Polêmica sem fim: vereador ameaça acionar a justiça caso passagem passe a R$3,20 e Presidente é criticada

12
Vereador João Paulo /CORREIO DE MINAS
Vereador ameaça acionar a justiça caso passagem passe a R$3,20 e Presidente é criticada/Reprodução

A polêmica voltou. Há seis meses sem uma definição, ontem a noite, dia 15, os vereadores voltaram a criticar os serviços da Viação Presidente como também a possibilidade da tarifa saltar dos atuais R$2,90 para R$3,20. Em um discurso duro contra a concessionária, o vereador e líder do prefeito, João Paulo Pé Quente (DEM) voltou a defender a proposição de uma ação contra a empresa na Justiça caso de concretize o aumento de R$3,20. “A empresa não cumpriu o TAC quando do processo de discussão do aumento. Vou acionar a Justiça e o Ministério Público em Belo Horizonte se vier acontecer em Lafaiete o aumento penalizando nosso povo já castigado pela empresa”, disparou Pé Quente.

João Paulo deu boas vindas do novo presidente do Conselho Municipal de Transporte e Trânsito, Leonardo, que substituirá Valdney Alves. “O conselho ganha mais representatividade para discutir os problemas que envolvem o transporte público”, disse.

Vereadora Carla Sassi /Reprodução

Usando a Tribuna a vereadora Carla Sassi (PSB) disse que recentemente percorreu algumas rotas de ônibus para verificar se a Presidente vem cumprindo sugestões oferecidas a partir de um relatório elaborado pela Câmara após mais de 3 meses de avaliação por uma comissão especial dos serviços prestados pela concessionária. O documento final foi encaminhando ao Ministério Público, Presidente, Prefeitura e Conselho de Trânsito. “A Presidente não vem cumprindo muitas de nossas sugestões para melhorar o seu serviço aos usuários. Os abrigos estão abandonados, não há placas de sinalização de informações sobre horários e itinerários do ônibus nos principais pontos, entre outras. Se é para haver um amento que seja condicionado a qualidade e que ela cumpra o contrato firmando com o município”, assinalou. Sassi disse que ainda não nada de oficial quando do aumento da tarifa. “Não foi protocolado nenhum pedido na Câmara nem na prefeitura. Se for mesmo esse valor teremos que avaliar”, ponderou.