20 de julho de 2024 19:59

APADEQ “VALE DA LUZ”: região ganha nova clínica de dependentes químicos

Com o sol iluminando mentes e corações na manhã do feriado nacional de 12 de outubro, dia da padroeira do Brasil, N.S.Aparecida, um público estimado em 100 pessoas prestigiou a inauguração da APADEQ “Vale da Luz”, em Entre Rios de Minas.  A sede própria desta Associação dos Parentes e Amigos dos Dependentes Químicos está localizada na BR 383, KM 38,5, ao lado do Restaurante “Café com Prosa”, bairro Castro, e funcionará como uma comunidade terapêutica para acolhimento e tratamento de dependentes químicos (de álcool e drogas ilícitas) do município e região.

A cerimônia, organizada pelo Assessor de Comunicação da Câmara Municipal de Entre Rios de Minas, jornalista Eduardo Maia, contou com a presença de autoridades e moradores   de Entre Rios   e de municípios vizinhos como Lagoa Dourada, São Brás do Suaçui, Desterro de Entre Rios, Jeceaba, Piedade dos Gerais, Conselheiro Lafaiete e São João Del Rei.

Números musicais com a execução do Hino Nacional, por Edvam Sales (teclado) e Aleluia, com o maestro Ricardo Pires (teclado) e Higo Azevedo Santos (violino) abrilhantaram a solenidade, que foi marcada também por discursos, homenagens, testemunhos, benção das instalações, descerramento de duas placas e abertura da sede para visitação. Na oportunidade, o presidente da APADEQ “Vale da Luz”, médico José Pedro Borges, ressaltou que “dependência química é doença reconhecida pela Organização Mundial de Saúde, que afeta não só o usuário, mas também familiares, amigos, enfim a sociedade como um todo; e,  incentivado por amigos da APADEQ Vila Esperança – de São João Del Rei, buscamos reunir esforços para fundar uma entidade semelhante em nossa cidade”.

Ao fazer a bênção das instalações, o pároco Pe.Ildeu da Cruz Silvio escolheu o Evangelho de São Lucas (Capítulo 10 – versículos 30 a 37) e comparou a sede da APADEQ à uma hospedaria, grande samaritana, acolhendo de forma humana como Jesus acolhe. “Que todos que aqui vierem sintam-se aliviados e, assistidos, possam ser sementes da vida e da Luz. Que a Vale da Luz possa resplandecer como Cristo resplandeceu no mundo”.

_ De olhos fechados, convidou,   deem graças a Deus pela realização deste sonho! Que Jesus seja Companheiro para lutar pela vida aqui, na força restauradora que vem de Deus. Que esta casa seja abençoada e que todos possam prestar o seu serviço com solicitude e compaixão, vindo em nome de Cristo trazendo a vida que vem de Vós, e que todos os assistidos possam voltar à vida com gratidão e dignidade.

Desejando sucesso à APADEQ e falando em nome dos prefeitos de cidades vizinhas, José Walter Resende Aguiar, prefeito de Entre Rios de Minas, garantiu a colaboração de sua administração nesta causa que qualificou como “muito meritória”. Também o Secretário Municipal de Saúde e Desenvolvimento Social, Franklin William Soares, confirmou a realização de parcerias com a Associação, lembrando que “além dos danos fisiológicos, o dependente químico sofre com o preconceito e estigma social”.

Já a presidente da Câmara Municipal de Desterro de Entre Rios, vereadora Cláudia Maria Resende, informou que a prefeitura de seu município irá disponibilizar um funcionário para prestar serviços na “Vale da Luz” e que a cessão “é o primeiro presente no ato da inauguração”. Da mesma forma, o Legislativo de Entre Rios de Minas “verá com bons olhos as demandas da APADEQ”, afirmou seu presidente, vereador Thiago Itamar Villaça, ao ressaltar que “a dependência química embora incurável, tem jeito!” Villaça também pediu para que as pessoas “olhem com compaixão, sem discriminar o dependente químico, para que ele possa ter a oportunidade de se tornar uma pessoa melhor”.

A primeira presidente da APADEQ “Vale da Luz”, Elisa Maria Evangelista, lembrando a fundação da Associação, agradeceu o empenho de todos e o apoio dos poderes executivo, legislativo e, em especial, do judiciário, ao repassar valores de penas pecuniárias para a construção da sede. Também o tesoureiro de todas as diretorias que a entidade já teve, Antonio Charneca Leopoldino, ratificou o agradecimento a todos que colaboraram e os que seguem ajudando a Associação.

O casal  Luiz Miranda de Resende e sua esposa Lurdinha, Adriano Carlos de Resende, José Inácio de Urzedo Sobrinho e José Neilito de Resende, grandes colaboradores  já falecidos, foram homenageados. E Cilésia Marle Maia, de Lagoa Dourada; Ronan Abreu, de São João Del Rei; e José do Lota e Ismael Resende Vieira (construtor), de Entre Rios, também receberam preito de gratidão.

Duas placas foram descerradas: a primeira, contendo os nomes da 1ª Diretoria da APADEQ “Vale da Luz”, pelo atual vice-presidente Alvimar Sampaio, 1ª presidente  Elisa Evangelista e pelo representante da APADEQ “Vila Esperança”, terapeuta Marco Antonio Velasco; e a placa de inauguração, com a atual diretoria, pelo presidente José Pedro, tesoureiro Antonio Charneca e Paulo Afonso Santos, secretário. Seguindo o protocolo do cerimonial, várias autoridades cortaram em conjunto a fita inaugural, liberando oficialmente as instalações para  visitação dos presentes.

Presidente da “Vale da Luz” relembra história da fundação da associação

_ Nos idos de 2008, em reuniões com um grupo de amigos, conversávamos sobre o problema das drogas em nossa cidade e como era difícil, e ainda é, resolver esta situação. Chegamos a conclusão de que não conseguiríamos combater as drogas, mesmo porque não era nossa função tal desafio. Mas, estava ao nosso alcance, promover alguma ação que viesse ajudar aquelas pessoas que faziam uso abusivo de álcool e outras substâncias psicoativas causadoras de dependência química.

Vale ressaltar que “a dependência química é DOENÇA, reconhecida pela Organização Mundial da Saúde, considerada crônica, progressiva e incurável; e, quando não tratada, acarreta comprometimento físico, psíquico, cognitivo e social. E, por atingir cerca de dez por cento de qualquer população, acaba se transformando num problema de saúde pública, afetando também   todos que convivem com o dependente químico: familiares (codependentes), amigos, enfim a sociedade. E, como qualquer outra doença, requer atenção, cuidado, tratamento, prevenção de recaídas”.

Importante ampliar o conceito do que é droga, destacou Borges, “entendida aqui como toda substância que pode causar vício e alteração de humor e/ou comportamento. Assim sendo, há drogas lícitas – permitidas por lei –  a exemplo do álcool, nicotina, alguns medicamentos; e as ilícitas, como maconha, cocaína, LSD, heroína, crack, entre outras. O melhor, ponderou o médico, é usarmos o termo substâncias psicoativas causadoras de dependência química.

_ Muitas pessoas julgam a dependência química como um vício por falta de caráter, malandragem ou algo do tipo. Na verdade, o uso destas   substâncias alteram a percepção e o estado considerado ‘normal’ da consciência, fazendo com que os dependentes químicos percam o controle de suas ações.

 Grata surpresa

Numa assembleia que lotou o auditório do então “Colégio das Irmãs”, em 26 de novembro de 2008, foi fundada em Entre Rios de Minas (MG), a APADEQ “Vale da Luz” – Associação de Parentes e Amigos dos Dependentes Químicos de Entre Rios de Minas e Região. Sociedade civil, sem fins lucrativos e sem conotação política ou religiosa, de caráter assistencial, educativo e científico; registrada sob o CNPJ 19.852.194/0001-7, hoje já reconhecida  como de utilidade pública municipal e estadual ( Lei número 20.501/11); e tendo por  objetivo primordial promover, através da informação e orientação, a conscientização sobre dependência química, bem como possibilitar  caminhos para a recuperação, bem- estar e reintegração social dos dependentes químicos – de álcool e drogas ilícitas, residentes em Entre Rios de Minas e cidades da região; com apoio extensivo aos codependentes (familiares).

 José Pedro Borges, médico há 36 anos em Entre Rios, cofundador também da APAE no município, lembrou que “durante a assembleia de fundação da APADEQ, tivemos a grata surpresa da doação do terreno pelo saudoso casal Luiz Miranda de Resende e sua esposa Lurdinha, totalizando uma área de cerca de 2.500 metros quadrados. Registramos a Associação e uma marcha conjunta de toda sociedade possibilitou a construção da sede própria nos últimos 11 anos, enquanto nossa região, em franco desenvolvimento econômico, via crescer, na mesma proporção, a dependência química   com o uso e abuso de álcool e drogas ilícitas”.

A pedra fundamental da construção foi lançada em novembro de 2010, e o projeto, doado pelo saudoso arquiteto Celso Leão, foi orçado, inicialmente, em torno de R$ 500.000,00 (quinhentos mil reais). Em valores de hoje, depois de mais uma década   construindo, com algumas paralisações por falta de recursos, gira em torno de R$ 2.000.000,00(dois milhões de reais). A instituição terá capacidade de acolher até 24 residentes em acomodações coletivas, com banheiro.

 Vale ressaltar que grande parte deste valor foi proveniente de doações da comunidade e apoiadores da causa, contribuições mensais de associados   e participação em eventos. De recursos oficiais, recebeu    repasse de dotações orçamentárias do governo municipal das três últimas administrações, da ordem de R$25.000,00 (vinte e cinco mil reais) / ano.

Coragem para mudar

_ Com a obra concluída, a casa devidamente equipada, funcionários sendo selecionados, fazemos agora o trabalho de abrir as portas,  Vamos   iniciar o cadastramento e orientar familiares; além de seguir solicitando das autoridades municipais, de nossa comunidade e região, a garantia de repasse de verbas nas dotações orçamentárias, para que a entidade possa cumprir seu propósito de ser um centro de acolhimento e tratamento para dependentes químicos   e apoio aos codependentes.

O presidente da  “Vale da Luz” disse ainda que conta com a compreensão e colaboração de todos, acrescentando que “toda ajuda é bem-vinda! Pessoas se associando, empresas contribuindo; profissionais ofertando atividades aos residentes;  autoridades públicas destinando recursos nas dotações orçamentárias… lembrando que o direito à saúde é também dever do Estado garantido pela Constituição e que a dependência química é uma doença democrática, uma vez que independe de raça, religião ou condição econômica, podendo atingir qualquer família”.

De acordo com o coordenador dos trabalhos a serem desenvolvidos na APADEQ “Vale da Luz”, terapeuta Ronaldo Lara Tanus, antes de acolher dependentes químicos -“residentes”  na entidade, “o maior desafio agora será treinar e capacitar os funcionários que irão prestar os serviços com ética, excelência e amor”.

Com 24 anos de experiência na área de recuperação química, Tanus explicou que o método de tratamento a ser aplicado é o Minnesota e os 12 passos, com  mudança de hábitos não saudáveis e de comportamentos disfuncionais pertinentes à dependência química, buscando promover melhor qualidade de vida. Há todo um trabalho a ser desenvolvido também junto às famílias, adoecidas antes ou durante o processo de codependência.

_ Existe vida após as drogas! pontuou o terapeuta. Pesquisas evidenciam que dependentes químicos, que começam sua recuperação e persistem, produzem 30% a mais do ponto de vista motivacional. Além disso, há que se construir outras habilidades, ter disciplina, preenchendo bem o tempo e evitando ociosidade após o período de internação (que dura em média 70 dias}, seguido de um acompanhamento posterior para evitar recaídas.

Só por hoje!

Vestindo a camisa da APADEQ “Vale da Luz” e ajudando a conseguir novos associados durante a inauguração, o entrerriano Paulo Marzano Neto foi convidado a dar seu testemunho como adicto em recuperação, recém-chegado da APADEQ de São João Del Rei. “Tenho uma doença incurável, progressiva e fatal. Só que tem como você estacionar a doença através de algumas ferramentas e é isto que fiz e estou fazendo. Eu estava insano. Era uma pessoa que cometia os mesmos erros esperando resultados diferentes. Isto nunca iria acontecer. Então com minha boa vontade, minha mente aberta, minha honestidade busquei tratamento na Vila Esperança. E agora, APADEQ em Entre Rios de Minas! Só tenho a agradecer a Deus e   a todos que participaram da construção desta instituição porque ela salva-vidas e, por isso, é muito importante!”

VOCÊ PODE AJUDAR!

Todos que quiserem colaborar com a APADEQ “Vale da Luz” podem fazer contato com membros da Diretoria através dos fones (31) 3751-1137 e 3751-1023 ou cel (31) 99629-1137, como também pelo email  apadeq@yahoo.com.br  ou  depósito bancário em conta corrente da entidade: agência 2042-7 do Banco do Brasil, conta 12472-9, ou ainda entrar em contato diretamente com a Secretaria da entidade através do telefone (31) 3758-0654.

https://youtu.be/YtSjiQma1Wg

Mais Notícias

Receba notícias em seu celular

Publicidade