Humanização: SEAP assume cadeia pública e delegacia será transferida

Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

 

A cadeia de Carandaí, que conta com 41 detentos, passará por uma transformação e ganha um novo sistema de gestão prisional especializada através da SEAP (Secretaria de Estado de Assuntos Prisionais), retirando a responsabilidade da Polícia Civil. O novo diretor, Maxley Santos, comandará uma equipe treinada para atendimento aos detentos, contenção de rebeliões e viaturas próprias.

Com mudança, a Polícia Civil poderá se dedicar as suas atribuições específicas como a segurança pública ficando o tempo integral dedicado às investigações.

O objetivo da gestão da Seap será manter a segurança do sistema carcerário, além de realizar trabalhos visando a reinclusão do detento à sociedade após conclusão de sua pena.

As visitas continuam sempre nas manhãs de quinta-feira com cadastramento de familiares e visitantes e o número de  refeições aumentará para quatro por dia, incluindo café da manhã, almoço, lanche da tarde e jantar.

A Seap fará um prontuário jurídico e de saúde de cada detento, além de buscar parcerias para melhorar a estrutura física do local e também convênios com profissionais de psicologia que levarão atendimento também as famílias dos detentos.

Kit que será distribuídos aos 41 detentos

Ao chegarem ao presídio de Carandaí, o detento receberá um kit, que a partir de agora conta com duas peças de uniforme, chinelo, caneca, escova de dente, além de itens básicos de higiene pessoal.

Mudanças

Com as mudanças, delegacia da Polícia Civil deverá ser transferida para o prédio da antiga Estação da pracinha, próxima a rodoviária. A cadeia continuará no mesmo local, no trevo de saída da cidade.

APAC

Com a humanização do ambiente prisional, o principal pela da SEAP será reinserção do detento a sociedade através da criação da APAC, modelo que trabalha ressocialização do, resgatando sua auto-estima dos presos.

Ação

A transferência da gestão a SEAP é fruto de uma ação judicial movida pelo Sindicato dos Delegados contra o Estado de Minas. Em diversas cidades da região as cadeias passaram a responsabilidade da Seap e outras foram desativadas e seus presos transferidos para outras unidades como ocorreu em Entre Rios de Minas. Há cerca de 20 dias, os mais de 40 detentos de cadeia, ainda administrada pela Polícia Civil, foram deslocados para o presídio de Congonhas, administrado pela SEAP.

 

Foto e colaboração: Carandai on line

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.
FacebooktwitterFacebooktwitter

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *