Noite de gala: O tenor Ronivaldo Magalhães, a “voz de ouro” encanta Lafaiete e interpreta as grandes vozes da música brasileira e internacional

21
O maestro Geraldo Vasconcelos é um dos baluartes da cultura e idealizador do “Encanta Lafaiete”/Reprodução

Setembro de 2018 foi um mês de grandes acontecimentos na nossa cultura artística: no teatro; na dança e nos mais diversos segmentos musicais, entre eles o Projeto Concertos na Matriz que fechou com encanto as comemorações dos 228 anos de Conselheiro Lafaiete.

Os Concertos na matriz são sempre especiais, mas esse trazia uma atmosfera ainda mais iluminada e humanista. Cada canção, adornada pelos belíssimos traços barrocos da histórica Matriz Nossa Senhora da Conceição, envolvia a todos com um véu de poesia e gratidão.

O Madrigal Roda Viva, sob a regência do Maestro Geraldo Vasconcelos, como habitual abriu o Concerto trazendo uma fusão de canções de diferentes épocas, nacionalidades e gêneros, mas todas abordavam a fé e o sagrado. A Padroeira de Sérgio Seraceni, Pater Noster de Tchaikowsky, Ó Magnum Mysterium de Pedro de Cristo e o Negro Spiritual Nobody Knows, que teve como solista o Cantor e Maestro Talles Matos. Certamente, entre tantas, uma das mais belas vozes que a cidade de Conselheiro Lafaiete teve oportunidade de apreciar.

Quando Vasconcelos convidou o Coral Cantata do Colégio Nazaré e anunciou a canção “Anel mágico”, a essência humana se fez presente em toda a Matriz. A harmonia entre violino (Leo Cassilhas) e teclado (Ivanildo Ricardo) ressaltada pela suave percussão de efeitos por Édila Campos trouxe para a canção de Marcos Viana um cenário encantado para as vozes magistrais e altamente técnicas do Coral Cantata. Foi enternecedor.

Após, o Cerimonial fez a chamada para o convidado da noite: Ronivaldo Magalhães. Uma explosão de talento,  ternura e um timbre ímpar deram asas às mais belas canções de Milton Nascimento, Vander Lee, Gilberto Gil, Freddie Mercury, John Lennon, entre outros. O grande público acompanhava com deslumbramento a fusão de voz e violão de mais uma perola das Minas Gerais.

À convite da cantora Édila, Geraldo Vasconcelos se juntou a Ronivaldo e juntos entoaram uma belíssima poesia de Tato Ficher, que faz alusão à voz. Um dueto improvisado, onde a canção ganhava novas e belas leituras.

Como de praxe, todos os artistas da noite se juntaram para cantar “quem sabe isso quer dizer amor”, de Milton Nascimento. Foi um grande final, ovacionado de pé pelo belíssimo público que contou com representantes de importantes segmentos da comunidade, entre os quais a Academia de Ciências e Letras, a AMAR e a Secretaria de Cultura na pessoa do seu Secretário, Geraldo Lafayette.

Nossa reportagem conversou com Ronivaldo. Confira:

Ronivaldo encantou o público com sua performance artística/Reprodução

CORREIO DE MINAS: Qual a importância de participar do Projeto “Concertos na Matriz”?

Ronivaldo: Um dos grandes momentos da minha vida. Estava  pensando em parar de cantar, agora tenho planos: montar um show com banda e elaborar uma agenda.

 

CM: O que achou do público? Ronivaldo: Já tive públicos maravilhosos, mas aí, por diversas vezes me emocionei ao deparar-me com os olhares da plateia.  Senti-me carregado no colo.

CM Como se deu a escolha do repertório, que encantou a todos?

Ronivaldo: Uma escolha a dedo. Precisava encantar! A eleição do repertório é fundamental.  Cantar Beatles, Queen e a música mineira, é sempre um bom caminho.

CM Qual o sentimento de cantar com os coros, músicos da terra e com o Maestro Geraldo Vasconcelos?

Ronivaldo: O canto coral é uma das grandes paixões que tenho. Ouvir a harmonia, a afinação… O diálogo entre os graves, médios e agudos e ainda sob a regência de Geraldo Vasconcelos, eu só tenho a agradecer ao Coral Cantata do Colégio Nazaré e ao Madrigal Roda Viva.

Leo Cassilhas, Ivanildo Ricardo e Édila Campos são músicos extraordinários…  Sabemos que não basta ser virtuoso; É preciso muito mais. Tem que gostar de música; é preciso ser gentil, cúmplice e generoso, como são esses grandes artistas.

CM: Suas considerações finais.

Ronivaldo: Agradeço imensamente ao meu irmão Geraldo pelo convite, confesso que fiquei muito preocupado devido a grande responsabilidade. O evento é maravilhoso e não poderia eu prejudicar o nível alcançado. Parabéns à municipalidade de Conselheiro Lafaiete pelo aniversário e pelos filhos ilustres que constroem esta terra. Gratidão!

No encerramento, Vasconcelos informou que: “no dia 11 de dezembro, o Madrigal Roda Viva, com total apoio da Prefeitura Municipal, vai receber a Orquestra Sinfônica da Polícia Militar de Minas Gerais para juntos, apresentarmos  uma bela Cantata de Natal”. Finalizou: “Agradeço, de todo o coração ao meu irmão Ronivaldo Magalhães, ao Madrigal Roda Viva, os cantores e familiares do Coral Cantata do Colégio Nazaré e a direção da Escola e também a esses músicos fantásticos da nossa terra que são a Édila Shirley, Ivanildo Ricardo, Leonardo Cassilhas e a extraordinária Pianista e Professora Juliana Marin. Agradecimento especial à nossa competente e dedicada Ligiane Ramos, responsável pelo cerimonial e ao nosso presidente Marcelo Santos, que além de ser um dos nossos competentes cantores do naipe de baixos, é um exímio e ilustre profissional na sonorização e de todo o serviço de técnica. Até breve”.

Confira as fotos na galeria:

[Best_Wordpress_Gallery id=”128″ gal_title=”Madrigal 03/10/2018″]