22 de junho de 2024 19:15

A pedido da Via 040, Justiça suspende ato de prefeitos contra mortes em acidentes e construção da via do minério: “vamos resistir”, desfafaram

Os prefeitos da região reagiram com revolta à decisão da Justiça Federal, publicada na noite de ontem (13), em caráter ade Liminar suspendendo a manifestação “Ato em Defesa da Vida” que seria promovida nesta terça-feira (14) no pedágio 9 na BR 040 contra alto índice de acidentes automobilísticos inclusive na BR 356 e pela construção da via do minério para retriada de carretas e caminhões da rodovia. A frustração foi seguida da postura de resistência.

Pela Liminar os réus Ângelo Oswaldo (Prefeito de Ouro Preto), Hélio Campos (Prefeito de Ouro Branco) e o prefeito de Itabirito, Orlando Caldeira poderiam, caso mantenham o movimento, ser punidos com uma multa pecuniária  no valor de R$ 10 mil ao dia por descumprimento e de R$5 mil por terceiros identificados violando a decisão judicial de qualquer interdição da rodovia

A decisão da Via 040 de impedir a manifestação levanta questões sobre a liberdade de expressão e o direito de manifestação, enquanto a comunidade continua a pressionar por melhorias nas rodovias da região. Na semana passada, a rodovia tirou a vida de 5 pessoas em acidentes.

Reação

O prefeito de Itabirito, Orlando Caldeira (Cidadania), lamentou a decisão em um vídeo divulgado nas redes sociais nesta segunda-feira (13). Ele afirmou que o movimento pacífico, que não paralisaria a BR-040, será realizado em outro local e em outra data.

“Não vamos permitir que mais vidas sejam perdidas nessas rodovias. Estamos pagando pedágio há mais de oito anos e não temos uma rodovia. Todos os prefeitos estão unidos. Não íamos paralisar a rodovia, íamos fazer um abraço e homenagear as pessoas que já morreram nesta via, e não queremos que outros morram. Vamos firmes nesta luta”, disse o prefeito Orlando Caldeira.

Prefeitois e lideranças vão se reunir em um ato pela vida em frente a prefeitura de Itabitiro nesta manhã /Foto: Sou Notícia

Já o Prefeito de Ouro Branco, que passou grande parte da segunda-feira reunido com representante da Via 040 e Polícia Rodoviária Federal, para tratar de detalhes da manifestação, ressaltou sua surpresa com a Liminar. “Seria um ato ordeiro sem atrapalhar o trânsito da rodovia. Iríamos respeitar o direito de ir e vir. Mas fomos surpreendidos da decisão inclusive contra a nós prefeitos com multa de R$ 10 mil. Nossa luta não foi em vão e não vamos desistir de sensibilizar a região pelas vítimas da BR 040”, salientou.

Hélio adiantou que no próximo dia 29 haverá uma reunião no Ministério Público de Minas Gerais, através de um Grupo de Trabalho (GT 040) da AMIG,  responsável pela proposta, busca a criação da “rodovia do minério” como forma de reduzir o tráfego de caminhões de minério e os índices de acidentes e óbitos nas BR-040 e BR-356.

O GT é composto pela Associação dos Municípios da Microrregião do Alto Paraopeba (Amalpa) e CODAP (Consórcio Público e Desenvolvimento do Alto Parapoeba). As vias alternativas para a “rodovia do minério” já existem, mas não são asfaltadas. O edital para nova concessão da R 040 está marcado para dia 14/12.

Mais Notícias

Receba notícias em seu celular

Publicidade