Centros Regionais de Lafaiete terão projeto piloto de prevenção de AVC

12

DSC_7017

DSC_7024

DSC_7029

Os Centros Regionais de Saúde em parceria com o laboratório Boehringer Ingelheim estão implantando em Conselheiro Lafaiete um projeto inovador que irá mudar a vida dos usuários portadores de Fibrilação Atrial: O Projeto Pravencer.

O Pravencer terá inicio no mês de novembro, e contará com o trabalho em rede da Atenção Primária – Estratégia de Saúde da Família (ESFs) juntamente com a Atenção Especializada do município, por intermédio dos profissionais cardiologistas dos Centros Regionais de Saúde.

A inicitaiva influenciará a vidas dos portadores de Fibrilação Atrial, prevenindo assim a ocorrência de Acidentes Vasculares Cerebrais doença que traz graves problemas para o doente e sua família, afetando diretamente a saúde pública e a sociedade.

O projeto piloto será base de estudo e monitoramento da doença para possível referência no Estado de Minas Gerais.

Segundo a coordenadora dos Centros Regionais de Saúde, Alésia Fernandes há cerca de um ano a Secretaria Municipal de Saúde vem realizando encontros períodos para formalização do projeto. No dia 22 de outubro todas as equipes de ESFsformadas por médicos, enfermeiros e coordenadores juntamente com as equipes de cardiologias e enfermeiras dos centros regionais se reuniram para selarem a abertura do projeto.

“Trabalhamos e trabalharemos muito no projeto para que tudo dê certo e possamos garantir a diminuição dos Acidentes Vasculares Encefálicos nos usuários portadores de Fibrilação Atrial, melhorando assim, a qualidade de vida deles. O projeto é uma proposta inovadora, sendo  uma conquista muito grande para o município”, afirma Aléssia Pereira.

No município a medicação Dabigatrana, utilizada para tratar a Fibrilação Atrial já é padronizada, facilitando assim o acesso aos usuários. O fluxo de dispensação foi alterado otimizando a oferta da medicação.

 

Os usuários serão todos cadastrados no projeto e para adesão devem ser avaliados pelo médico da unidade de ESF de referência e se houver suspeita da doença passará por avaliação do cardiologista nos Centros Regionais de Saúde, onde dará início ao cadastro no projeto.

Fotos:divulgação/PMCL