4 de março de 2024 09:23

Piranga vai perder mais de R$5 milhões com redução da população; prefeitura vai contestar censo do IBGE

O Tribunal de Contas da União (TCU) decidiu utilizar dados prévios do novo Censo Demográfico para calcular o Fundo de Participação dos Municípios (FPM), o que resultará em perdas nas receitas de 85 cidades mineiras em 2023. Com reduções de 0,4 e 0,2 nos coeficientes, o impacto será de R$ 4,312 milhões para cada 0,2 de redução no fundo, totalizando um prejuízo de R$ 375,144 milhões para essas prefeituras neste ano. Dos 85 municípios mineiros que terão perdas, estão Barbacena, Piranga, Senhora dos Remédios, Itabira, Lavras e Ubá que terão seus coeficientes reduzidos.

Na outra ponta, 28 cidades mineiras terão aumento das receitas, seguindo os mesmos R$ 4,312 milhões para cada 0,2 de elevação no fundo. Entre as beneficiadas estão São João Del e Viçosa.

Piranga

Na região cidades também sofrerão perdas significativas com a redução populacional. Este é o caso de Barbacena. Na estimativa de 2021, a cidade registrou 139.061 e pela prévia do censo caiu para 122.894. Barbacena caiu na pontuação do FPM de 3,60 para 3,40. As perdas podem chegar a mais de R$30 milhões.

Já Piranga, a situação é também preocupante. A cidade caiu de 1,20 para 1,00. A população caiu de 17.641 para 15.308, uma perda de 2.333 habitantes. A previsão, segundo o Prefeito Luizinho Araújo chega a mais de R$5 milhões em 2023. Ele contestou o levamento da prévia do censo do IBGE.  “Em Piranga temos cadastradas 17.500 pessoas no PSF’s e o censo só contou 15.308 pessoas. Muitas inconsistências desta natureza surgirão nos próximos dias em outras cidades e servirão também como apontamentos para desconstituir a metodologia utilizada pelo IBGE. Vamos iniciar a contestação administrativa por protocolo no TCU até dia 10/01, conforme orientação da AMM. Em seguida, com o fim do plantão forense preparar a ação judicial”, informou

Brasil

Mais de 700 municípios em todo o país também sofrerão perdas estimadas em cerca de R$ 3 bilhões. Diante dos números, o movimento municipalista está se mobilizando para evitar as perdas. Associação Mineira de Municípios (AMM) argumenta que os dados do censo ainda estão incompletos e devem ser finalizados no primeiro trimestre de 2023 e orienta que as administrações municipais agilizem as contestações, bem como processos de judicialização para que não haja perdas já na semana que vem.

Últimas Notícias

Receba notícias em seu celular

Publicidade

© 2023 – Criado por  Dr. Hosting Brasil.