13 de julho de 2024 07:19

Lagoa Dourada, Capital Mineira do Rocambole, é tema de conversa no BBB e ganha elogios pela sua qualidade

O já gostoso e famoso Rocambole feito em Lagoa Dourada foi tema de conversa entre os participantes do BBB da Rede Globo.
Durante uma conversa da cantora Nayara Azevedo com outros participantes do BBB, Nayara fez questão de falar e elogiar muito o Rocambole de Lagoa Dourada, vale a pena conferir.
Veja o vídeo.

https://youtu.be/p-Dr6OzEGXc

A história

Se o assunto é rocambole, a capital mineira passa a ser oficialmente Lagoa Dourada, município do Campo das Vertentes e caminho das cidades históricas de São João del-Rei e Tiradentes. O título, que já era unanimidade entre moradores e visitantes, foi concedido pelo projeto de lei 4.871/2017, de autoria do deputado estadual Cristiano Silveira (PT), aprovado no final do ano passado pela Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) e encaminhado ao governador do Estado para sanção.

Agroindústria

Atualmente, existem sete fabricantes de rocambole desta agroindústria que começou há mais de 100 anos, com o imigrante libanês Miguel Youssef. São elas: “O Legítimo Rocambole”; “Padaria do Jaci-Rocambole Lagoa Dourada”; “Rocambole e Cia”; “O Famoso Rocambole”; “Padaria Santo Afonso”; “Padaria Sabor de Pão”; e “O Tradicional Rocambole”.
A partir de 1965, o negócio foi impulsionado por Paulo Miguel, filho de Youssef, que criou uma embalagem para que os visitantes ou viajantes pudessem levar o doce para casa. Há pouco mais de 10 anos, a colocação de placas nas rodovias de acesso a Lagoa Dourada estimulou ainda mais a procura.
Hoje, já são muitos os locais que vendem o doce, que pode ser encontrado em diversos sabores, desde o tradicional – recheado com doce de leite – até opções de recheio como goiabada, chocolate e doce de leite com diversos tipos de frutas e, mais recentemente, a própria polpa de frutas.
Um exemplo é a Padaria do Jaci, há mais de 50 anos no ramo, que produz a média de 3.500 unidades (cerca de 1 kg cada) por mês, considerando-se que as vendas são sazonais. Há meses em que a produção chega às 5 mil unidades, conta Heloisa de Resende Andrade.
A Padaria do Jaci consome, mensalmente, cerca de 250 latas de doce de leite fabricado em Perdões. Já a quantidade de ovos consumidos gira em torno de 1.700 dúzias/mês. Por ser um produto perecível e artesanal, o principal mercado do rocambole é local ou então resultante de participação em eventos e festivais, diz Heloisa.

Números

Uma das maiores dificuldades é conseguir informações consolidadas – produção total de rocambole, quantidade de matéria-prima consumida (leite, ovos, doce de leite, frutas etc.) e empregos gerados – dessa próspera agroindústria local. A capital do rocambole é, por exemplo, um dos maiores produtores de leite da região (21 milhões de litros em 2018), segundo o IBGE. Já a produção de ovos, em escala comercial, varia entre 3 mil e 3.200 unidades por dia, de acordo com o secretário de Agropecuária, Antônio Barreto Pereira Neto.
As informações sobre a produção de rocambole seriam úteis não apenas para alimentar a divulgação como também para planejar o futuro do setor no médio e longo prazos. Lagoa Dourada não comportaria, por exemplo, uma fábrica de doce de leite? A prefeitura ou o próprio setor poderiam estimular um trabalho acadêmico por parte de algum estudante do município que cursa universidade em São João del-Rei ou em Belo Horizonte.

Histórico

A história do rocambole em Lagoa Dourada teve início por volta de 1907 com o libanês Miguel Youssef, casado com a lagoense Dolores de Mello. O casal começou a vender o doce em um botequim na parada de ônibus interurbanos do centro da cidade.
Inspirado em receita francesa e vendido como sobremesa, o rocambole logo chamou a atenção de moradores e viajantes que por lá passavam. A receita foi passando de geração a geração.
Anos depois, um dos filhos do casal, Paulo Miguel, investiu no botequim e criou o Bar e Hotel Glória. Com a morte de Paulo, o negócio entrou em decadência e a viúva Simone vendeu o bar.
Em 1981, Simone conseguiu reabrir o negócio com o nome de Bar e Restaurante Rocambole. Dois anos depois, um de seus filhos, Ricardo Youssef, assumiu assumiu o negócio, criando a marca “O Legítimo Rocambole” de Lagoa Dourada.
Com a morte de Ricardo, aos 33 anos, vítima de descarga elétrica, a partir de 1996 a viúva Marise, nora de Paulo Miguel, conduz o negócio e preserva a tradição do “Legítimo Rocambole”. (Jornal das Lajes)

Leia mais

Agora é oficial: Lagoa Dourada, capital mineira do rocambole

Rocambole de Lagoa Dourada chega à Rede Globo

Mais Notícias

Receba notícias em seu celular

Publicidade