Audiência vai discutir solução do trânsito de carretas na Padre Lobo

12

Por mais de 6 horas uma carreta bitrem, carregada com 45 toneladas, interrompeu ontem, dia 17, o fluxo do trânsito na Chapada. Ela não conseguiu subir a rua Ruth de Souza e teve que ser guinchada porém o peso fez que a carreta voltasse e atingisse mureta e por pouco não atingiu uma casa, o que causaria danos irreversíveis ao imóvel de Dona Efigênia Bonifácio.

O caso de ontem é apenas um dos incontáveis que a população assiste angustiada diante de uma tragédia anunciada na região. Diariamente dezenas de carretas cortam a Padre Lobo, oriunda da cidade de Brás Pires, rumo a Rio Claro (SP). Elas transportam matéria prima para a indústria ceramista. Sempre com a carga acima do limite do peso permitido elas não conseguem romper a subida íngreme da Chapada e causam transtornos e perigo aos moradores. A situação chega ao limite do medo que os moradores estão construindo batentes como forma de tentar trazer segurança caso uma carreta volte e não atinja as casas.

Vereador Fernando Bandeira/CORREIO DE MINAS

Entre os moradores a revolta se mistura com a aflição que a situação causa. Cansado de esperar por uma solução, na qual a prefeitura já anunciou que retiraria o trânsito pesado para outras vias, o vereador Fernando Bandeira apresentou nesta semana um requerimento para a realização de uma audiência pública para discutir a situação e propor uma solução. “Estamos diante de uma situação que não tem como mais esperar. Prometeram retirar o trânsito das carretas da Padre Lobo, mas nada de uma solução. A situação agora chegou ao limite e meu papel enquanto vereador é usar dos instrumentos que possuo para buscar junto com os moradores uma alternativa o mais breve. Como disse antes que uma tragédia aconteça. Os moradores não aguentam mais conviver com esta situação de medo e insegurança”, justificou o vereador Fernando Bandeira, autor do requerimento. A audiência não tem dada para definida para a sua a realização.