Em ruínas, Estação Ferroviária de Buarque de Macedo conta com a sorte para permanecer em pé

29

Abandonada e esquecida, a Estação de Buarque de Macedo, nome dado em homenagem ao ministro de Obras Públicas em 1881, e inaugurada em 1893, somente conta com a sorte para permanecer em pé.
Ela é retrato fiel do descaso com a memória e seu passado que uma cidade que cresceu e desenvolveu graças a ferrovia, abrindo as portas do mundo ao incipiente Município de Queluz de Minas, no século XIX.
A tristeza corta quem visita o prédio: porta e janelas quebradas, telhado em ruínas e um prédio abandonado com as marcas do passado de glórias. Assusta como comove presenciar um patrimônio desta importância nas condições precárias. Cidade tem uma dívida com seu passado a ser resgatada.

Abandono

A comunidade de Buarque cobra há mais de uma década a reforma e o restauro do patrimônio do qual viu nascer a localidade.

O prédio estava abandonado em 2016. A estação estava fechada desde os anos 1980. “O agradável pátio de Buarque de Macedo, nas cercanias de Conselheiro Lafaiete. A antiga linha entre esta estação Cristiano Otoni foi erradicada há tempos. É possível se seguir de carro o velho trecho, uma paisagem bucólica que margeia a linha nova quase sempre. No caminho vemos as marcas da EFDPII, como muros de arrimo em pedra, bueiros de cantaria, etc. na linha nova, quando em paralelo com a velha, vemos os tradicionais bueiros com datas em alto relevo, típicos da EFCB. Quem não conhece vale a pena percorrer esse trecho. Com um pouco de sorte pode-se pegar trens da MRS no caminho. Numa subida íngreme entre Buarque e Cristiano, quase dentro de um belo corte com muro de pedra, explodiu a caldeira da famosa Loco 815, a Getúlio Vargas” (Pedro Paulo Resende, 10/2006).


Promotoria e licitação
Nossa reportagem entrou em contato com o Curador do Patrimônio Histórico, o Promotor Glauco Peregrino afirmou que a estação de Buarque de Macedo encontra-se sob a posse da Prefeitura Municipal de Conselheiro Lafaiete. “Em razão de um acordo judicial firmado entre Ministério Público e MRS, foi elaborado o projeto de restauração da estação, mas ainda não foi possível avançarmos para a execução do restauro propriamente dito”, assinalou.
O ex-secretário de cultura, hoje vereador, Geraldo Lafayette, afirmou que a intenção é que o espaço seja transformado em um centro de referência comunitária para uso da comunidade para reuniões, encontros, festas e promoção de atividades culturais. “Infelizmente estamos aguardando a licitação do projeto da estação ferroviária para sem seguida a MRS restaure o patrimônio.”, afirmou.