Saúde no CTI: Afundado em dívida de R$ 5 milhões, hospital ameaça fechar suas portas

20

O Hospital Ibiapaba , centro de referência em saúde regional pode deixar de atender pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS) ou mesmo fechar suas portas. Este problema deve se a dívida do SUS com o hospital, que já ultrapassa R$ 5 milhões. Da receita total do Ibiapaba, 80% dela representa atendimentos do SUS à pacientes de 51 municípios da macrorregião, que corresponde a uma população de 800 mil pessoas.

Em nota oficial, a direção do Ibiapaba afirma que a questão não é de gestão, pois neste mês a entidade recebeu auditoria da ISO 9001-2015 e o hospital foi recertificado. “O problema é que não se faz milagres, prestar serviços e não receber há mais de ano tem o seu limite”, afirmou.

“Já são mais de 14 fornecedores que estão deixando de vender medicamentos por atraso nos pagamentos. Com os constantes atrasos, que vem desde janeiro de 2017 o hospital foi obrigado a buscar recursos junto à rede bancária para cumprir com seus compromissos, mas atualmente nem os bancos querem mais dar o socorro com receio de não receber”, informou a direção.

Ontem (26/09), na reunião na Câmara Municipal de Barbacena, durante a prestação de contas do segundo quadrimestre, pelo Secretário Municipal de Saúde – o médico José Orleans, o único vereador presente, Odair Ferreira, percebeu a seriedade da situação e propôs uma reunião ordinária da Câmara para hoje (27/09), às 19h30. O tema principal da reunião é apresentar aos vereadores de Barbacena o caos na saúde, principalmente no caso do Ibiapaba.

“É um momento grave e exige que os usuários do SUS compareçam à Câmara Municipal para dar apoio ao Conselho Municipal de Saúde em busca de uma solução para esta crise, antes que as portas sejam fechadas”, declarou a direção do hospital.

De acordo com a apuração da Folha de Barbacena (FB), o risco do não atendimento aos pacientes do SUS também se aplica aos outros hospitais de Barbacena e também da região da Zona da Mata e Campo das Vertentes. No entanto, neste momento, insatisfeito com a grave situação, o Ibiapaba deu o primeiro passo para esclarecer à população sobre este problema.

Nota Oficial do Hospital Ibiapaba – Cebams

“Estamos vivendo uma crise sem precedentes no Hospital Ibiapaba – CEBAMS. Como é sabido, somos referência para o SUS nas doenças mais graves que atingem nossa população: as doenças cardíacas e o câncer. O que recebemos do SUS não cobre os custos do atendimento dos pacientes, mas o que mais nos pune é o chamado extra-teto. Ele se caracteriza pelo não pagamento dos valores que ultrapassam um teto financeiro definido pelo próprio sistema. Estes pacientes não pagos são enviados ao hospital pelo próprio SUS, são autorizados, auditados, mas simplesmente não são pagos. Estes pacientes representam quase 30% do nosso faturamento não pago desde fevereiro de 2017, portanto há 18 meses. Hoje já são vários fornecedores que não querem nos vender os medicamentos e outros insumos.

Precisamos do apoio de todos. O Hospital Ibiapaba – CEBAMS é um patrimônio da comunidade e é o único certificado pela qualidade de seus serviços na norma internacional ISO 9001:2015.

Infelizmente, sem a retomada dos pagamentos do chamado extra-teto do SUS, não se vislumbra uma continuidade regular dos atendimentos extras do SUS. Caso não haja a regularização, o Hospital será obrigado a interromper, por tempo indeterminado, alguns atendimentos do SUS em Cardiologia de Alta Complexidade e Oncologia. Nesse estágio de calamidade pública que vem se avizinhando, caso o SUS não pague o valor devido ao Hospital Ibiapaba – CEBAMS, só será possível manter nossos atendimentos via SUS para casos extremamente urgentes.”.

Informações: Folha de Barbacena