Após acordo judicial e parcelamento de dívida de mais de R$450 mil, Lafaiete volta ao Codap

8
Depois de 4 anos Lafaiete retorna ao Codap e terá que pagar uma dívida de mais de R$450 mil de parcelas não pagas de gestões anteriores/Arquivo

Afastado do Consórcio Público para o Desenvolvimento do Alto Paraopeba (CODAP), desde maio de 2014, a prefeitura está perto de retornar a entidade. Já tramita na Câmara um projeto de lei, que se aprovado, autorizará a integração ao consórcio, em franco crescimento regional hoje composto com pelo menos 7 Municípios consorciados (Ouro Branco, Congonhas, Entre Rios de Minas, Jeceaba, São Brás do Suaçuí e Brumadinho).

Depois de 4 anos Lafaiete retorna ao Codap e terá que pagar uma dívida de mais de R$450 mil de parcelas não pagas de gestões anteriores/Arquivo

Além de Lafaiete, Catas Altas da Noruega, Belo Vale e Caranaíba já solicitaram a adesão, porém aguardavam a anuência de seus respectivos legislativos.

Lafaiete e o Codap viveram nas 3 últimas gestões um relacionamento conturbado, tanto que o consórcio acionou a prefeitura, pelo não pagamento dos rateios mensais nos exercício de 2007/2009/2010/2012.

Recentemente, um acordo judicial foi homologado e o prefeito Mário Marcus (DEM), que por diversas vezes tornou público seu desejo no retorno ao Codap, assumiu uma dívida de pouco mais de R$ 450 mil.

Em assembleia geral ordinária do CODAP, realizada em 5 de fevereiro, na qual foi aprovada por unanimidade o retorno do Município ao consórcio, ficou definido que a prefeitura pagará até dezembro de 2020 mensalmente  R$13.500,00.

Deste valor, R$12.880,40 em função dos débitos de parcelas vencidas incluindo R$619,60 os rateios mensais.

Funções

Hoje o Codap desenvolve diversas ações compartilhadas com os Municípios, através da gestão, assistência técnica e execução de projetos e ações regionais. Entre elas estão a criação do Selo de Inspeção Regional, o SIM, e castramóvel que atuará na saúde animal com castração e outros programas.