22 de junho de 2024 16:20

9 profissões que não existirão mais daqui a 10 anos

Diante do processo de transição tecnológico que o mercado está passando, algumas profissões que hoje existem, devem acabar em pouco tempo

Na trilha do progresso econômico, a transição para uma sociedade centrada em serviços e conhecimento, impulsionada pela onda tecnológica, impactou profundamente diversos trabalhadores. A exemplo disso temos muitas indústrias, onde, anteriormente, vários profissionais faziam parte de grandes fábricas e montadoras, que com os avanços tecnológicos, foram severamente substituídas por robôs e processos de produção automatizados, o que consequentemente acabou gerando uma grande recessão.

No entanto, se a última recessão foi um baque, o que podemos esperar da próxima? Neste compilado, reunimos uma lista de nove profissões que figuram na categoria de “espécies ameaçadas” – e, surpreendentemente, os salários que as acompanham ainda apresentam uma razoabilidade intrigante.

Infelizmente, a resposta para a pergunta “o que vem a seguir” permanece esquiva para muitos trabalhadores. No entanto, familiarizar-se com os riscos associados a várias dessas profissões, inclusive algumas que se destacam na indústria tecnológica, pode ser a preparação necessária para o futuro incerto que se desenha diante de nós.

1. Operador de Caixa

A ascensão das opções de autoatendimento digital ao longo do último ano delineia uma ameaça iminente para os operadores de caixa. Contudo, a preocupação não se restringe apenas a isso. A expansão crescente do comércio online, com o Amazon Fresh liderando as entregas de alimentos, promete aniquilar ou, no mínimo, reduzir significativamente a demanda por empregos que, embora antes oferecessem estabilidade, eram considerados monótonos, abrangendo dezenas de milhares em todo o país

Embora nunca tenha sido uma opção de alto salário, o caixa frequentemente servia como um ponto de entrada para aqueles sem diplomas, mas cheios de iniciativa. Muitos gerentes de lojas de varejo começaram exatamente nesse papel. Com a extinção dessas oportunidades, uma rota para o progresso social, especialmente para aqueles sem credenciais educativas, se fecha – sem mencionar os adolescentes que tradicionalmente buscavam emprego durante o verão e nas férias.

2. Operador de telemarketing

A carreira de operador de telemarketing, uma ocupação já problemática, está a caminho de extinção (mesmo que o termo “carreira” seja questionável, considerando a alta rotatividade no setor). A boa notícia para quem não é teleoperador é que esses profissionais estão gradualmente saindo de cena.

No entanto, a má notícia é que a indústria de telemarketing como um todo não está morrendo, apenas a ocupação específica de teleoperador. Embora os empregos nesta área provavelmente desapareçam, as fraudes, spam e cobranças de dívidas ainda serão uma presença constante – o telefone continuará tocando.

3. Trabalhador de Frete/Estoque

Descarregar caminhões, desembalar remessas e repor os congeladores de leite são trabalhos ingratos, mas que historicamente proporcionaram uma saída para muitos trabalhadores que poderiam ter dificuldades em encontrar emprego em outras áreas devido a barreiras linguísticas, limitações educacionais ou até mesmo discriminação. No entanto, esses trabalhadores em breve terão que buscar alternativas, pois os robôs estão chegando.

Empresas como a Kiva Robotics estão desenvolvendo robôs que gerenciam o estoque com intervenção humana mínima. Do ponto de vista empresarial, essa mudança faz sentido: além dos salários modestos, os custos de seguro são elevados devido aos ambientes de trabalho inseguros, resultando em acidentes frequentes.

Robôs, por outro lado, não se preocupam com choques, contusões, alturas e quedas, ou qualquer outro risco que os trabalhadores enfrentam. Além disso, suas costas nunca cederão – e se isso acontecer, podem ser facilmente substituídas. O futuro para os trabalhadores de armazéns não parece promissor.

4. Entregador de Jornais

Embora robôs entregadores de jornais ainda possam existir, essa ocupação está gradualmente se tornando obsoleta por um motivo diferente, mas relacionado: a ascensão da internet. Mesmo que alguns argumentem que as telas não possuem o mesmo apelo que o papel, essa é uma afirmação que já foi feita em relação a muitas inovações ao longo da história.

Com o aumento dos smartphones, leitores eletrônicos e distribuição eletrônica aprimorada, toda a infraestrutura de produção e distribuição de jornais está sendo revertida. A entrega de jornais, um rito de passagem para muitos americanos, é uma das vítimas dessa transformação.

Enquanto repórteres, editores e designers gráficos se adaptam ao novo sistema, o equivalente eletrônico dos entregadores de jornais é simplesmente a rede à qual nossos dispositivos se conectam. Aqueles que aspiravam a ser entregadores terão, infelizmente, que procurar outras oportunidades na força de trabalho – ou um segundo emprego – que antes oferecia uma via para a entrega de jornais.

5. Agente de Viagens

O Bing.com, concorrente da Microsoft para a busca do Google, apresenta um recurso notável: um site de viagens integrado que supera amplamente os concorrentes. Uma inovação crucial é a previsão de mudanças futuras nos preços com base em dados passados.

O software aconselha esperar por uma compra se antecipa que os preços diminuirão, estima a queda futura e informa quão certa é essa previsão. Além disso, alerta sobre aumentos de preço previstos, recomendando a compra de voos mais baratos enquanto ainda estão disponíveis.

O Bing.com se destaca ao mostrar as opções de voos mais acessíveis para qualquer itinerário. Essa inovação levou o Google a aprimorar seu serviço, estimando tarifas aéreas para rotas de viagens de longa distância.

6. Profissional dos Correios

Como uma agência federal, o Serviço dos Correios possui uma história longa e notável. Contudo, esse cenário mudou drasticamente.. Mesmo uma transição para um serviço focado em entregas de pacotes não parece salvar a situação, pois a ascensão de drones para entregas, desde os planos de aviões de carga sem piloto da FedEx até os drones futuristas da Amazon, sugere um declínio inevitável nos empregos nesse setor.

7. Digitador/Processador de Texto

Antes de “processador de texto” se referir a um aplicativo de computador, era uma ocupação. Analogamente aos computadores anteriores, os digitadores estão se tornando obsoletos. A principal causa disso é o aprimoramento rápido do reconhecimento de voz e a Inteligência Artificial. Com tecnologias como Siri da Apple, Google Now e o ChatGPT, as novas tecnologias estão substituindo efetivamente a entrada de texto.

8. Bibliotecário

Apesar da utilidade inegável dos bibliotecários em orientar para fontes adequadas, fornecer ideias e gerenciar coleções com precisão, eles enfrentam desafios crescentes. Serviços bibliotecários online estão se tornando comuns em universidades, e a automação e terceirização tornam-se cada vez mais comuns.

Com o Google Livros e iniciativas semelhantes legalizados, operações automatizadas estão em ascensão. Em uma década, um caro mestrado em biblioteconomia pode se tornar um investimento de dívida sem garantia de emprego.

9. Gerente de Mídia Social

Embora seja uma ocupação relativamente nova, a natureza dinâmica da economia tecnológica está rapidamente transformando o papel dos gerentes de mídia social. Com a crescente fluência digital da geração atual, a necessidade de gestores dedicados diminuirá.

À medida que mais pessoas adquirem as habilidades necessárias, os especialistas em mídia social enfrentarão uma demanda decrescente por seus serviços. Essa ocupação, essencial em uma era passada, enfrentará desafios à medida que a força de trabalho evolui e os especialistas se tornam cada vez menos essenciais.

FONTE MEU VALOR DIGITAL

Mais Notícias

Receba notícias em seu celular

Publicidade