21 de julho de 2024 23:39

Em 13 dias da reabertura do comércio, Lafaiete tem aumento de mais 50% de casos confirmados; região vive pico da doença com 14 casos/dia

Entre os dias 25 de maio a 6 de junho, houve um aumento de 57,6% de casos confirmados na Macro Centro-Sul

Quando amanhã (8) completam duas semanas da abertura gradual do comércio aderindo a “onda branca” do Programa Minas Consciente, Lafaiete registrou  25 novos casos com um aumento de mais de 50% de casos confirmados de COVID-19.

Pico da doença acontece em Minas e na região / DIVULGAÇÃO

Desde o dia 25 de maio, dia da entrada oficial do município no Programa do Governo do Estado de Minas, a cidade somava 23 casos confirmados de infecção humana pelo novo Coronavírus, até o Boletim Epidemiológico de ontem (06/06), quando a Secretaria Municipal de Saúde informou que a cidade alcançou a marca de 45 pessoas confirmadas com a doença.

Os casos recuperados subiram 20% no período, de 20 para 24. O número de notificados, pela ampliação dos testes rápidos, foram de 614 para 1.055, um aumento de mais de 40%. Já os casos encerrados de quarentena de 14 dias saltaram de 463 para 965.

Quando regional

A curva do contágio aumentou nas duas últimas semanas com o pico da doença na Macro Centro-sul. De acordo com dados da Secretaria de Estado de Saúde (SES), os 51 municípios que correspondem a Macro, da qual pertence Lafaiete, no mesmo dia em que a cidade aderiu ao Programa Minas Consciente, registravam, juntos, 321 casos confirmados de COVID-19. Hoje (07/06), até o último Boletim Epidemiológico da SES, publicado ontem, a mesma região registrava 506 confirmações, 57,6% a mais de casos, o que corresponde, também, a 14,2 novos casos por dia.

Apesar dos números de Lafaiete estarem abaixo dos da Macrorregião, vale ressaltar que todos os dados influenciam para a continuidade, avanço ou retrocesso da cidade no programa. De acordo com os protocolos do Minas Consciente, a avaliação para avançar para a próxima onda baseia-se em um período de 21 dias, desde a adoção da onda atual, ou seja, caso Lafaiete avance para a Onda Amarela, o mesmo só deve acontecer após o dia 14/06. No entanto, o retrocesso para qualquer outra onda, de acordo com o mesmo programa, pode ser aplicado, independente do prazo, se baseando apenas na situação que a cidade apresentar de casos de COVID-19. (baseado Folha de Barbacena)

Expectativa

Em meio a incerteza do comércio, na semana passada, o Presidente do SINDCOMERCIO, Bento Oliveira, divulgou uma nota, criticando a não adesão de Lafaiete a “onda amarela”.  O texto que apontava  descontentamento de comerciantes. Bento criticou as decisões baseadas o modelo macro-regional e justificou que Lafaiete tem um quadro epidemiológico estável.

Leia mais:

Nota da redação: assim da postagem da matéria nossa redação recebeu telefonemas de representantes de entidades comerciais questionando o conteúdo, que foi baseado sem dados oficiais. Cabe esclarecer, que não é e nem foi, atribuir responsabilidade ao comércio pelo pico da doença que está ligado a estação do frio. aumento da testagem e outros fatores.

 

Mais Notícias

Receba notícias em seu celular

Publicidade