13 de julho de 2024 16:08

Associação do Sem Casa conquista 36 moradias rurais e se torna referência na região

Assinatura do contrato com a Caixa dará início à construção das casas com recursos do Programa Minha Casa Minha Vida, viabilizados por intermédio da Amsca

AMSCA é pioneira na região pela luta pela moradia e dignidade

A vida dos lavradores Meire Ferreira da Fonseca, 37, e Vanderlei Amaro Costa, 40, ganhou novos contornos no dia 9 de maio. O casal integra as 36 famílias contempladas com uma moradia rural no conjunto Manoelina dos Coqueiros, do programa Minha Casa Minha Vida, cuja assinatura dos contratos foi viabilizada pelo trabalho da Associação dos Moradores Sem Casa (Amsca), de Entre Rios de Minas, após anos de esforço. “Apesar de todas as dificuldades, agora vamos poder criar nossos filhos em nossa propriedade”, diz o lavrador que reside na Serra do Camapuã.

Em um encontro que reuniu os beneficiários e apoiadores do projeto, realizado na sede da entidade, no Bairro Padre Victor, era notória a emoção e a satisfação das famílias contempladas. Com a presença de autoridades, foi possível formalizar a assinatura do contrato com a Caixa Econômica Federal para tornar real um sonho que para muitos era distante: o direito a ter uma moradia digna.

Beneficiários do novo programa habitacional em Entre Rios

“A Amsca já havia me ajudado na reforma da casa,de dois cômodos, onde moro hoje com minha mãe, minha tia e meus dois filhos. Agora vou poder ter a minha própria casa, para viver com minhas crianças, bem perto da minha mãe. É um sonho realizado”, conta Elisângela Apolinário Silva, 27, irmã de Cleusa Apolinário Andrade, 36, ambas beneficiárias, moradora da comunidade do Colônia. As famílias contempladas são residentes nas comunidades dos Coelhos, São José das Mercês, Pedra Negra, Gameleiras, Taquaril, Serra do Camapuã e Colônia.

A conquista não foi fácil. Dentro do Programa Nacional de Habitação Rural (PNHR), criado em 2009, a iniciativa chegou a ser colocada em risco por diversas vezes, comprometendo o sonho das 36 famílias a serem contempladas. Já às vésperas da assinatura do contrato com a Caixa, a Amsca inclusive chegou a ser informada de que esta formalização não ocorreria, dados os entraves burocráticos que foram impostos.

Francelina é umas das 36 beneficiárias do programa; ela é prima da santa Manoelina dos
Coqueiros, que dá nome ao empreendimento

“Diante dessa notícia, fomos atrás do prefeito José Walter, que se colocou à disposição para nos ajudar, entrou em contato pessoalmente com a caixa e não deixou que perdessemos o projeto. Da região, apenas Entre Rios conseguiu. E um valor de R$ 1.292.400,00 será movimentado pela Amsca para a construção dessas casas, R$ 35.900 por unidade”, relatou a arquiteta Helena Marchisotti de Sousa, quem vem atuando na Amsca desde 2012.

Em nome da diretoria, a fundadora da associação, Sandra de Assis Reis, conduziu a solenidade de assinatura, apresentando toda a equipe que trabalhou e continuará trabalhando pelo projeto. Destacou a soma de esforços entre os associados, a Prefeitura Municipal, a Câmara Municipal com aprovação dos projetos que autoriza máquinas do Município a fazerem o acesso às propriedades, além de muitos membros da sociedade civil que darão apoio técnico às famílias. “É um momento de muita alegria, resultado de um grande esforço para se garantir o acesso à moradia popular”, disse.

Com a assinatura do contrato com a Caixa, as famílias beneficiárias terão agora que apresentar à Amsca um pedreiro para conhecer o projeto das casas, que derão ser erguidas no prazo de 12 meses. Passam também a se comprometer com a contratação de um servente e o pagamento de 4 parcelas anuais, as quais correspondem ao total de 4% do subsidio oferecido para construção,ampliação ou reforma das casas. Os beneficiários voltam a se reunir no dia 25 de maio, sexta-feira.

Mais de 150 famílias contempladas em  25 anos

Sandra Assis é uma das baluartes pela causa dos sem teto

Com a fomalização dos contratos, a Amsca acumula mais um grande resultado em torno da política de habitação em Entre Rios de Minas. Além das 36 residências de 47 m² , compostas de dois quartos, sala, banheiro, cozinha e área de serviço, o projeto já teve outras conquistas ao longo dos seus 25 anos que serão completados neste ano.

Em 2017, foi autorizada pela Prefeitura e pela Câmara Municipal a erguer o Conjunto Residencial Dom Luciano Mendes de Almeida no Bairro Castro, onde 95 casas serão construídas abrigando famílias da zona urbana. Antes disso, a entidade já havia contemplado 27 famílias com a doação de terrenos e reformas no Bairro Padre Vitor, as quais puderam erguer suas casas por meio de mutirões de construção.

Além de um projeto que viabiliza a estrutura para a construção de moradias, a entidade também se destaca “a envolver as pessoas não em sua forma individual, mas de modo a fortalecer as comunidades”, explica Helena. Ao longo do processo de construção, também serão oferecidos cursos sobre autoestima, direitos e cidadania, economia doméstica e geração de renda, entre outros. A sede da Amsca fica na Rua Professor Luiz Rodrigues Fernandes, nº 239, no Bairro Padre Vitor, em Entre Rios de Minas.

  Texto e fotos: Jornalista Eduardo Maia

Mais Notícias

Receba notícias em seu celular

Publicidade