Anadrilhos Queluzianos descobrem as belezas naturais do Vale do Paraopeba

16

Terceira caminhada do ano, março de 2018, princípio de outono. Mudança de estação. E, para os Andarilhos Queluzianos, mudança de região visitada. Desta vez, programamos visitar a belíssima região de Brumadinho, mais precisamente, os distritos de Piedade do Paraopeba e Aranha, situados a 80 quilômetros de Conselheiro Lafaeite, no pé da Serra da Moeda e pertencente ao vale do Paraopeba.

A programação da caminhada, em função da grande distância de nossa cidade, previa saída do grupo às 05h40. Poderia ser este um fator de contribuição para a não adesão de muitos participantes ao evento. Mas, por incrível que pareça, em muito pouco tempo após a divulgação da programação, vimos a lista de confirmações de participantes crescer rapidamente a ponto de termos que contratar uma van de 18 lugares além do ônibus de 50 lugares e mais um carro de apoio. Com certeza, foi um recorde de participações. Então, no dia 24, sábado, 73 Andarilhos Queluzianos partiam para a tão aguardada caminhada.

Esta caminhada foi programada para um trajeto com início em uma localidade logo após o distrito de Piedade do Paraopeba até o distrito de Aranha totalizando 16 quilômetros. No entanto, foi prevista uma alternativa com 4 quilômetros a menos no mesmo percurso. Desta forma, o encontro de todos ocorreu 2 horas e meia na praça principal do distrito de Aranha onde os veículos de transporte recolheram os Andarilhos Queluzianos e, dali, retornando ao distrito de Piedade do Paraopeba, mais precisamente no Restaurante Campestre.

Região é cercada pelas belezas das cachoeiras

O Vale do Paraopeba é uma região cujo ponto turístico mais famoso é o Instituto Inhotin, pertencente ao município de Brumadinho. Nesta região, existem muitos outros pontos e atrações turísticas que ainda são pouco conhecidas pelos turistas além de possuir um cenário bem diversificado para atrair o desejo de qualquer turista exigente. Na região, encontram-se muitos mirantes, fazendas, locais históricos, restaurantes e pousadas sem contar com as várias trilhas de caminhada onde pode-se acessar cachoeiras, riachos e observar a enorme diversidade de fauna e flora bem preservadas como é o caso do Parque Estadual da Serra do Rola Moça, Serra da Moeda e vale do Rio

Paraopeba.

Piedade do Paraopeba é um distrito de Brumadinho situado no sopé da Serra da Moeda. O distrito é mais antigo que os municípios de Ouro Preto e Mariana. Ali encontra-se a Matriz de Nossa Senhora da Piedade, inaugurada em 1713. Seu altar mor possui uma imagem entalhada em madeira comprada em Portugal em 1731. Há também a igreja de Nossa Senhora do Rosário, construída pelos escravos e descendentes africanos. Casarões históricos e o estilo de construção atestam a memória histórica local.

O distrito de Aranha, na encosta da Serra dos Três Irmãos, próximo ao Rio Paraopeba, está situado a aproximadamente 12 quilômetros de Piedade do Paraopeba. Também pertence ao município de Brumadinho. É um distrito antigo cuja ocupação se iniciou no final do século 17. O nome origina-se de um proprietário rural, Sargento-mor José de Cerqueira Aranha. Aranha é muito famosa pelo festival da Mexerica Ponkan além de sua excelente culinária.

Homenagem aos aniversariantes de março

Na região, também pode-se visitar uma montanha conhecida como Topo do Mundo com altitude de 1450 metros e de onde pode-se vislumbrar uma das mais privilegiadas vistas de Minas Gerais. Esta montanha é muito conhecida pelos praticantes de voo livre pois é um dos melhores pontos para esta prática de esporte em todo o estado.

Foi possível verificar que a região também é disputada por inúmeras famílias que ali se instalam em sítios, chácaras e até fazendas. Grandes construções mostram que estas famílias não economizaram para se estabelecer por ali e desfrutar das belezas, do conforto e clima naturais da região.

Como a estrada é ladeada pela abundante vegetação, durante a caminhada, contamos com um clima muito agradável e arejado podendo desfrutar de tantas belezas naturais como a fauna e flora bem diversificadas, a serra da Moeda e também houve a oportunidade para a parada para fotos em cachoeira do córrego Carrapato à beira da estrada.

Ao término da caminhada, muito animados com tantas belezas vistas, os Andarilhos Queluzianos chegaram ao restaurante Campestre onde os proprietários Mazinho e Fátima aguardavam com uma verdadeira recepção regada a um fantástico cardápio da culinária mineira. Inicialmente, foram servidos vários tipos de tira gostos como pastéis de carne e queijo, linguiça, mandioca e torresmo. Em seguida, sobre o fogão à lenha, pairavam panelas de pedra com arroz, rabada, carne cozida com batatas, angu e couve. Após o almoço, à disposição sobre uma mesa, podia-se servir e desfrutar de doces de leite, marmelada e queijo. Cervejas e refrigerantes bem geladinhos eram constantemente solicitados nas mesas. O bom papo, piadas e boas gargalhadas tomavam conta do ambiente aconchegante.

Confraternização dos Andarilhos

Enquanto a confraternização transcorria, vários amigos se ausentaram do restaurante em busca do conhecimento de atrações turísticas locais visitando a Matriz de Nossa Senhora da Piedade, Igreja de Nossa Senhora do Rosário, casarões antigos e a famosa cachoeira do Córrego Carrapato.

Como de costume, uma pausa na confraternização para homenagem aos aniversariantes do mês: Benito Laporte, Geraldo Joviano, José Geraldo Carvalho, Guilherme Vinícius, Joel e João Pereira.

Não se pode deixar de relacionar aqui os sete convidados presentes a este evento, a saber: Denerson, Vander, Garotinho, Jota Biagioni, Varton, Zulmar e Vinícius. A todos eles, o agradecimento do grupo Andarilhos Queluzianos pela oportunidade de convivência e formação de amizade.

Foi um sábado abençoado e feliz para todos que retornaram com suas baterias recarregadas e a memória abastecida com um pouco mais de conhecimento histórico e boas lembranças de uma das regiões mais belas de Minas Gerais. Com certeza, em breve, deveremos retornar a esta região percorrendo trilhas diferentes a fim de conhecermos mais as belezas do Vale do Paraopeba. Até o próximo mês.

Texto: Laércio Amaral- Fotos: José Silvestre