De Lafaiete: Ex-miss Minas Gerais Tatiane Alves vai para prisão domiciliar

19

Presa nessa terça-feira (15) por suspeita de lavagem de dinheiro, organização criminosa e outros delitos como a fraude em licitação no transporte escolar de Esmeraldas, a ex-miss Minas Gerais, a lafaietense Tatiane Kelen Barbosa Alves Barcelos, conseguiu um alvará para que sua prisão seja domiciliar, por ter filho menor de 12 anos. Ela tem um casal de filhos, o mais novo tem apenas um ano e o mais velho, três anos.

A decisão, dada nesta sexta-feira (18) de forma liminar pelo desembargador Wanderley Paiva do Tribunal de Justiça de Minas Gerais, concede a Tatiane benefício semelhante ao que tiveram Michelle Gomes Alves Ferreira, mulher do ex-prefeito de Esmeraldas que está preso pelo mesmo esquema fraudulento, e Adriana Ancelmo, mulher do ex-governador do Rio, Sérgio Cabral.

No alvará concedido para a ex-miss, o desembargador determinou que ela não saia da comarca onde mora, mantenha endereço atualizado todo mês, não faça contato com outros réus do processo, exceto com o marido, que está preso, além de proibir acesso a telefone e redes sociais.

Tatiane Alves foi presa na terça feria passada

Tatiane, que ficou em 5º lugar no concurso Miss Brasil em 2005, é mulher de Emilson Custódio de Melo Barcelos, dono da BK Transportes, empresa suspeita de fraudar as licitações de transporte no município. O empresário foi preso em 17 de julho.

Beleza

Tatiane participou de concursos de beleza e de projetos na área da publicidade desde os 13 anos. Eleita Miss Conselheiro Lafaiete em 2004, ela representou a cidade quando conseguiu o posto mais alto da beleza em Minas Gerais no ano seguinte, ficando em 5º lugar no Miss Brasil daquele ano.

Três anos depois, alcançou o auge da carreira como modelo, quando ficou em quarto lugar no Miss Terra 2008, realizado nas Filipinas. Na ocasião, ela recebeu o título de Miss Fogo.

Ptolomeu

Deflagrada em 17 de julho passado, a operação Ptolomeu apontou que o esquema sucateava o transporte de estudantes em Esmeraldas. Foram presas 14 pessoas, entre elas os ex-prefeitos Luís Flávio Malta Leroy (PSD) e Glacialdo de Souza Ferreira (PMDB), suspeitos de corrupção ativa e passiva e organização criminosa. O contrato com a BK Transportes foi então cancelado, e a Coopertur foi vencedora de nova licitação, mas não cumpriu o contrato e foi dispensada.

Nessa terça-feira (15), foram divulgadas as quatro empresas vencedoras do pregão emergencial para atender os alunos. A previsão da prefeitura é que o serviço seja normalizado na próxima segunda-feira.

Foto Capa: Beauty Contests BLOG

Fonte: O Tempo