Departamento de trânsito estuda restringir circulação de carretas em Lafaiete

10
Durante 4 dias carreta ficou estacionada na Francisco Lobo/CORREIO DE MINAS
Departamento de trânsito estuda restringir circulação de carretas em Lafaiete/Arquivo

Diante de reclamações do perigo da circulação de carretas e bitrens e os constantes engarrafamentos, o Departamento Municipal de Trânsito (DMT) já estuda medidas para restringir o fluxo de veículos de carga pesada oriundo da BR 482 nos Bairros Chapada e Museu, em especial nas ruas Padre Lobo e Ruth de Souza, onde a situação é crítica.

A intenção é regulamentar o trânsito, com fixação de horários. As carretas bitrens poderiam passar pelo local porém de forma desacoplada. No caso os 2 semireboques seriam puxados de forma separada. A informação foi confirmada a nossa reportagem pelo secretário de defensa social, Pedro Loureiro.

Ainda esta semana o DMT deve divulgar as medidas já que com a municipalização do trânsito o órgão é que faz a gestão do trânsito.

Segundo informações o aumento do tráfego na Padre Lobo se deve ao transporte de argila oriundo da cidade de Brás Pires a Rio Claro (SP). O produto é matéria prima para cerâmica.

Moradores flagraram carretas que não conseguem subir a subida íngreme da rua Ruth de Sousa e estragam no local oferecendo perigo. os veículos ficam dias estacionados nas portas das residências esperando socorro.

Preocupados

Preocupados com o fluxo constantes de carretas e bitrens nas ruas de Lafaiete os vereadores sugeriram na semana passada que o prefeito Mário Marcus (DEM) regulamente uma lei de 2009, do então vereador Pastor Boaventura (PSDB) que disciplina o transito de cargas perigosas.

Baseando no Código Nacional de Transito o prefeito poderia traçar itinerários e horários  previamente autorizados pelo Departamento Municipal de Trânsito para estes tipos de cargas que atravessam diariamente a cidade.