Setembro Verde começa no dia 14

9

A abertura oficial do Setembro Verde 2017 acontecerá na próxima quinta-feira (14) no Solar Barão de Suaçuí, em Lafaiete, com o lançamento do livro “O samurai e o lírio”, de Francisco Dorotheu. A programação de lançamento conta ainda com a presença do músico e cordelista Zelito Coringa, que vem do Rio Grande do Norte (RN) enriquecer a programação com este intercâmbio Minas Potiguar.

O livro

Ferido gravemente em combate, o samurai Ogawa Hajime é resgatado pela jovem Sasuki Sayuri, que cuida de seus ferimentos até seu restabelecimento. Como paga dos cuidados da princesa, seu pai, o daimyo Sasuki incumbe o samurai de uma perigosa missão: acompanhar a jovem Sasuki ao encontro de seu Destino. Eis o prelúdio de “O samurai e o lírio”, livro de estreia do escritor Francisco Dorotheu, produzido pela Lesma Editores.

O livro é ilustrado pelo artista lafaietense Paulo Laporte, cujos desenhos feitos a lápis se harmonizam ao texto propiciando um diálogo icônico de rara felicidade.

A trama acontece no Japão do século XIX e promete alçar o leitor a um universo singular e também a uma reflexão sobre os valores culturais de Oriente e Ocidente neste momento histórico, onde, quanto mais conectados, mais distantes estamos uns dos outros. Que a literatura seja uma ponte!

O autor

Francisco Dorotheu é o pseudônimo de Igor Castanheira dos Santos. Nascido em Belo Horizonte em sete de setembro igor e paulinhde 1993, filho de Geraldo Francisco dos e Mônica Castanheira dos Santos. Reside em Conselheiro Lafaiete e é estudante de Economia na Universidade Federal de Viçosa – UFV. Estudou no Colégio Nossa Senhora de Nazaré os ensinos Fundamental e Médio.

Tomou gosto pelas histórias por incentivo de seu avô paterno Levy, que ao lhe contar histórias para dormir, povoou a imaginação do futuro escritor. Seu contato com a cultura japonesa começou já na infância por meio dos mangás e animes. Daí cresceu seu interesse pela arte e cultura do Japão. Foi aluno de desenho do artista plástico lafaietense Paulo Laporte (Com Igor, na foto), que ilustra esta obra.

Este é seu primeiro livro no qual condensa todo esse imaginário oriental transformado em literatura.

O ilustrador

Nascido em Conselheiro Lafaiete, em 17 de julho de 1950, Paulo Sérgio Laporte é um múltiplo artista cuja obra é livroreconhecida não só entre nós, mas em Minas, no Brasil e no exterior. Seu talento brotou na infância quando, aos seis anos, modelou com massa de pão, preparada em casa por sua mãe, um presépio utilizando água e farinha de trigo, que logo seria “devorado” no café da manhã.

Autodidata e amante da cultura oriental (sobretudo a japonesa) ele é desenhista, pintor, restaurador, modelador, além de estudioso e professor do idioma japonês. O artista já realizou exposições em várias cidades com obras espalhadas em países como Espanha, Portugal, Bélgica, Argentina e, é claro, no Japão.

Com apenas 13 anos foi levado a Belo Horizonte por seu pai Francisco Laporte, que apresentou o jovem prodígio ao governador Magalhães Pinto. O artista virou notícia no jornal “Estado de Minas” e, no mesmo período, foi convidado para esculpir a imagem barroca utilizada no filme “A madona de cedro”, da TV Globo.

Pessoa amável e generosa, artista de rigor estético e sensibilidade espiritual, Paulo Laporte é um lume a oferecer esperança de um mundo melhor e mais bonito.

Serviço:
O que: Abertura do Setembro Verde 2017.
Onde: Solar Barão de Suaçuí (rua Barão de Suaçuí, 106, Centro), às 20 horas.
Contatos: 9 9184-0551  /  9 8667-0430.