Vereadores defendem mais empresas no transporte coletivo e meia passagem em Lafaiete

16
Vereador Pastor Boaventura/Foto:Arquivo
Vereador Pastor Boaventura/Foto:Arquivo

“Se ela não cumpre, o certo é rescindir o contrato. O próximo prefeito tem de rever isso”. Assim reagiu o vereador Pastor Boaventura (PSDB) durante as discussões na sessão de ontem à noite na Câmara quando a empresa Presidente, concessionária do transporte público, foi novamente alvo de intensas e duras críticas pela má qualidade do serviço prestado.

A empresa esteve no centro do debate já que a Câmara aprovou um projeto que vai obrigar a concessionária instalar nos abrigos e pontos de paradas sistema de iluminação.

Vereador Sandro José
Vereador Sandro José

O autor do projeto, o vereador Sandro José (PSDB), justificou que a intenção é levar segurança aos usuários. “Assim o cidadão vai ter segurança e vamos afugentar os bandidos”, assinalou.

Vereador João Paulo Pé Quente
Vereador João Paulo Pé Quente

Mas os inflamados debates em torno projeto renderam críticas a Presidente e geraram desconfiança que ela vá cumprir a nova lei. “Ela não cuida nem dos abrigos dos quais ela é responsável imagina colocar iluminação? Acredito que a empresa vai jogar os custos deste benefício no preço passagem”, questionou Pé Quente (DEM). “Se a Presidente não cumprir vamos ver realmente que ela não tem boa vontade com os lafaietenses e concluir que ela pensa só no lucro”, rebateu Sandro.

Vereador Gildo Dutra/Arquivo
Vereador Gildo Dutra/Arquivo

Gildo Dutra (PV) considerou que o projeto não seria de competência do Legislativo. “Este projeto de colocação de luz nos pontos não está no contrato e a empresa não vai cumprir”, comentou Pedro Américo (PT).

Vereador Benito Laporte/Arquivo
Vereador Benito Laporte/Arquivo

O vereador Benito Laporte (PROS) lembrou que em seu plano de governo um dos itens seria uma nova licitação para a vinda de uma nova empresa de transporte coletivo. “Seria um meio de ampliar a concorrência e melhorar os serviços. Vamos ver se o próximo prefeito pense nos cidadãos mais pobres que usam o transporte público”, sugeriu. “O monopólio não faz bem. Lafaiete tem hoje em torno de 180 mil pessoas, juntando a população flutuante. Passou da hora de termos uma outra empresa operando na cidade”, frisou.

Vereador Zezé do Salão (PMN)/Arquivo
Vereador Zezé do Salão (PMN)/Arquivo

O vereador Zezé do Salão (PMN) comentou que por diversas vezes dirigentes estiveram na Câmara, porém não há boa vontade da empresa em melhorar o serviço. “Vieram aqui e somente prometeram. Isso para engalobar os lafaietenses”, criticou.

Meia passagem

Em meio às discussões, o vereador João Paulo Pé Quente disse que prepara para ainda este ano a entrada em pauta do projeto de meia passagem.