BR 40 tem queda de quase 50% no tráfego desde a pandemia, estima Via 040

11
Esta foi a receita total que a Via 040 obteve cobrando pedágios ao longo de cinco anos. Agora, alegando prejuízo, a concessionária desiste da BR e ainda quer ser indenizada/REPRODUÇÃO
Concessionária estima queda de fluxo de carros em até 50%/REPRODUÇÃO

A crise econômica desencadeada pela pandemia do coronavírus já tem impactos no setor de concessões rodoviárias e demandará uma revisão de contratos, segundo especialistas do setor.
O movimento das estradas concessionadas recuou em média 18,4% em março na medição do índice divulgado mensalmente pela ABCR (associação das concessionárias de rodovias) e da consultoria Tendências. O indicador exclui efeitos das variações sazonais.
O dado foi o pior desde a criação do indicador, em 1999, superando a queda observada durante a greve dos caminhoneiros de 2018.
O vírus já influencia nas negociações de devolução de concessões, segundo João Paulo Pessoa, sócio do Toledo Marchetti. “São processos lentos e que demandam aditivos contratuais para que a concessionária que está devolvendo o ativo continue a prestar o serviço até que haja um novo leilão.”
A possibilidade de relicitação foi regulamentada em agosto do ano passado, e o primeiro pedido foi o da Via-040, controlada pela Invepar. A concessionária administra os 936 km da BR-040 entre Brasília e Juiz de Fora (MG).

Via 040
Como consequência da crise provocada pela pandemia mundial da COVID-19, a Via 040 estima uma queda de 49% no tráfego de veículos leves e 20% de veículos pesados na última semana de março de 2020, comparando com mesmo período de 2019.
A Via 040 esclarece ainda que, mesmo diante dos desafios impostos pela pandemia, a concessionária vem operando normalmente, mantendo as condições de segurança e trafegabilidade da pista.
Cabe ressaltar que desde o início do isolamento social, em março, a empresa e parceiros atenderam mais de 6 mil caminhoneiros, distribuindo tags com isenção de mensalidade e taxas, kits-lanche, itens de higiene pessoal e prestando orientações sobre a COVID-19.