Suspense e especulações marcam a semana em que termina prazo para filiação partidária e quadro lafaeitense será definido

18

O radar esta semana está direcionado a política. Candidatos que queiram participar do pleito eleitoral deste ano devem obedecer prazos e regras da Justiça Eleitoral. A filiação partidária, por exemplo, deve ser realizada até o dia 7 de abril, próximo sábado, quando postulantes terão, obrigatoriamente, estar filiados a uma das mais de 35 siglas existentes o País.

Também termina no próximo sábado o prazo para aqueles que detém cargo eletivo migrarem para outro partido sem a perda do mandato, a chamada “janela partidária”. Ela só serve para deputados e senadores. Vereador que trocar de partido para a disputa eleitoral deste ano pode perder o cargo.

Lafaiete

As movimentações estão intensas nos bastidores do xadrez eleitoral lafaietense. A expectativa das definições agita os grupos. No plano estadual surgem dúvidas ainda sobre o destino de alguns pretendentes. O deputado Glaycon Franco deve permanecer no PV, mas não será surpresa a troca de sigla. Sua definição depende de arranjos e acordos dos partidos de olho na embolada sucessão estadual. Como deputado, a mudança envolve muitas conversas e amplas negociações.

A médica e pré candidata a deputado estadual Selma Carvalho é cortejada por diversas siglas. Nos bastidores ela vem costurando fio a fio sua filiação escolhendo a melhor alternativa a seus planos de chegar a Assembleia de Minas. Há quem diga que ela já definiu sua legenda, mas espera os momentos finais do prazo de filiação para transformar sua filiação em um fato político e encerrar especulações e suspenses.

Situação idêntica também passa o pré candidato Giovanny Laporte que aguarda as conversas de bastidores para definir seu ninho político. Ele é assediado por siglas e já tem seu grupo de apoio formado e é visto transitado com desenvoltura na região em busca de adesões a sua candidatura. A exemplo de Selma, Laporte tem tendência de optar por um partido menor que facilitaria sua chegada a Assembleia.

Ainda despontam na disputa outros nomes mas com suas respectivas siglas estão definidas como é o caso do ex vereador e ex vice prefeito, Darci Tavares (MDB). A empresária e líder comunitária Neuza Mapa é pré candidata pelo PT e também está em intensa movimentação regional.

O universo aponta 5 postulantes em Lafaiete e não será surpresa novos candidatos.

Plano Federal

Ao contrário do plano estadual, o federal a concorrência é menor e menos acirrada em Lafaiete. O quadro é bem menos disputado e no qual a cidade tem mais chances de eleger um candidato.

Em 2008, Ivar Cerqueira somente não chegou ao Congresso por não acreditar o seu potencial e no expressivo colégio eleitoral de Lafaiete. O ex prefeito teve mais de 42 mil votos.

O cenário aponta que o atual vice prefeito, Marco Antônio Reis Carvalho vem para a disputa. Especula-se que ele espera a definição do partido que Selma Carvalho vá filiar para também deixar o ninho tucano. Os dois farão uma dobradinha puro sangue lafaeitense.

O quadro tem os pré candidatos, o médico Antônio Kadar (PEN) e Elisa Lopes (NOVO). Zezé do Salão (PMN) aguarda esta semana para definir seu rumo. Outro que pretende laçar seu some é o ex vereador Manoel Vespúcio (PT).

Enfim, a semana será decisiva e cheia de suspense.