Audiência pública: polícias contestam números e PM anuncia aumento de efetivo com criação de 2 pelotões e companhia de tático móvel

23

Segundo o comando do 31º Batalhão, cidade vai ganhar pelo menos 200 novos policiais; construção de casa de recuperação foi citada como prioridades para combater a criminalidade de menores

Audiência pública discutiu os problemas e soluções para a segurança pública e participantes cobraram efetividade das propostas/CORREIO DE MINAS
Audiência pública discutiu os problemas e soluções para a segurança pública e participantes cobraram efetividade das propostas/CORREIO DE MINAS

As Polícias Civil e Militar contestaram o aumento da violência e da criminalidade em Lafaiete conforme os dados que motivaram a realização da audiência, ocorrida ontem a noite, dia 30, na Câmara Municipal, onde populares encheram a Casa Legislativa.

O Delegado, Daniel Gomes, antecipou que em 2016 foram 15 homicídios, destes 13 foram apurados com os autores presos ou acautelados. Ele cobrou efetividade da audiência com propostas e projetos com prazos definidos para a implantação.

Já o Capitão Pyramo questionou a representatividade da participação na audiência, já que dos mais de 130 bairros de Lafaiete sequer havia um morador de cada um deles. Ele também contestou aqueles que falam em aumento da criminalidade explicando a diferença em relação ao aumento da violência.

Ele apresentou dados oficiais da Polícia Militar que em 2016 ocorreram 327 crimes violentos, aqueles em que são empregados armas ou agressão. “Fizemos mais de 1 mil prisões em flagrante,  com a prisão de 260 autores, destes 89 menores. Não temos que falar em crescimento da criminalidade”, disparou.  Ele contestou informações de que as viaturas da PM estejam sucateadas. “É comum as pessoas estarem em um determinado local e comentarem as atitudes de um militar em uma ação, mas ninguém comenta o trabalho de médico ou engenheiro”, comparou Pyramo.

Já o Major Ademir apontou que em janeiro já foram retiradas de circulação 11 armas de fogo. “A sociedade paga um preço caro e situação nos preocupa, mas estamos atentos”, comentou.

Tático móvel e pelotão

Comando do 31º Batalhão, Capítão Pyramo e Major Ademir, adiantaram novas conquistas para Lafaiete durante audiência/CORREIO DE MINAS
Comando do 31º Batalhão, Capítão Pyramo e Major Ademir, adiantaram novas conquistas para Lafaiete durante audiência/CORREIO DE MINAS

Ademir adiantou que o batalhão espera até o final de fevereiro,antes do carnaval, a criação de uma companhia tático móvel no 31º Batalhão, reforçando o policiamento com a chegada de 3 novas viaturas com mais efetivo para suplementar as ações diárias, como também novos e modernos equipamentos.

Também o Batalhão ganhará 2 novos pelotões. No total, o Batalhão ganhar o reforço de pelo menos 20 novos policiais militares.

Casa para menores e varas criminais

Ao mencionarem a fragilidade da legislação criminal brasileira e grande participação de menores em delitos, as autoridades propuseram a criação de um centro de recuperação de menores, as chamadas casas de custódia, em Lafaiete.

O Juiz de Execuções Penais e Presidente do Foro, Paulo Roberto tocou no assunto que há pelos 10 anos é debatido pela sociedade. “Se nós quisermos mudanças e melhorias na segurança pública temos que agir. Quando não há uma casa de recuperação surge a certeza da impunidade”, refletiu. O magistrado disse que na vara criminal de execuções da Comarca de Lafaiete há pelo menos 5 mil processos em andamento, em sua maioria parte ligados ao tráfico de drogas. O Capitão Pyramo defendeu que a casa de passagem valha seu nome quanto da ressocialização. “Já aconteceu da gente prender duas vezes o mesmo duas vezes no dia e ele permanecer nas ruas”, alertou o Major Ademir.

Propostas

Tadeu Albuquerque, representante da OAB, fez um alerta sobre a efetividade da reunião. Segundo ele, desde 2004, ele vem participando de audiências, mas nenhuma com resultado concreto para a sociedade. “Há quase uma década falam em centro para menores e a situação não mudou. As audiências muitas das vezes servem em momentos de crise, mas depois quando tudo se acomoda as coisas caem no esquecimento. Espero que elaborem um projeto e implementem ações”, alertou.

Ao final da audiência foram definidas 20 propostas, entre as quais uma comissão para buscar recursos e melhorias no Governo do Estado; construção de centro de recuperação para menores, fortalecimento da guarda municipal, dentre outras. (Veja abaixo)

documento 001