Alteração em barragem de rejeitos leva comissão a Congonhas

8
Ministério Público cobra avaliação de alteamento de mais de 10 metros da barragem Casa de Pedra/Sandoval de Souza Pinto Filho

Moradores temem que a estrutura da CSN, que fica próxima da área urbana do município, se rompa e cause uma tragédia.

Moradores de Congonhas (Região Central) estão assustados com recentes intervenções na barragem de Casa de Pedra, da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN). Há rumores de que a empresa esteja fazendo o alteamento da estrutura para ampliar sua capacidade de armazenamento, embora a CSN alegue que está apenas realizando manutenção de segurança.

Para debater a situação e buscar informações corretas que possam tranquilizar a população, a Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) realiza audiência pública no município. A reunião será nesta terça-feira (3/10/17), às 19 horas, no Cine Teatro Leon (Rua Padre Antônio Correa, 212, Centro).

O requerimento é do deputado Cristiano Silveira (PT), presidente da comissão. Em sua página na internet, o parlamentar argumenta que os moradores de Congonhas temem um acidente grave, como o ocorrido em Mariana (Região Central), no fim de 2015. “Muitos relatam que nem estão dormindo, de medo. O que queremos é que sejam adotadas as medidas necessárias para garantir a segurança da população”, explica o deputado.

Para o parlamentar, os moradores precisam ser devidamente informados sobre os trabalhos que estão sendo feitos na barragem, para se evitarem os boatos. “As autoridades responsáveis pela fiscalização também precisam informar se as normas de segurança estão sendo seguidas. Queremos que isso seja apresentado na audiência”.

Cristiano Silveira cita ainda manutenção realizada pela CSN em um ponto de umidade detectado na barragem, no final de agosto. A Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável da ALMG visitou o local em setembro e recebeu dos órgãos públicos de fiscalização a garantia de que a barragem está segura.

Para a audiência desta semana, autoridades da área de meio ambiente, de produção mineral e de defesa dos cidadãos foram convidadas, além de representantes do município e da empresa.