Após ser atropelado pelo ex de sua namorada, Daniel Dhonata se recupera e planeja projeto de apoio a mulheres que sofrem violência

Daniel ficou 15 dias internado e agora se recupera em casa

No último dia 23 de janeiro, o lutador e professor de Muay Thai, Daniel Dhonata, foi atropelado diversas vezes no bairro Bom Pastor, em Barbacena. O suspeito é o ex de sua namorada. Pouco mais de duas semanas depois, ele agora se recupera de uma cirurgia devido a fratura na perna esquerda e planeja apoiar algum projeto voltado para mulheres que sofreram algum tipo de violência.

Morando em Minas Gerais há um ano, o atleta já está se recuperando em casa. “Fiquei 15 dias internado e agora já estou em casa. Eu fiz a cirurgia e deu tudo certo. Como não foi muito agressiva, acredito que voltarei a competir normalmente, dessa vez mais forte do que antes”, contou ele.

A respeito do projeto, a ideia teve início ainda no hospital quando Daniel começou a receber mensagens de apoio de outras mulheres que sofrem e que já sofreram violência doméstica. “Quando eu estava internado as enfermeiras conversaram comigo e algumas mulheres também me mandaram mensagens relatando que sofriam com isso também e que seria muito legal uma turma feminina de Muay Thai. Eu estou procurando algum lar, abrigo onde eu possa ajudar e pensando em um projeto focado para atender essas pessoas”, declarou Daniel.

O suspeito até o momento permanece foragido. “Não é nada agradável saber que ele ainda está solto. Sempre que saio na rua com a minha família eu sinto medo”, contou o professor, que afirma até hoje não conhecer o rosto de seu agressor.

Relembre o caso

Daniel Dhonata estava com sua namorada e o filho dela em uma lanchonete quando o homem passou pelo local e ficou observando de dentro do carro. Quando chegaram em casa, o suspeito estava estacionado nas proximidades e após a mulher levar o filho para a casa de sua mãe, que ficava por perto, ela encontrou os dois discutindo.

O ex dela então engatou a ré no carro, jogando o veículo em cima do professor. Ele se afastou, ficando próximo do portão de uma casa, momento em que o motorista acelerou novamente e o atingiu, jogando-o no chão. Quando ele se levantou, o suspeito tentou novamente acertá-lo, mas correu para dentro da residência que teve o seu portão derrubado devido às inúmeras investidas contra a vítima.

FOLHA DE BARBACENA

Governo de Minas lança espaço de apoio especializado para mulheres vítimas de importunação e violência sexual no Carnaval

Plantão Integrado Acolhe minas reforça medidas de segurança, suporte psicológico e orientações nos quatro dias de folia

Governo de Minas anunciou, nesta terça-feira (30/1), ação inédita para o Carnaval 2024: o Plantão Integrado Acolhe minas, iniciativa adotada pelo Estado para garantir uma festa segura para todos os mineiros. 

O serviço funcionará, de 10 a 13/2, das 10h às 19h, na sede do Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico (Iepha-MG) – prédio verde -, localizado na Praça da Liberdade, em Belo Horizonte. 

O objetivo do Plantão Acolhe minas é fornecer atenção especial às mulheres que precisem de apoio em situações de violência, especialmente em casos de importunação sexual, tido como o principal tipo de violência nesse período, conforme levantamento da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese).
 

“Acredito que o Acolhe minas seja uma ação inédita no Carnaval do Brasil. Um espaço para dar segurança às mulheres”

Elizabeth Jucá

Secretária de Estado de Desenvolvimento Social


Respeito 

Para o governador, o Acolhe minas é mais uma ação que tem como objetivo fazer do Carnaval um marco no estado.

“Temos o desafio de fazer uma grande festa e isso exige um trabalho em equipe, envolvendo as forças de segurança, Defensoria, Ministério Público, CDL, Sebrae, OAB etc. Queremos em Minas um Carnaval diferenciado dos demais, com um ambiente seguro, um evento estruturado, organizado, respeitoso, acolhedor e confortável, seja para descansar no interior ou para pular e participar da folia. Teremos todas essas opções aqui”, disse o governador. 

Romeu Zema ressaltou ainda que o respeito é a base para um Carnaval melhor. 

“Vamos tomar todas as medidas contra o racismo, a discriminação, o assédio e a importunação sexual. Absolutamente todos precisam e merecem ser respeitados, independentemente de sexo, cor, orientação sexual. Parabéns aos envolvidos neste evento e nesta grande ação que é o Acolhe minas e, em breve, teremos o melhor Carnaval da história de Minas Gerais”, afirmou.

O evento de lançamento do espaço contou com a presença do governador Romeu Zema; da secretária de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese), Elizabeth Jucá; do secretário de Estado de Cultura e Turismo (Secult), Leônidas de Oliveira; da defensora pública-geral de Minas Gerais, Raquel Gomes de Souza; e de outras autoridades.

Acolhe minas

A proposta do Acolhe minas é oferecer, pela primeira vez, um espaço para acolhimento, atendimento psicossocial, suporte emocional, orientação jurídica e encaminhamentos no período de folia. 

E mais que isso: oferecer também um espaço seguro para obter informações sobre os direitos das mulheres e medidas de prevenção para coibir casos de assédio e violência sexual.

Campanhas educativas da Sedese e ações da Polícia Militar estão entre destaques, além da disponibilização de materiais e cartilhas dos parceiros integrados. 

“Acredito que o Acolhe minas seja uma ação inédita no Carnaval do Brasil. Nós teremos aqui psicólogas, representantes do Ministério Público, da Polícia Civil e da Defensoria Pública, prestando toda orientação e acolhimento para vítimas de qualquer importunação.  É um espaço para dar segurança a essas mulheres”, destacou a secretária de Estado de Desenvolvimento Social, Elizabeth Jucá. 

A secretária também reforçou a importância do protocolo Fale Agora, para treinar pessoas dos blocos a identificarem casos de importunação e assédio e prestarem apoio às vítimas.  

“Estamos lançando, hoje, um leque, que será distribuído no Carnaval, e que além de abrandar o calor, tem telefones úteis para que essas mulheres procurem ajuda caso necessário. Estamos também lançando ações contra racismo e LGBTfobia”, completou Jucá.

Atuação

O Plantão Integrado Acolhe minas é coordenado pela Sedese, com participação direta e presencial de instituições como Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), Defensoria Pública de Minas Gerais (DPMG), Polícia Civil (PCMG), Secretaria de Justiça e Segurança Pública (Sejusp), e Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) / Comissão de Enfrentamento à
Violência contra Mulheres. 

Secretaria de Saúde (SES-MG) e a Polícia Militar (PMMG) também contribuirão com os trabalhos do Plantão, a partir do compartilhamento de informações e fluxos de atendimentos às mulheres vítimas de violência sexual.

Cada parceiro vai prestar atendimentos especializados para mulheres maiores de 18 anos, que não sejam vítimas de casos de flagrante em delito, nem que estejam em risco de vida, decorrente do uso/abuso de álcool e/ou outras drogas. 

“Vamos tomar todas as medidas contra o racismo, a discriminação, o assédio e a importunação sexual.  Absolutamente todos precisam e merecem ser respeitados”

Romeu Zema

Governador de Minas Gerais



Confira, a seguir, a listagem dos serviços por instituição:

●    Sedese: coordenação do Plantão, recepção e triagem dos casos, acolhimento/atendimento psicossocial por Psicólogas do Centro de Referência Estadual Risoleta Neves (Cerna);

●    MPMG: atendimento psicossocial, orientação jurídica, apoio no transporte das mulheres para outros serviços da rede da saúde e/ou segurança pública;

●    DPMG: orientação e atendimento jurídicos;

●    OAB/Comissão de Enfrentamento à Violência contra Mulheres: orientação jurídica;

●    PCMG: registro de ocorrências, expedição de pedido de medidas protetivas de urgências (para casos enquadrados na Lei Maria da Penha), expedição de guias do Instituto Médico
Legal (IML) para casos de violência sexual ou outros que necessitem de exame de corpo de delito;

●    Sejusp: em parceria com a UFMG, prestará orientação e informações sobre uso/abuso de álcool e outras drogas;

●    SES-MG: apoio na articulação dos encaminhamentos necessários à Rede da Saúde de Belo Horizonte;

●    PMMG: todos os militares da Patrulha de Prevenção à Violência Doméstica (PPVD) estarão atuando no período do Carnaval, em alinhamento e articulação com o plantão. Além disso, no âmbito da 6ª Cia da PMMG (Rua dos Carijós), haverá um militar de referência (tenente Hamilton), da sala de registros de REDS, para interagir diretamente com o plantão;

●    CBMMG: todos os militares empenhados no Carnaval passaram por treinamento especifico para identificar e acolher possíveis vítimas de violência, especialmente assédio e/ou importunação sexual, garantindo um atendimento com privacidade e respeito. Havendo quaisquer suspeitas de maus-tratos ou violência sexual a qualquer vítima atendida pelos bombeiros militares, a autoridade policial competente será imediatamente acionada para registro.

Encaminhamentos

Os casos que envolverem vítimas menores de 18 anos serão tratados pelo Plantão do Conselho Tutelar de Belo Horizonte (Rua Rio de Janeiro, 1.187 – 8º andar – Centro – Telefone (31) 3277-1912 – Endereço eletrônico: plantaoconselhotutelar@pbh.gov.br).

Já as situações de flagrante delito, com condução do agressor, serão direcionadas à Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Avenida Barbacena, 288 – Barro Preto – BH/MG). 

Além disso, nos casos graves e/ou de risco para a vida da mulher decorrentes de uso/abuso de álcool ou outras drogas e/ou situações mais graves de violência, a conduta será encaminhá-los, em articulação com a SES, à Rede de Atenção da Saúde de Belo Horizonte, de acordo com a especificidade de cada situação.

Outras ações

O Protocolo Fale Agora de enfrentamento à violência sexual nos espaços de lazer e turismo do estado também será uma das ações do Governo de Minas, por meio da Sedese, no Carnaval da Liberdade 2024.

Desenvolvido para ser aplicado em bares, restaurantes, casas noturnas, shows e outras opções de entretenimento, o protocolo foi adaptado para ser utilizado por blocos de Carnaval de Belo Horizonte e do interior do estado, com objetivo de acolher adequadamente possíveis vítimas e encaminhá-las para a rede pública de atendimento (saúde e segurança).  

Além disso, a Sedese ainda vai realizar outras ações. Uma delas é difundir a marchinha de empoderamento feminino Sou Dona de Mim, que estará impressa em leques distribuídos por todo o estado. 

Também serão distribuídas pulseiras de identificação para crianças em meio aos blocos infantis, além da realização do minicurso “Pelo atendimento humanizado: começando no Carnaval, para se fazer habitual”. 

O minicurso – on-line – tem duas horas de duração e é destinado ao público em geral, em especial a agentes das prefeituras, policiais e promotores de eventos e demais profissionais que vão trabalhar com o público no Carnaval. 

O conteúdo expõe temas como violência, racismo, LGBTfobia e capacitismo. Além disso, abordará o atendimento humanizado como ferramenta fundamental durante o evento. As inscrições já podem ser feitas pelo link: ser-dh.mg.gov.br/inscricao.

Parceiros de divulgação

O Plantão Acolhe minas conta, também, com o apoio do setor privado e de organizações da sociedade civil para divulgação das ações. São apoiadores: Cemig, CDL-BH, Grupo Mulheres do Brasil, Gellak Alimentos, Pif Paf Alimentos e Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel).

FONTE AGÊNCIA MINAS

Universidades federais buscam apoio para evitar cortes de recursos

Projeto aprovado no Congresso prevê R$ 5,9 bilhões em 2024 ante os R$ 6,2 bilhões de 2023; reitores buscam bancada mineira para recompor perdas orçamentárias

Os cortes nas verbas destinadas às universidades, centros e institutos federais de ensino superior previstos no Projeto de Lei Orçamentária Anual (PLOA) 2024, aprovado no fim de dezembro pelo Congresso Nacional, motivaram a mobilização de representantes dessas entidades em todo o Brasil, mesmo antes do texto ser sancionado pelo presidente Lula (PT).

Em Minas, das 18 instituições de ensino superior federais reconhecidas pelo Ministério da Educação (MEC), pelo menos 12 pressionam o governo federal e a bancada mineira pela reversão dos cortes. O movimento é capitaneado pela Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes) e do Fórum das Instituições Públicas de Ensino Superior do Estado de Minas Gerais (Foripes-MG).

Em números absolutos levantados pela Andifes, o orçamento das universidades federais brasileiras deve recuar dos R$ 6,2 bilhões de 2023 para R$ 5,9 bilhões neste ano. A associação divulgou nota reivindicando a recomposição de, “no mínimo, R$ 2,5 bilhões no orçamento aprovado pelo Congresso para o funcionamento das universidades federais em 2024”.

Para a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), as cifras diminuiriam de R$ 2,34 bilhões para R$ 2,19 bilhões em caso de sanção do orçamento aprovado no Congresso.

A UFMG conta com mais de 40 mil estudantes e é referência em pesquisa – como as que resultaram na criação da SpiN-TEC, primeiro imunizante totalmente produzido em território nacional contra a Covid-19; e a Calixcoca, vacina utilizada no tratamento da dependência química de cocaína e crack.

Segundo a professora Sandra Goulart Almeida, reitora da UFMG, a expectativa inicial de queda no orçamento era de 1% das instituições, mas o índice consolidado variou de 6% – caso da UFMG – a 10%.

“Estamos conversando com toda a bancada mineira, senadores Carlos Viana, Rodrigo Pacheco, inclusive pedimos uma reunião com ele. Estamos acionando todos os parlamentares, que estão muito sensíveis, têm sido muito parceiros e reconhecem a importância das universidades federais para o Estado”, comentou Sandra.

A dirigente da UFMG também avaliou que, se antes, com o corte de 1%, haveria prejuízos na aquisição de insumos básicos como gêneros alimentícios e produtos de limpeza, além de dificuldades no pagamento das contas de água e energia; agora, com o corte chegando a 6%, as atividades-fim da instituição, de ensino, pesquisa e extensão, também podem ser impactadas.

Sandra pontuou que, na prática, os prejuízos serão sentidos nos “investimentos em laboratórios, equipamentos e para manutenção da universidade em termos de instrumentos, além de afetar também toda a parte de custeio daquilo que precisamos para manter a universidade funcionando, tudo isso pode ficar comprometido se não houver recomposição”.

Mesmo diante do cenário complexo, ela acredita em um desfecho positivo, principalmente considerando o papel das universidades federais para o desenvolvimento econômico e social do país.

“Esperamos com muita ansiedade que os cortes sejam revertidos, porque eles realmente causariam um impacto muito grande, por isso também seguimos nesse movimento, de todas as formas possíveis, uma delas por meio da interlocução com o Ministério da Educação, para conseguirmos essa recomposição orçamentária ao longo do ano”, concluiu a professora.

Além da UFMG

Em Minas, além da UFMG, outras instituições de ensino superior federais relataram à reportagem o que pode acontecer a partir dos cortes orçamentários. Para a professora Carla Chamon, diretora-geral do Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (Cefet-MG), o impacto será enorme em várias áreas. Por lá, onde há 18 mil estudantes, o orçamento passou de R$ 58.599.277 em 2023 para uma projeção de R$ 56.315.184 neste ano.

“Essa situação prejudica não só o pagamento de despesas básicas como água, limpeza e segurança, mas impacta também os estudantes, que necessitam da alimentação escolar e das bolsas de assistência, sem falar das várias obras de infraestrutura, como reformas prediais e construção de restaurantes, laboratórios e ginásio poliesportivo, por exemplo, que não foram feitas em razão dos sucessivos cortes ao longo dos últimos anos”, explicou a gestora.

Outro exemplo é o do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Minas (IFMG), que atende 20.340 estudantes e teve o orçamento reduzido de R$ 69.863.654 para R$ 61.997.918 entre o ano passado e este ano, dificultando o custeio básico do funcionamento, já que o orçamento não acompanha os índices de reajuste aplicados a contratos de limpeza, vigilância e manutenção.

Para o reitor do IFMG, professor Rafael Bastos, o ano de 2024 “será uma grande batalha”. Ele menciona a necessidade de “lutar em prol da recomposição orçamentária, porque ao mesmo tempo em que cresce o número de matrículas, temos perdido muito na capacidade de investir em ensino, pesquisa e extensão, o que atrapalha o desenvolvimento do nosso principal objetivo, que é formar estudantes”.

Na Universidade Federal de Alfenas (Unifal), no Sul do Estado, onde as verbas foram reduzidas de R$ 45.996.327 para R$ 44.936.926, a reitoria destacou que o recebimento de recursos ao longo do ano, com a distribuição de emendas parlamentares, por exemplo, é incerto, já que não há divulgação de valores nem perspectiva de alcançar o montante necessário para o funcionamento da instituição. Quanto ao prazo para um desfecho, a Unifal informou, por meio de nota, que depende “da confirmação e da disponibilidade efetiva de recursos ao longo do exercício”.

FONTE O TEMPO

Casa Civil destaca Programa de apoio a pessoas com deficiência e doenças raras, ampliação do teste do pezinho e missões internacionais em 2023

Secretaria assinou também 60 instrumentos para captar quase R$ 260 milhões em recursos para diversas áreas do estado

Em pouco mais de seis meses de funcionamento, a Secretaria de Estado da Casa Civil lançou o Programa Mineiro de Acessibilidade, Inclusão e Saúde, Promais, para desenvolver ações do Estado em prol das pessoas com deficiência e doenças raras em Minas Gerais. Além de assinar 60 instrumentos para captar quase R$ 260 milhões em recursos para diversas áreas no estado.

Para o secretário-chefe de Estado da Casa Civil, Marcelo Aro, apesar de recente, os poucos meses de trabalho já mostram a relevância da Casa Civil para o desenvolvimento de Minas Gerais. “Lançamos o Promais para centralizar e melhorar o atendimento e acesso à saúde, educação das pessoas com doenças raras e deficiências. Dentro do programa, vamos ampliar a Triagem Neonatal, incluindo o diagnóstico de três outras doenças no sistema de saúde de Minas. Conseguimos captar recursos e trouxemos investimentos para o estado. Além de estreitar, ainda mais, o relacionamento de Minas Gerais com países parceiros, como China, Japão e Estados Unidos da América. Foram poucos meses de trabalho, mas que já podemos ver resultados positivos para Minas e na vida dos mineiros”, destaca o secretário-chefe.

A pasta, criada após a publicação do Decreto nº 48.628, em maio deste ano, é responsável por apoiar no relacionamento institucional do governo em todos os níveis, propondo a integração da ação governamental.

É de competência da SCC, a articulação do Executivo estadual com o Governo Federal, o relacionamento com os órgãos de controle externo, como o Ministério Público e o Tribunal de Contas de Minas Gerais. A Casa Civil também é encarregada de promover o diálogo da sociedade civil com a administração pública, captar recursos junto ao poder Executivo e entidades privadas, além de articular parcerias nacionais e internacionais.

Promais

Antes da criação da Secretaria de Estado da Casa Civil, as ações do Governo de Minas para as famílias e pessoas com deficiência eram descentralizadas, onde cada pasta era responsável por um tipo de atendimento. Com a Reforma Administrativa, a porta de entrada para o acesso aos serviços como saúde e educação desses mineiros se tornou a Casa Civil.

O Programa Mineiro de Acessibilidade, Inclusão e Saúde, Promais, reúne todas as ações elaboradas pelo Governo de Minas em prol das pessoas com deficiência e com doenças raras, e foi lançado em novembro deste ano.

Serão criados 31 parques multissensoriais para aprimorar a rede de cuidados à pessoa com deficiência, no SUS, com destaque para usuários de reabilitação intelectual do Transtorno de Espectro Autista (TEA), em 27 cidades mineiras.

Ao todo serão investidos R$ 9,3 milhões nas construções dos parques que serão implantados nas Apaes ou outros locais habilitados como Centro Especializado em Reabilitação (CERs).

Também será ampliado o Programa de Triagem Neonatal de Minas Gerais a partir do próximo ano. Com isso, três novos diagnósticos estarão disponíveis, como: a Atrofia Muscular Espinhal (AME); Imunodeficiência Primária Combinada Grave (SCID – Severe Combined Immunodeficiency); e Agamaglobulinemia.

Ainda na luta da SCC pelas pessoas com doenças raras e com deficiência, estão: um ACT com a Defensoria Pública, que permite a de um fluxo de comunicação entre as duas instituições para acelerar o atendimento das demandas das pessoas com doenças raras em Minas; até o momento, 12 famílias já foram assistidas pelo programa.

Alguns exemplos de atendimentos são para pessoas com Atrofia Muscular Espinhal (AME), Síndrome de Prader-Willi, Síndrome Angelman, Síndrome de Cornélia de Lange, Síndrome de Coffin-Siris e Síndrome de Patau.

Missões internacionais

Após a criação da Secretaria de Estado da Casa Civil, quatro missões internacionais foram organizadas para os Estados Unidos da América, Portugal, Áustria, Itália, China e Japão com foco em atrair investimentos e empregos para os mineiros, além de parcerias institucionais, totalizando R$ 2,9 bilhões em recursos atraídos, em 2023..

Três importantes acordos internacionais foram firmados entre o Governo de Minas com China, Estados Unidos e Japão com o apoio e organização da Casa Civil.

O mais recente reafirma a parceria entre Minas e EUA no fomento ao intercâmbio e ao desenvolvimento do estado. No último ano, Minas foi o 3º maior estado exportador para os Estados Unidos da América, totalizando US$ 4,1 bilhões de produtos brasileiros. Já nas importações, o Estado foi o 6º maior importador brasileiro.

Em novembro, dois acordos de cooperação foram assinados. O Governo de Minas e a Província de Yamanashi, no Japão, firmaram um convênio de intercâmbio de tecnologias e culturas, que visa reduzir as emissões de gases do efeito estufa, causadores do aquecimento global. Com a assinatura do documento, fica estabelecido ações que busquem a cooperação promovendo o uso de energias renováveis, como o hidrogênio verde a partir da geração de energia fotovoltaica, produzido pelos japoneses.

Como Minas Gerais é o maior produtor de energia solar do Brasil, com 7 gigawatts e uma capacidade de chegar a 30 gigawatts, o estado tem um cenário ideal para desenvolver essa tecnologia. O hidrogênio verde substitui o gás natural utilizado em algumas indústrias para gerar energia.

Ainda em missão internacional pelo continente asiático, mais um acordo foi assinado, desta vez, em Xangai, na China. O despacho autoriza a construção de uma unidade industrial da Celer Biotecnologia em parceria com a empresa chinesa Guangzhou Wondfo Biotech, em Montes Claros, no Norte do estado.

O investimento previsto é de R$17 milhões no período de 2023 a 2026, além de gerar cem novos postos de empregos para os mineiros.

Já na província chinesa de Jiangsu foi celebrado o 27º aniversário do estabelecimento das relações entre o Governo de Minas, na cidade de Nanjing. A empresa XCMG, de Jiangsu, é um exemplo dessa boa relação entre as regiões. Ela está instalada em Pouso Alegre, no Sul de Minas, há nove anos e já investiu mais de R$1 bilhão. Fora isso, anunciou a expansão com uma nova linha de montagem de caminhões elétricos, durante o encontro.

Por fim, elabora uma proposta para que Minas Gerais receba a Copa do Mundo de Futebol Feminino em 2027.

Captação de recursos 

A SCC captou R$ 259,7 milhões em recursos para o estado em diversas áreas a partir da assinatura de 60 instrumentos de convênios e congêneres.

Na promoção de projetos e obras para Minas Gerais, foram arrecadados R$ 4,3 bilhões de recursos em convênios. Desses, R$ 1,3 bilhão foram empregados nas áreas da saúde, educação, cultura e segurança pública no estado.

A SCC também elaborou uma carteira de projetos para o Programa de Sustentabilidade Fiscal, Eficiência e Eficácia do gasto público com o Banco Mundial. A carta foi apresentada à Comissão de Financiamento Externo (Cofiex), órgão colegiado do Ministério do Planejamento e Orçamento do Governo Federal e aguarda aprovação para início da execução em 2024. A operação prevê o financiamento em US$ 100 milhões para projetos nos setores de saúde, previdência, recursos humanos, compras públicas, educação e assistência social.

Ademais, a Secretaria de Estado da Casa Civil assinou um protocolo de intenções para execução de projetos prioritários de Minas Gerais em conjunto com o Tribunal de Justiça de Minas Gerais. O portfólio apresentado visa a captação de R$ 56 milhões em recursos cooperados na segurança pública e desenvolvimento social.

Em Brasília

O escritório da SCC representa o Governo de Minas no Poder Executivo Nacional na capital brasileira. Foram cerca de 20 reuniões com Ministérios e diversas conexões. O objetivo não é apenas para atrair recursos para Minas Gerais, mas também para atender as mais de 100 audiências realizadas até o momento.

Com a bancada de deputados federais foram arrecadados R$ 36 milhões em recursos para Minas Gerais.

Mesa de diálogo

A Secretaria de Estado da Casa Civil também é responsável por acompanhar a mediação de conflitos em Minas Gerais. Em 2023, foram mediadas 72 divergências fundiárias de forma justa e eficiente, sempre buscando um equilíbrio entre o estado e a sociedade.

Um exemplo é a regularização da Ocupação Izidora após dez anos de negociações, onde vivem cerca de 30 mil pessoas.

PAC

No Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), a Secretaria da Casa Civil apresentou um portfólio de projetos de aproximadamente R$ 6 bilhões para viabilizar, junto ao Ministério da Casa Civil, recursos para educação, mobilidade urbana, regulação fundiária, ciências e tecnologia, infraestrutura social inclusiva e outros.

FONTE AGÊNCIA MINAS

Prefeitura apoia movimentos culturais em Congonhas

Os movimentos culturais ajudam a preservar e promover a identidade de uma comunidade. Diante disso, a Prefeitura de Congonhas sempre apoia tradições locais, artes, música, dança, literatura e outras expressões culturais que são importantes para a diversidade e riqueza dos congonhenses.

No último fim de semana, aconteceu o 1º Encontro da Folia de Santa Quitéria e Menino Jesus. O encontro contou com a participação de oito grupos da região sendo eles da cidade de Catas Altas, do povoado de Rancho Novo e do bairro Paulo VI de Conselheiro Lafaiete, Folia Ouro Branco, Folia de São José, Folia do Menino Jesus, Folia do Alto Maranhão, e a anfitriã, Folia de Santa Quitéria. A programação contou com procissões, celebrações, apresentações dos grupos e entregas de troféus.

Folia de Reis

A Folia de Reis é importante culturalmente e representa uma tradição folclórica e religiosa. Ela celebra a visita dos três Reis Magos ao Menino Jesus, promovendo união comunitária e preservação de costumes históricos.

Por Letícia Tomaino / Fotos: Divulgação

Prefeitura apoia movimentos culturais em Congonhas

Os movimentos culturais ajudam a preservar e promover a identidade de uma comunidade. Diante disso, a Prefeitura de Congonhas sempre apoia tradições locais, artes, música, dança, literatura e outras expressões culturais que são importantes para a diversidade e riqueza dos congonhenses.

No último fim de semana, aconteceu o 1º Encontro da Folia de Santa Quitéria e Menino Jesus. O encontro contou com a participação de oito grupos da região sendo eles da cidade de Catas Altas, do povoado de Rancho Novo e do bairro Paulo VI de Conselheiro Lafaiete, Folia Ouro Branco, Folia de São José, Folia do Menino Jesus, Folia do Alto Maranhão, e a anfitriã, Folia de Santa Quitéria. A programação contou com procissões, celebrações, apresentações dos grupos e entregas de troféus.

Folia de Reis

A Folia de Reis é importante culturalmente e representa uma tradição folclórica e religiosa. Ela celebra a visita dos três Reis Magos ao Menino Jesus, promovendo união comunitária e preservação de costumes históricos.

Por Letícia Tomaino / Fotos: Divulgação

Gerdau apoia a 1ª edição da Oficina da Cerâmica Santana

Curso gratuito acontece em Miguel Burnier, distrito de Ouro Preto, e promove além das aulas, palestras e exposições

No período de 7 de novembro a 14 de dezembro, acontece a 1ª edição da Oficina da Cerâmica Santana em Miguel Burnier, distrito de Ouro Preto (MG).  Este projeto é realizado por meio da Lei Estadual de Incentivo à Cultura de Minas Gerais, com incentivo da Gerdau.

As aulas, gratuitas, serão conduzidas pelos ceramistas e artistas plásticos Alex Santana e Maicon Souza, da Cerâmica Santana, que produz peças para renomados restaurantes do Brasil.  As inscrições para participar estão abertas e podem ser realizadas presencialmente no Centro de Convivência Nossa Casa até 6 de novembro, local que também sediará as aulas. As vagas são limitadas. 

A oficina será realizada sempre às terças e quintas-feiras, com o objetivo de capacitar os alunos com técnicas de criação de cerâmicas. Além das aulas, a programação ainda conta com duas palestras, a serem realizadas por profissionais do mercado visando o aprimoramento profissional dos alunos. E quatro mostras onde serão expostas as cerâmicas produzidas pelos participantes, com a possibilidade de comerciá-las. Todas as aulas e palestras contarão com intérprete de libras.

CERÂMICA SANTANA

A Cerâmica Santana, primeiro ateliê-escola de cerâmica em funcionamento dentro de uma vila de periferia no país, busca trazer de volta a prática da cerâmica para as comunidades tradicionais. O ateliê trabalha com o manuseio do barro para produção de peças artísticas e utilitárias, arte tradicionalmente popular, que hoje está bastante restrita a escolas de acesso restrito à população de baixa renda. Além de incentivar a produção artesanal, o objetivo da oficina também é trabalhar para a geração de trabalho e renda nas vilas e favelas.

“Detectamos um potencial enorme de geração de trabalho e renda, por meio da cerâmica, que faz parte da história de Ouro Preto e região. Além de poderem desenvolver as suas aptidões, os alunos terão a oportunidade de participar em eventos com grande circulação de público, para que as obras tenham vazam e possam ganhar o mundo. É muito importante esse tipo de incentivo realizado pela Gerdau, por meio da Lei Estadual de Incentivo à Cultura. Esperamos que seja a primeira edição de muitas”, afirma Leonardo Beltrão, da Através – Gestão cultural – uma das empresas envolvidas no projeto. 

Sobre Alex Santana

A história da Cerâmica Santana se mistura à de seu principal ceramista, o artista Alex Santana, que começou com a arte por meio de uma organização sem fins lucrativos de Belo Horizonte, a ONG Contato. Junto ao irmão Maicon Souza, o artista cria peças descontraídas, inspiradas em cores, referências e formas do cotidiano que são comercializadas em renomados restaurantes do Brasil. 

SERVIÇO
1ª Edição Oficina Cerâmica Santana
Inscrições até 6 de novembro – Vagas Limitadas
Data de realização: de 7 de novembro a 14 de dezembro
Horário: Todas as terças e quintas-feiras
Local: Centro de Convivência Nossa Casa

Gerdau apoia a 1ª edição da Oficina da Cerâmica Santana

Curso gratuito acontece em Miguel Burnier, distrito de Ouro Preto, e promove além das aulas, palestras e exposições

No período de 7 de novembro a 14 de dezembro, acontece a 1ª edição da Oficina da Cerâmica Santana em Miguel Burnier, distrito de Ouro Preto (MG).  Este projeto é realizado por meio da Lei Estadual de Incentivo à Cultura de Minas Gerais, com incentivo da Gerdau.

As aulas, gratuitas, serão conduzidas pelos ceramistas e artistas plásticos Alex Santana e Maicon Souza, da Cerâmica Santana, que produz peças para renomados restaurantes do Brasil.  As inscrições para participar estão abertas e podem ser realizadas presencialmente no Centro de Convivência Nossa Casa até 6 de novembro, local que também sediará as aulas. As vagas são limitadas. 

A oficina será realizada sempre às terças e quintas-feiras, com o objetivo de capacitar os alunos com técnicas de criação de cerâmicas. Além das aulas, a programação ainda conta com duas palestras, a serem realizadas por profissionais do mercado visando o aprimoramento profissional dos alunos. E quatro mostras onde serão expostas as cerâmicas produzidas pelos participantes, com a possibilidade de comerciá-las. Todas as aulas e palestras contarão com intérprete de libras.

CERÂMICA SANTANA

A Cerâmica Santana, primeiro ateliê-escola de cerâmica em funcionamento dentro de uma vila de periferia no país, busca trazer de volta a prática da cerâmica para as comunidades tradicionais. O ateliê trabalha com o manuseio do barro para produção de peças artísticas e utilitárias, arte tradicionalmente popular, que hoje está bastante restrita a escolas de acesso restrito à população de baixa renda. Além de incentivar a produção artesanal, o objetivo da oficina também é trabalhar para a geração de trabalho e renda nas vilas e favelas.

“Detectamos um potencial enorme de geração de trabalho e renda, por meio da cerâmica, que faz parte da história de Ouro Preto e região. Além de poderem desenvolver as suas aptidões, os alunos terão a oportunidade de participar em eventos com grande circulação de público, para que as obras tenham vazam e possam ganhar o mundo. É muito importante esse tipo de incentivo realizado pela Gerdau, por meio da Lei Estadual de Incentivo à Cultura. Esperamos que seja a primeira edição de muitas”, afirma Leonardo Beltrão, da Através – Gestão cultural – uma das empresas envolvidas no projeto. 

Sobre Alex Santana

A história da Cerâmica Santana se mistura à de seu principal ceramista, o artista Alex Santana, que começou com a arte por meio de uma organização sem fins lucrativos de Belo Horizonte, a ONG Contato. Junto ao irmão Maicon Souza, o artista cria peças descontraídas, inspiradas em cores, referências e formas do cotidiano que são comercializadas em renomados restaurantes do Brasil. 

SERVIÇO
1ª Edição Oficina Cerâmica Santana
Inscrições até 6 de novembro – Vagas Limitadas
Data de realização: de 7 de novembro a 14 de dezembro
Horário: Todas as terças e quintas-feiras
Local: Centro de Convivência Nossa Casa

Dr.Júlio Barros participa da reunião do PSD e tem praticamente fechado o apoio a sua Pré -Candidatura a Prefeito

O PSD (Partido Social Democrata) de Lafaiete Partido do Presidente do Senado Rodrigo Pacheco , praticamente fechou na noite desta 2ª feira (23.outubro.2023) após reunião bastante movimentada, apoio à pré-candidatura do ex- Prefeito Dr Júlio Almeida Barros (Rede)ao governo Municipal em 2024, pode ter como pré – Candidato a vice o empresário Aloísio Rezende ou mesmo como pré candidato a prefeito após pesquisas que serão realizadas pelo partido, e quem estiver liderando a pesquisas será o Candidato, até poderá ter a inversão da chapa.

Dr Júlio participou da Reunião do PSD, e trouxe muita informações aos participantes e falou de negociação de vários partidos que já o procuraram, e dando seu apoio ao seu nome para disputar ao pleito eleitoral do próximo ano. O partido Rede vem conversando com outras legendas, assim falou Dr Júlio.

O PSD ,vem reunindo geralmente as segundas feiras, onde são feitas as tratativas do partido para ouvir seus membros e discutir as estratégias para a campanha eleitoral do próximo ano.

O partido vem tento também apoio do Deputado Estadual Delegado Christiano Xavier, que tem raízes aqui na cidade, onde nasceram seus pais e avós.

(Membros da executiva do PSD)

O PSD tem hoje 42 Deputados Federais e 15 Senadores, o partido terá um bom tempo nos programas de rádio e TV e recursos Financeiros bastante expressivos com as verbas do Fundo Partidário.

FONTE PARTICIPE-POVO

Dr.Júlio Barros participa da reunião do PSD e tem praticamente fechado o apoio a sua Pré -Candidatura a Prefeito

O PSD (Partido Social Democrata) de Lafaiete Partido do Presidente do Senado Rodrigo Pacheco , praticamente fechou na noite desta 2ª feira (23.outubro.2023) após reunião bastante movimentada, apoio à pré-candidatura do ex- Prefeito Dr Júlio Almeida Barros (Rede)ao governo Municipal em 2024, pode ter como pré – Candidato a vice o empresário Aloísio Rezende ou mesmo como pré candidato a prefeito após pesquisas que serão realizadas pelo partido, e quem estiver liderando a pesquisas será o Candidato, até poderá ter a inversão da chapa.

Dr Júlio participou da Reunião do PSD, e trouxe muita informações aos participantes e falou de negociação de vários partidos que já o procuraram, e dando seu apoio ao seu nome para disputar ao pleito eleitoral do próximo ano. O partido Rede vem conversando com outras legendas, assim falou Dr Júlio.

O PSD ,vem reunindo geralmente as segundas feiras, onde são feitas as tratativas do partido para ouvir seus membros e discutir as estratégias para a campanha eleitoral do próximo ano.

O partido vem tento também apoio do Deputado Estadual Delegado Christiano Xavier, que tem raízes aqui na cidade, onde nasceram seus pais e avós.

(Membros da executiva do PSD)

O PSD tem hoje 42 Deputados Federais e 15 Senadores, o partido terá um bom tempo nos programas de rádio e TV e recursos Financeiros bastante expressivos com as verbas do Fundo Partidário.

FONTE PARTICIPE-POVO

about

Be informed with the hottest news from all over the world! We monitor what is happenning every day and every minute. Read and enjoy our articles and news and explore this world with Powedris!

Instagram
© 2019 – Powedris. Made by Crocoblock.