Copasa garante recursos de mais de R$10 milhões em contrapartida pela renovação de contrato por mais 30 anos

8
Falta de cidadania:Bananeiras é alvo de despejo do lixo pela população/Reprodução

Em reunião realizada ontem, dia 15, na Federação das Associações de Bairros de Conselheiro Lafaiete (Famocol), representantes da Copasa garantiram que a estatal irá repassar os mais de R$ 10 milhões em contrapartida pela assinatura do contrato de renovação por mais 30 anos do serviço de abastecimento de água e esgotamento sanitário. Os valores serão usados em obras orçadas como pontes, passarelas e gabiões ao longo do rio Bananeiras. No início deste ano, a Copasa e o prefeito Mário Marcus (DEM) prorrogaram por mais 2 anos o convênio.

A engenheira da estatal, Joselma Matos, explicou que o convênio passa por adequações de planilhas que foram feitas em 2014 e os valores orçados sofreram aumentos. Todas as obras indicadas já tiveram seus projetos finalizados. Segundo ela, os valores das 19 obras ficariam atualmente em R$25 milhões e o valor do convênio que será reajustado a realidade do momento deve saltar dos quase R$ 10 milhões e indo para em torno de R$14 a R$15 milhões. “Já estamos em contato com o setor de projetos da prefeitura para adequarmos as planilhas. Acreditamos que ainda este mês este valor do convênio a ser repassado a prefeitura esteja atualizado. Mas os recursos estão garantidos pela Copasa””, assinalou Joselma. Ela disse que a prefeitura terá que priorizar as obras já que o recurso não é o suficiente para bancar as 19 obras pleiteadas.

Por outro lado a prefeitura trabalha com a negociação para receber multas aplicadas a Copasa pelo não cumprimento do contrato na fixação de prazo para resolver o problema do mau cheiro da ETE Bananeiras. Um processo administrativo foi aberto na gestão do ex prefeito Ivar (PSB) que já chega a mais de R$ 2,5 milhão. Já o Ministério Público já executa e empresa com mais de R$ 4milhões. Estes recursos poderiam em tese entrar nas negociações com a Copasa.