Jornada do Patrimônio Histórico abre as portas do rico acervo da biblioteca do ex embaixador Napoleão Reis em Lamim

12

“Redescobrindo a Biblioteca Laminense”. Com esse projeto o município de Lamim faz parte da programação da 6ª Jornada do Patrimônio Cultural de Minas Gerais. A Jornada é uma ação promovida pela Secretaria de Estado de Cultura de Minas Gerais, por meio do Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais – IEPHA/MG, e tem por finalidade mobilizar municípios, entidades e agentes culturais em torno do objetivo de estimular e desenvolver atividades que sensibilizem a sociedade para a promoção, valorização e preservação do patrimônio cultural.

De acordo com o IEPHA, realizada bienalmente nos anos ímpares, a Jornada incentiva o desenvolvimento de diferentes atividades como exposições, seminários, cursos e oficinas, edição de livros e outras publicações, festivais de arte e cultura, bem como ações educativas destinadas a diferentes públicos e faixas etárias, relacionadas sempre com a preservação e a promoção do patrimônio cultural.

Livros do acervoO setor de Cultura da prefeitura de Lamim conseguiu aprovar duas ações. A primeira visa abrir as portas da Biblioteca Laminense, instituição fundada pelo ilustre embaixador Napoleão Reis no ano de 1897. Seguindo uma das diretrizes da Jornada – Patrimônio de Portas Abertas – acontece uma exposição com alguns exemplares da biblioteca.  A ideia é mobilizar a população em torno da importância cultural e histórica do acervo que chegou a ter quase 30 mil volumes. Essa ação faz parte do trabalho de educação patrimonial realizado pelo setor de Cultura da prefeitura. A exposição será realizada na biblioteca municipal, sediada no casarão da praça Padre Lucas Leal, entre os dias 14 e 18 de agosto.

A segunda ação, denominada “Biblioteca Laminense itinerante”,trata-se de uma caravana cultural que vai levar parte do acervo da biblioteca até às escolas das redes municipal e estadual. De acordo com a coordenação da Jornada do Patrimônio Cultural em Lamim, na caravana serão levados alguns livros e documentos que compõem o acervo da lendária biblioteca, criada no final do século 19. Logo

Durante duas semanas os laminenses e visitantes da cidade terão oportunidade de estar em contato com publicações que serviram de base para Napoleão Reis fundar outras bibliotecas no estado de Minas Gerais.

Autor: Setor de Cultura da Prefeitura de Lamim