Atendimento à saúde básica é ampliado em Congonhas

120

DSCN4674

IMG_1701

IMG_2487

IMG_5782

A promoção da saúde em Congonhas conta com o trabalho de equipes multiprofissionais, que atendem nas Unidades de Atenção Primária à Saúde (UAPS), nome atual das antigas UBS. Os congonhenses têm acompanhamento médico – com coleta de preventivo e vacinação – e odontológico, além de participarem de grupos de atividade física. Uma vez por semana, os postos contam com o Horário do Trabalhador, em que o atendimento vai até às 19h. Em 2015, a Prefeitura inaugurou uma UAPS no bairro Lamartine. Também começou a reforma do prédio da Vila São Vicente e deu sequência à construção de outros sete prédios próprios para as equipes.

A saúde em Congonhas tem cobertura integral, com atendimento médico nas UAPS, nas clínicas especializadas e na Unidade de Pronto Atendimento (UPA), que funciona provisoriamente na UAPS do Tipo 2 do Dom Oscar.  A inauguração da UAPS Lamartine, em junho de 2015, foi uma das conquistas de maior impacto para a saúde básica do Município. Segundo os coordenadores de PSF Angélica Braga, Juscelino Ribas e Sandra Jorge, foi realizado um levantamento das demandas do bairro e suas adjacências. “Foi uma unidade que abrimos sem gastos para a Prefeitura, pois os funcionários já eram contratados e foram remanejados. Além disso, melhorou o acesso da população à saúde”, destacam.

A reforma da unidade da Vila São Vicente, que começou em novembro de 2015, também foi um ponto positivo. A equipe está atuando em um prédio alugado no bairro Zé Arigó. “Conseguimos melhorar o vínculo com a população deste bairro. Muitos não frequentavam a unidade”, ressaltam os coordenadores. São sete as UAPS que funcionam em prédios próprios, mas a Prefeitura está construindo unidades no Alto Maranhão, Basílica e Jardim Profeta, além de Santa Quitéria, Santa Mônica, Vila Cardoso e Lobo Leite. A Prefeitura providencia solução para as obras que foram interrompidas pela empreiteira vencedora da licitação.

O acesso à internet em todas as UAPS também foi um destaque, facilitando a marcação e o encaminhamento de exames para o ambulatório e as clínicas especializadas. O sistema fez com que diminuíssem as filas de espera para realização das consultas especializadas, além das faltas e perdas de consulta.

Houve, ainda, a ampliação de alguns serviços. O horário de vacinação foi expandido: os pacientes podem receber doses de vacina durante o horário de funcionamento das UAPS, que é das 7h ás 16h, e também no dia de Horário do Trabalhador até às 18h30. A coleta de preventivo também foi implantada em todas as unidades, incluindo as localidades de Lobo Leite e Vila Cardoso. Já os agentes preventivos da dengue passaram a atuar dentro dos postos, aprimorando o serviço de combate e prevenção ao Aedes aegypti, principalmente pela redução da recusa de acesso aos imóveis.

Todas as UAPS contam com uma equipe de ESF (médico, enfermeiro, dois técnicos de enfermagem, auxiliar de saúde e agentes comunitários de saúde), do NASF (assistente social, educador físico, farmacêutico fisioterapeuta, nutricionista, psicólogo e terapeuta ocupacional) e de saúde bucal completa (dentista, técnico de saúde bucal e auxiliar de saúde bucal). Todas as unidades oferecem vacinação, coleta de preventivo e pré-natal. Outro serviço exclusivo é o Horário do Trabalhador: uma vez por semana, o atendimento é estendido até às 19h. Além disso, cada uma das UAPS possui farmácia básica para dispensação de medicações à população.

Educação permanente

As equipes de saúde se reúnem uma vez por mês para debater assuntos de relevância para a saúde, melhorando a capacidade técnica dos profissionais. Além disso, as ações realizadas nas unidades são baseadas em tópicos, conforme cronograma padronizado de datas importantes para a saúde e assuntos de maior valor, como o Outubro Rosa e o Novembro Azul. Essa estratégia faz parte do programa de educação permanente de Congonhas.

Uma pesquisa sobre Educação Permanente, da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), aponta que Congonhas conta com um dos programas de maior destaque do Estado. “Quem receberá os bons resultados dessa relação é o paciente. Esse trabalho multidisciplinar e intersetorial tem tido um destaque importante no Município”, completam os coordenadores de PSF.

Melhoria do acesso à saúde

Pela terceira vez, Congonhas aderiu ao Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica (PMAQ). Dos 17 PSF, 12 estão incluídos no programa, que direciona ações, monitora e avalia resultados do sistema de saúde. “A cidade tem boas notas, se comparada com outras da região. À medida que conseguimos cumprir a meta proposta, o Ministério da Saúde pede uma maior. Sempre exige mais. Assim, o padrão de qualidade do atendimentoaumenta”, destacam os coordenadores de PSF.

UPA

A Unidade de Pronto Atendimento (UPA 24h) funcionará em um prédio de três andares e terá capacidade para atender uma população de até 200 mil habitantes. Este é um estabelecimento de saúde de complexidade intermediária entre as Unidades de Atenção Primária à Saúde/Saúde da Família e a Rede Hospitalar. A UPA atenderá casos de urgências e de natureza clínica e prestará primeiro atendimento aos casos de natureza cirúrgica ou de trauma. O paciente poderá ser encaminhado ao Hospital Bom Jesus, atualmente sob intervenção da Prefeitura, que fornece apoio administrativo e financeiro à instituição. A obra contempla também a ampliação do complexo de saúde, com recursos municipais e estaduais.

Fotos:divulgação