Operação prende 4 envolvidos em assassinato cuja vítima teve a cabeça esmagada; motivação seria um celular

13
Polícia prendeu ontem quatro suspeitos de assassinatos/Divulgação

A Polícia Civil, através da Delegacia de Crimes contra a Vida, Helenita Márcia Pyramo, começou a desvendar assassinatos ocorridos nos últimos 30 dias e colocar os criminosos da cadeia. Hoje, durante Operação, os agentes prenderam 4 suspeitos de envolvimento na morte de Carlos Roberto Rosa Campos, de 50 anos, conhecido como “Bito”. Um dos possíveis autores estava em Ouro Branco desde o assassinato. O crime ocorreu no dia 12, quando populares acionaram a Polícia Militar e relataram sobre o odor vindo de um imóvel aparentemente abandonado na Estrada União Indústria 2700, Bairro São Geraldo. Ao realizar a verificação no local, os militares encontraram o corpo de um homem na parte superior do imóvel, com uma pedra sobre a cabeça esmagado em estado de decomposição. A Polícia acredita em uma suposta apropriação de um aparelho celular da esposa de um dos possíveis autores que decidiram se vingar e agrediram a vítima até a morte.

Os últimos casos

O dia 3 de outubro, ​Daniel Augusto Morais Pinto vulgo “Pipoca”, 19 anos, foi morto a tiros por um menor infrator que confessou o crime ocorreu o Bairro São João. o dia 20, o assessor do deputado Glaycon Franco, Luiz Catarino Dias, 54 anos, foi morto no bairro Bellavinha. Ele foi assassinado com um tiro na nuca dentro de seu carro.  o Caso ainda não foi esclarecido mas a Polícia trabalha na linha de crime contra o patrimônio.

No dia 19 de novembro, o jovem Joseph Roger Xavier do Carmo, de 23 anos, foi morto a tiros quando saía da sede da Associação de Proteção e Assistência ao Condenado (APAC), no bairro Sion. Ele surpreendido com mais de uma dezena de tiros por homens que chegaram em um carro e fugiram em seguida sem deixar pistas. Neste caso a Polícia investiga o caso ainda sem os autores.

Já no dia 27 de novembro, Luciana da Silva Nascimento (19) foi estrangulada até a morte pelo ex namorado, Leonardo Gonçalves Ribeiro, de 22 anos. O caso ocorreu em um apartamento, emprestado por uma amiga da vítima, no bairro Carijós, onde os dois se encontram na noite do crime. O autor foi preso em flagrante em Gagé.

A Delegada de Polícia, Helenita Márcia Pyramo comanda diversas investigações de assassinatos

No dia 6 de dezembro, Jhonatan Felipe Basílio, de 20 anos, morador do bairro Real de Queluz, foi encontrado morto em um local conhecido como “Morro do Pink Floyd”, no Bairro Morro da Mina, em Lafaiete. A suspeita é de que sua morte esteja ligada a dívida com o tráfico de drogas. O crime é investigado pela Polícia investiga o caso.

Dois dias depois, dia 8, a PM recebeu uma ligação de que um jovem, de nome Emerson Passos Aguiar Rosa, estava morto dentro de um imóvel no Bairro de Lourdes. A vítima além de várias perfurações pelo corpo ainda se encontrava com a faca empalada nas costas. O crime, segundo a Polícia Civil, foi motivado por uso de drogas por parte do investigado Sidney Florindo Goulart que teve a prisão preventiva decretada.

Na tarde desta segunda feira, dia 18, a Polícia Militar encontrou o corpo de Caíque da Silva Emiliam, de 24 anos, sem vida estirado ao solo, às margens da estrada que dá acesso às localidades de Maracujá e Mato Dentro. Ele estava com 11 perfurações. O rosto da vítima encontrava-se completamente sujo de sangue, havia marcas de sangue próximo à vítima e um rastro de marcas de sangue pela estrada que se estendia a uma distância de aproximadamente 50 metros do corpo da vítima. Caíque era morador do bairro Topázio, em Conselheiro Lafaiete.

Os homicídios e a resposta a sociedde

Em entrevista hoje a tarde a Delegacia Helenita Márcia Pyramo explicou os últimos assassinatos, as autorias e as investigações dos casos ainda sem solução. Um balanço dos 13 homicídios consumados em 2017, 10 foram apurados, quando muitos estão presos e envolvimento de menores. Segundo ela, a maioria dos casos deste ano está relacionada com o uso e tráfico de drogas. Ela destacou o papel da sociedade na solução dos crimes. Dos 13 casos, 4 ocorrem em dezembro. “A sociedade tem um papel fundamental para contribuir com a Polícia, denunciando os envolvidos e ocorrências de crimes. Nosso objetivo é chegar a prisões dos autores”, avaliou a delegada.