João Paulo quer o fim da tarifa de deslocamento cobrada por taxistas em Lafaiete e promotoria investiga legalidade da taxa

9
Vereador João Paulo/Arquivo
O vereador João Paulo/Arquivo

O vereador João Paulo Pé Quente (DEM) defendeu o fim da taxa de deslocamento por serviço de taxis em Lafaiete. O valor da tarifa é de R$5,47 e é cobrada quando um pede um cliente pede uma corrida em sua casa para um deslocamento. A justificativa é que muitas vezes o trecho a ser percorrido no serviço não compensa o deslocamento do taxista.

No ano passado, o vereador tentou em vão abolir a taxa mas não conseguiu votos suficientes. João Paulo alega que a cobrança é ilegal. “Em Belo Horizonte esta taxa não passar de R$3,00. Estou aqui para defender a população e não uma categoria. Os taxistas participam da reunião somente quando há votação de interesses deles”, criticou. Um taxista representante da categoria participou a reunião na semana fazendo lobby pessoalmente com os vereadores, mas devido ao tema polêmico a votação foi adiada para que os vereadores aprofundem a discussão e definam uma posição conjunta. “Se não for aprovado o nosso projeto no ano que vem entro com ele novamente”, disse Pé Quente.

“A Promotoria está avaliando a legalidade dessa cobrança, a fim de, em caso de se concluir pela ilegalidade, adotar as  medidas judiciais cabíveis para derrubá-la, caso a Câmara não o faça antes”, informou o promotor Glauco Peregrino, curador de defensa do consumidor.