal. Os candidatos poderão se inscrever para vários cargos, dentro da área de atuação escolhida, mas com pagamento de uma única taxa de inscrição. Veja o que já se sabe sobre o Concurso Nacional Unificado e o cronograma.

O que já se sabe sobre o concurso

A meta é o preenchimento de 7.826 vagas abertas na administração pública federal. Entre os órgãos com o maior número de vagas autorizadas estão Incra, IBGE, Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação e Ministério do Trabalho e Emprego. Veja aqui a lista vagas abertas por órgãos.

A adesão dos ministérios ao Concurso Nacional Unificado é voluntária. Os órgãos do governo federal têm até o dia 29 de setembro para aderir à prova única

Edital deve ser publicado até dezembro. A realização da prova está prevista para fevereiro de 2024, segundo o Ministério da Gestão e da Inovação em Serviços Públicos (MGI).

Ideia é realizar a prova em cerca de 180 cidades, simultaneamente, em todo o país. Segundo o governo, a iniciativa visa agilizar a contratação de funcionários públicos, racionalizar custos e democratizar o acesso da população às vagas. A inspiração para o modelo é o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), cuja nota é usada por centenas de faculdades e universidades de todo o país.

O candidato fará a inscrição escolhendo um dos blocos temáticos e, dentro dele, poderá se candidatar a todas as vagas disponíveis. Ou seja, ela vai poder ordenar as suas preferências por órgão e carreira. Isso alarga a chance de o candidato ser aprovado em uma das vagas.

José Celso Cardoso, secretário de gestão de pessoas do MGI

Distribuição de vagas por áreas de atuação

A proposta do governo agrupa as quase 8 mil vagas em oito blocos, de acordo com as áreas de atuação governamental. São eles:

  • Administração e Finanças Públicas: 580
  • Setores Economia, Infraestrutura e Regulação: 1.015
  • Agricultura, Meio Ambiente e Desenvolvimento Agrário: 1.040
  • Educação, Ciência, Tecnologia e Inovação: 1.194
  • Políticas Sociais, Justiça e Saúde: 1.470
  • Trabalho e Previdência: 940
  • Dados, Tecnologia e Informação Pública: 895
  • Nível Intermediário: 692
  • Total: 7.826 vagas autorizadas

A distribuição das vagas por cidades ainda será definida após a adesão dos órgãos. Mas a grande maioria das ofertas será em Brasília. O concurso vem sendo construído em parceria com vários órgãos, como Inep (que organiza o Enem), Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada), Enap (Escola Nacional de Administração Pública) e AGU (Advocacia Geral da União).

Inscrição e provas

O candidato vai pagar uma única taxa de inscrição e concorrer a várias vagas ao mesmo tempo, dentro do bloco temático escolhido. As isenções previstas em lei vão continuar existindo.

A prova está prevista para ser realizada no dia 25 de fevereiro de 2024. Uma parte da prova será comum a todos, com questões objetivas. No mesmo dia também serão realizadas provas específicas e dissertativas por área de atuação governamental.

Os resultados gerais da primeira fase devem ser divulgados até o final de abril de 2024. Poderão ser agregadas pontuações relativas à titulação acadêmica, experiência profissional, apresentação de memoriais, provas práticas, etc., a critério dos órgãos ou por determinação legal de carreiras específicas.

A realização de entrevistas e cursos de formação dependerá da previsão legal específica. “Nesses casos em que as leis existentes hoje exigem etapas adicionais, como provas práticas, cabe ao órgão realizar essa etapa a partir dessa primeira seleção que será feita pelo Concurso Nacional Unificado. Se a carreira exigir curso de formação, é a mesma coisa. O órgão vai ter de realizar, em parceria com a Enap ou de outra forma, o seu curso de formação nessa fase adicional e eliminatória”, disse o secretário José Celso Cardoso.

O governo disponibilizou um email para envio de dúvidasconcursonacional@gestao.gov.br

Veja o cronograma

  • Até 20 de setembro: ato normativo do Ministério da Gestão criando comitê organizador
  • Até 29 de setembro: adesão dos órgãos ao Concurso Nacional Unificado
  • Até 20 de dezembro: publicação do edital do Concurso Nacional Unificado
  • 25 de fevereiro: data provável da realização da prova em dia único
  • Até o final de abril: divulgação dos resultados da primeira fase

FONTE UOL

Mais Notícias

Receba notícias em seu celular

Publicidade