18 de junho de 2024 22:06

Instalação de tratamento de oncologia via SUS em Lafaiete (MG) gera polêmica e levanta dúvidas; cidade pode ganhar serviço, garante regional de saúde

Há mais de uma década a cidade luta para ter um tratamento de oncologia, mas ainda sem sucesso na empreitada. O Vereador João Paulo Pé Quente (PSD) informou que Conselheiro Lafaiete (MG) vai ganhar o tão sonhado serviço. Na Tribuna da Câmara na noite de terça-feira (14), ele divulgou a alvissareira notícia. Segundo ele, o Hospital e Maternidade São José abarcará o tratamento.

Segundo Pé Quente, a instituição estará promovendo adequações físicas necessárias para a instalação da oncologia via SUS. O serviço já foi desvinculado de Belo Horizonte e os pacientes agora fazem o tratamento em Barbacena. “Estive hoje com o prefeito e ele ligou para o superitendente de saúde  para confirmar a aplicação de quiometerapia em Lafaiete. O pessoal visitou o local, aprovaram e pediram algumas adequações. Eu e o vereador Pedrinho estivemos com o deputado estadual Luizinho que visitou a cidade, esteve no hospital e está tudo acertado com a regional de saúde. Será um braço de atendimento”, disse. “Assim vamos dar mais conforto e dignidade aos pacientes neste momento tão dramático sem serem obrigados deslocar para outras cidades”, completou.

Ainda não há uma data prevista de instalação da oncologia, mas o anúncio despertou desconfiança. A Vereadora Damires Rinarlly (PV) esteve reunida com o Secretário de Estado da Saúde, Fábio Baccheretti, juntamente com a deputada estadual Lohanna França (PV) quando a oncologia foi pauta das discussões. Segundo Damires o secretário desconhecia a proposta de implantação ou protocolo de implantação mas mostrou a importância do serviço em Lafaiete.

“Precisamos de informações concretas, mas o secretário de estado não está sabendo?. Precisamos de informações para prestar a comunidade. Como um serviço de tamanha grandeza e o secretário de estado não sabe de nada”, citou o Vereador Sandro José (PP). “O que acontece é que Lafaiete não tem força política. Estivemos com o deputado Luizinho e está tudo alinhado para o serviço em Lafaiete inclusive fomos desvinculados de Belo Horizonte. Estava acertado para janeiro de 2024. O Estado não faz nada por Lafaiete”, citou o Vereador Pedro Américo (PT).

Em meio a polêmica, Pé Quente retrucou. “Vamos ter que chamar o Renato (superitendente regional de saúde) para explicar a situação. Ao que parece estamos falando mentira e precisamos saber a realidade. Como o secretário de estado não sabia desta negociação? Ele nunca fez nada por Lafaiete”, assinalou.

“Vereadora, se eu estivesse nesta reunião com o secretário pedia a ele para ligar para superitendência e verificar a situação. Os remédios de alta complexididade saem de Belo Horizonte passam na BR 040 em frente Lafaiete e temos que ir a Barbacena buscar os medicamentos. Isso é um absurdo”, criticou.

“Nossa saúde está sucateada e em tudo dependemos de Barbacena. Ficou tratado e acordado que um braço do serviço viria para Lafaiete. O secretário não sabendo de nada?”, questionou Pedro Américo.  “O que for para puxar para Barbacena ele puxam”, completou.

“Precisamos deixar de lado as disputas e buscar uma solução unindo forças. Temos que sair do discurso para a prática”, comentou Vado Silva.  “Em Belo Horizonte o serviço funciona bem, mas muda para barbacena vai resolver? Precisamos parar de depender de Barbacena. Mudar tem de ser para melhor”, advertiu André Menezes (PSDB). “Acretido em meio a confusão de informações, convocar a nossa secretária de saúde”, sugiriu o tucano.

 

Unidade descentralizada de oncologia em Lafaiete está em discussão

Nossa reportagem entrou em contato com o Superintendente Regional da Macro Centro-Sul, com sede em Barbacena, Renato Soares Reis. Ele confirmou que em abril o serviço de oncologia regional foi descentralizado de Belo Horizonte para Barbacena. “Estamos iniciando o nosso serviço e o cadastro de pacientes. O paciente em tratamento podem optar por Barbacena ou continuar em Belo Horizonte. Os novos pacientes já iniciam em Barbacena”, explicou.

Sobre uma unidade descentralizada de oncologia em Lafaiete, Renato adiantou que as tratativas já iniciaram. “Já estivemos com o Prefeito que se prontificou a ceder um espaço para a unidade e também estivemos na Maternidade São José que também se dispôs a receber o seriço. Mas precisamos de uma estrutura física para receber o serviço com qualidade e humanização para atender o paciente neste momento tão complicada. Mas a superitendência tem a intenção de descentralizar o serviço para Lafaiete que é a maior micro da regional e ampliar o serviço. O secretário de estado tem informações do andamento do processo que depende diversas normas técnicas e sanitárias para receber a unidade. Estamos neste momento avançando neste processo e em breve queremos anunciar este investimento para Lafaiete e região”,completou, citando que será um braço do Hospital IBIAPABA.

Ele citou que das 4 micro que compõem a macro (Barbacena, Congonhas, São João Del Rei), Lafaiete é que mais carece de estrutura na saúde. “A gente reconhece que a cidade ficou para trás nos serviços e hoje estamos tendo este olhar especial para Lafaiete com mais investimentos inclusive o Hospital Regional será inaugurado em 2025 com um total de 97 leitos sendo 20 leitos de UTI, atendendo uma grande demanda da cidade”, finalizou.

Mais Notícias

Receba notícias em seu celular

Publicidade