22 de junho de 2024 15:15

13º e 14º salários do INSS têm calendários de pagamentos divulgados

Aposentados, pensionistas e segurados de outros auxílios do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) estão na expectativa de receber o 13º salário. Nesse meio tempo, eles acompanham os desdobramentos sobre a possível liberação do 14º salário.

Ao contrário dos últimos dois anos, os repasses das duas parcelas do benefício não serão antecipados. A medida foi tomada em 2020 e 2021 como forma de apoiar esses cidadãos e injetar dinheiro na economia durante a pandemia.

O 13º salário é um direito de quem recebe qualquer aposentadoria, pensão por morte, auxílio-doença, auxílio-acidente, auxílio-reclusão e salário maternidade pelo INSS. Já quem é contemplado por benefícios temporários ou assistenciais, como o BPC, não recebe o abono.

Calendário do 13º salário em 2022

Segundo determinado no Decreto 10.410, a primeira parcela deve ser paga em agosto, enquanto a segunda precisa sair em novembro. A liberação ocorre juntamente com o benefício daquele mês.

Também vale destacar que os beneficiários são divididos em dois grupos: quem recebe um salário mínimo e quem ganha acima do piso nacional. Veja o calendário de pagamentos do 13º salário em 2022:

  • Para quem recebe um salário mínimo
Benefício final1ª parcela2ª parcela
125 de agosto24 de novembro
226 de agosto25 de novembro
329 de agosto28 de novembro
430 de agosto29 de novembro
531 de agosto30 de novembro
601 de setembro01 de dezembro
702 de setembro02 de dezembro
805 de setembro05 de dezembro
906 de setembro06 de dezembro
008 de setembro07 de dezembro
  • Para quem recebe acima de um salário mínimo
Benefício final1ª parcela2ª parcela
1 e 601 de setembro01 de dezembro
2 e 702 de setembro02 de dezembro
3 e 805 de setembro05 de dezembro
4 e 906 de setembro06 de dezembro
5 e 008 de setembro07 de dezembro

E o 14º salário do INSS?

Quanto à concessão do 14º salário, ainda não há nenhuma confirmação de que ela ocorrerá de fato. Até o momento, o projeto de lei (PL) que propõe a criação desse abono extra tramita na Câmara dos Deputados, já tendo sido aprovado em algumas Comissões da Casa.

O que se sabe até o momento é que os pagamentos serão realizados em março dos anos de 2022 e 2023, de forma retroativa a 2020 e 2021. Para isso, o texto precisa ser aprovado pela Câmara e pelo Senado Federal, além de ser sancionado pelo presidente Jair Bolsonaro.

Considerando que já estamos em março e o PL continua sem movimentação, é possível que o benefício não saia do papel. Pelo menos neste ano, os segurados não contarão com essa ajuda do governo.

Mais Notícias

Receba notícias em seu celular

Publicidade