Glaycon Franco lamenta oportunidade desperdiçada por Lafaiete ao não concluir o hospital regional

10
Ação proposta pelo Ministério Público quer reparação de danos e suposto desvio de recursos o hospital regional/Arquivo

Deputado acredita que Governador anuncie, no dia 26 de outubro, retomada da obra, durante Fórum Regional

Glaycon Franco lamenta oportunidade desperdiçada por Lafaiete ao não concluir o hospital regional/CORREIO DE MINAS

“Na gestão passada tinha recursos e nada foi feito. O hospital é o nosso grande sonho, mas perdemos a chance de concluir a abra e até devolvemos recursos. Agora o Estado está em recursos e afundado em uma crise”. Esta foi a afirmação categórica do deputado estadual Glaycon Franco (PV) ao ser questionado sobre as perspectivas de término da obra, paralisada há mais de 6 anos, na noite, dia 21, na reunião da Federação das Associações de Bairro de Conselheiro Lafaiete (Famocol). O encontro, que durou quase 3 horas, aconteceu no Solar do Barão do Suassuí quando as lideranças comunitárias sabatinaram o deputado em diversos temas.

Como não poderia ser diferente o hospital regional foi dos temas principais, quando o deputado insinuou que a gestão municipal anterior teve a grande chance de concluir a obra já que havia recursos suficientes. “O Estado não tem recursos, mas já cobrei inúmeras vezes o governador sobre esta situação. Ele sabe da realidade de que Lafaiete e a região carecem desta obra. Eu acredito que ele vá anunciar a retomada do hospital quando ele visitar Lafaiete em outubro”, antecipou esperançoso o deputado. Pimentel está marcado de participar do Fórum Regional das Vertentes em 26 de outubro quando desembarca na cidade com grande parte de seu secretariado.

Segundo Franco, um grupo de trabalho entre a prefeitura e o Governo do Estado foi formado para agilizar a retomada da obra. Glaycon disse que o Estado já projeta para o local a instalação de um centro de especialidades médicas e Unidade de Pronto Atendimento (UPA), porém o imóvel continuaria pertencendo ao município. O custeio seria dos governos federal e estadual. “O próprio Antônio Jorge, ex secretário de estado da saúde, hoje deputado estadual, me disse fez de tudo para concluir a obra mas esbarrou nas dificuldades do município. No Estado eles criticaram a auditoria feita à época e tratam como um remendo”, assinalou. O deputado disse que se o hospital tivesse sido concluído com o modelo original com mais de 170 leitos, pelo menos 2 dos 4 hospitais locais já teriam sido fechados. “O governo, seja a União ou o Estado, não tem recursos para manter toda esta estrutura e pelo menos dois hospitais cessariam suas atividades em Lafaiete, caso o hospital regional estivesse em funcionamento nos moldes projetados”, previu. Dentro da temática da saúde, Glaycon antecipou que aguarda este ano a instalação do posto de coleta em Lafaiete ainda em um local a definir. “As conversas estão muito bem adiantadas”, classificou.

Emendas

Durante a reunião o deputado disse que direcionada verbas para todas as cidades da região. “Não tenho compromisso com prefeitos e sim com a população, ao contrário, de muitos outros deputados. Inclusive destine recursos para Lafaiete mas por a prefeitura estar irregular foram devolvidos”, assinalou. Glaycon Franco afirmou que seu mandato luta para diminuir a dependência de Barbacena. “A grande maioria dos órgãos do Estado as sedes são em Barbacena e então dependemos da cidade. Estamos tentando inverter esta dependência trazendo escritórios como foi o caso do DEER”, disse.