Para presidente do Sindicato Metalúrgicos, acidente na Gerdau é uma “crônica de mortes anunciadas”

11
O Presidente do Sindicado dos Metalúrgicos de Ouro Branco, Raimundo Nonato/Reprodução

O Presidente do Sindicado dos Metalúrgicos de Ouro Branco, Raimundo Nonato, denunciou as péssimas qualidades e falta de manutenção da planta da Gerdau. Segundo ele, a siderúrgica está fazendo a manutenção tardiamente e não preventivamente dos equipamentos. “A empresa já foi alertada da situação precária e da falta de manutenção em dos seus equipamentos. Ao invés de trabalharem preventivamente e trabalham corretivamente. Já denunciamos isso, mas a empresa está omissa nessa situação e reduzindo trabalhadores nestas funções”, disparou.

Raimundo classificou a situação da Gerdau como “crônica de mortes anunciadas”. “A planta de mais de 30 está sucateada e os trabalhadores vivem um clima de falta de segurança no trabalho. E olha que não faltaram alertas do sindicato a empresa”, assinalou. O Sindicalista Nonato, que já foi eletricista na Gerdau, disse que quando trabalhava na siderúrgica as manutenções eram constantes. “Agora a manutenção não é mais prioridade”, atacou.

Além das duas mortes confirmadas em um acidente ocorrido hoje pela manhã, há exatamente 9 meses, no dia 15 de novembro do ano passado, um acidente também vitimou mais 3 trabalhadores. “Em nenhuma siderúrgica do Brasil ocorreram tantas mortes e tantos acidente em um curto espaço de tempo”, contestou.

Segundo Nonato, o sindicato dos Metalúrgicos acompanha de perto o acidente com diretores diretamente ligados o caso, tanto na FOB, onde estão internados outros trabalhadores, como dentro da siderúrgica. Ele disse que as informações repassadas pela Gerdau oscilam em número de feridos.