Conselho de Saúde pede a suspensão do decreto de abertura do comércio em Barbacena

19

Temendo o colapso do sistema de saúde de Barbacena, o Conselho Municipal de Saúde determinou, neste sábado (23), que o prefeito Luis Álvaro (PSD) suspenda o Decreto 8.661/2020, que permitiria a reabertura, na próxima segunda (25), dos setores do comércio contemplados pela chamada “Onda Branca”, do Programa Minas Consciente, do Governo do Estado.

A decisão do Conselho foi tomada depois que o Comando da Aeronáutica confirmou que pelo menos 90 integrantes da Escola Preparatória de Cadetes do Ar (Epcar) estão infectados pela Covid-19 e anunciou a liberação dos alunos saudáveis, neste final de semana.

A ocorrência de um número recorde de casos de Covid-19 na base militar foi denunciada pelo Notícias Gerais, em reportagem exclusiva na terça (19) e provocou uma reação em cadeia dos órgãos competentes. Na sexta (22), o Ministério Público Federal (MPF) recomendou a liberação dos alunos da base aérea.

Na noite de sexta (22), o Comando da Aeronáutica afirmou que havia testado os alunos e 90 deles estavam infectados, sendo que seis desenvolveram sintomas leves e o restante estava assintomático. Como os resultados saíram quase que imediatamente, a suspeita é foram aplicados testes rápidos, que costumam não ser muito precisos.

E o temor do Conselho é que a liberação dos alunos, além da dos 1500 militares e funcionários civis da base aérea, aumente muito a taxa de propagação da Covid-19 na região. Dentre as alegações da medida, o Conselho ressalta que a Epcar não possui estrutura própria para tratar possíveis casos de agravamento.

No documento encaminhado ao prefeito, a presidente do Conselho Municipal de Saúde, Carmem Lúcia Werneck, afirma que a deliberação foi tomada após consulta virtual aos conselheiros. E lembra que obedece aos dispositivos legais.

Ela ressalta que a divulgação do diagnóstico do alto número de integrantes da Epcar contaminados só ocorreu após a assinatura do decreto e, por isso, a situação precisa ser reavaliada.

“Não é que a gente não queira que o comércio reabra, mas isso tem que ser feito com segurança para todos. Não podemos perder todo o investimento feito em saúde até agora”, disse em entrevista ao Notícias Gerais.

Fonte: Notícias Gerais