Deputados visitam barragem de rejeitos em Congonhas para verificar segurança para expansão

10
Ministério Público cobra avaliação de alteamento de mais de 10 metros da barragem Casa de Pedra/Sandoval de Souza Pinto Filho
Deputados visitam barragem da CSN em Congonhas nesta segunda feira/Divulgação

Desde o dia 30 de agosto, o deputado e presidente da Comissão do Meio Ambiente da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, Glaycon Franco, vem discutindo com os demais deputados da mesa, a preocupação da população de Congonhas devido a um possível rompimento das barragens da Companhia Siderúrgica Nacional – CSN.

Logo após a primeira reunião, o deputado Glaycon já entrou com o requerimento solicitando a presença dos demais deputados e convidados para uma visita ao complexo de barragens da CSN no município de Congonhas. Na tarde do dia 13/09, o deputado anunciou que a visita já foi marcada para a próxima segunda-feira 18/09, e que durante o período em que estiver na companhia, aproveitará para conversar com os técnicos e engenheiros responsáveis pelo local.

De acordo com o deputado, todo trabalho realizado pela comissão foi em parceria com os moradores que relatam viver preocupados, principalmente, após a tragédia que ocorreu em Mariana.

 

O deputado Glaycon Franco explica que a visita foi motivada pela preocupação da população local com a segurança da barragem, que fica próxima à zona urbana do município. “A visita tem como objetivo de conhecer o local e esclarecer as principais dúvidas da população”, informa.

De acordo com a Folha de S. Paulo, a CSN conseguiu aprovar uma licença para a retirada de rejeitos da barragem B4, enquanto aguarda autorização para o aumento da capacidade da Barragem Casa de Pedra, a maior do complexo. Entretanto, um parecer da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável teria atestado que, caso a empresa não consiga alocar adequadamente o material produzido no beneficiamento do minério, deverá interromper as atividades.

O temor de novos desastres, como o que aconteceu em Mariana em novembro de 2015, se deve ao fato de que, na ocasião, o rompimento da barragem da Samarco também se deu durante as obras de expansão da sua capacidade. O complexo Casa de Pedra é a segunda maior reserva de minério de ferro do Brasil, com 6 bilhões de toneladas em recursos e capacidade de produção de 30 milhões de toneladas por ano.

Foi convidado para participar da visita à barragem o Secretário de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, Jairo José Isaac, o superintendente de Gestão Ambiental Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável– Semad, Zuleika Stela Chiacchio Torquetti, o presidente Fundação Estadual do Meio Ambiente – Feam, Rodrigo de Melo Teixeira, o Superintendente Substituto do Departamento Nacional de Produção Minerária – DNPM, Jânio Alves Leite, a promotora do Centro de Apoio Operacional do Meio Ambiente CAOMA, Dra. Andressa de Oliveira Lanchott, o prefeito de Congonhas, José de Freitas Cordeiro, o presidente Câmara Municipal de Congonhas, Adivar Geraldo Barbosa e o secretário Municipal de Meio Ambiente de Congonhas, Neilor Aarão.

Foto Capa: Sandoval Sousa