Estação ferroviária será patrimônio nacional; ex prefeito Vicente Faria propõe estátua ao Promotor Glauco Peregrino por sua luta pela preservação pela cultura

14
Prefeito Mário Marcus e autoridades cerram fita de reinauguração do Centro Cultural

Um dia louvor e celebração da cultura. Quase 9 anos depois, o Centro Cultural Centro Cultural Maria Andrade de Resende, que reúne o Museu Ferroviário, biblioteca e o memorial de Lafayette Rodrigues Pereira, foram reaberto em grande estilo na noite desta terça feira, dia 25, em Lafaiete. O espaço ainda reserva duas salas para exposições, galerias e reuniões e encontros.

Mas a principal notícia para a preservação do patrimônio histórico veio da representante do IPHAN (Instituto Patrimônio Histórico e Artístico Nacional), Célia Corsino. Ela adiantou que o prédio da estação ferroviária, erguido em 1833, por ordem de Dom Pedro II, foi indicado como patrimônio nacional.

Totalmente reformado, Centro Cultural conta com um rico acero e espaço para galerias, reuniões e encontros

Segundo ela, o avanço na legislação através da º11843, de 2017, prevê a valoração do exemplar, isto é, ele se credencia a receber investimentos privados através da lei Lei Rouanet, o principal mecanismo de fomento à Cultura do Brasil. Em seu discurso na solenidade, Corsino disse que 100 estações poderão receber recursos e estarão sob a guarda do patrimônio nacional. Passam agora a responsabilidade do IPHAN. A reforma da estação foi feita com investimentos diretos da MRS, sem auxílio das leis de incentivos.

Segundo o secretário Municipal de Cultura, Geraldo Lafayette, a intenção é criar uma rede de museus entre Juiz de Fora a Belo Horizonte, preservando a memória ferroviária, como também captando recursos para a reforma e restauração de estações em abandono dentre as quais Buarque de Macedo e Joaquim Murtinho. “Cerca de 40% do patrimônio histórico do Brasil está em Minas. Foram as ferrovias que abriram o mundo para Minas e Minas para o mundo. Estamos preservando nosso patrimônio e nossa memória não para o passado mas para o futuro”, avaliou Corsino.

A cerimônia

Lafaiete ganha mais um espaço cultural que a comunidade irá abraçar com plena atividade

A solenidade de abertura do Centro Cultural Maria Andrade de Resende, nome da mãe do ex senador Eliseu Resende, foi marcada por discursos entusiasmados em torno da preservação cultural e resgate do patrimônio histórico lafaietense. Luciano de Souza, representante da MRS, destacou o investimento para Lafaiete.

O Promotor Glauco Peregrino e exaltou a parceria entre a iniciativa privada e o poder público na restauração de bens, antes interditados, abandonados e carentes de reforma como a Matriz Nossa Senhora da Conceição, o Solar barão do Suassui e Fazenda Paraopeba. Os exemplares foram receberam investimentos através de termos de Ajustamentos de Condutas com a Gerdau, MRS e Ferrous. “Estas parcerias são iniciativas de sucesso e uma união de esforços”, resumiu.

O prefeito Mário Marcus (DEM), entusiasmado com a restauração da estação ferroviária, afirmou que teve o prazer de reinaugurar a obra cuja abertura ocorreu há 18 anos, quando então era secretário municipal de obras, na gestão do ex prefeito Vicente Faria (DEM).

Ele ressaltou a recuperação de bens como o coreto, casa do artesanato, com previsão de reabertura em outubro, a fonte luminosa, em processo de licitação, e a Casa de Cultura Gabriela Mendonça (reforma em processo licitatório). “Encontramos nosso patrimônio interditado, como o teatro municipal, alguns abandonados e deteriorados. Estamos cumprindo nosso compromisso de resgatar a história e cultura do nosso povo”, frisou.

Vicente Faria propõe estátua para o promotor Glauco Peregrino

O ex-prefeito Vicente Faria, que inaugurou espaço há 18 anos, defendeu a atuação do promotor Glauco Peregrino

Em seu discurso, o ex prefeito Vicente Faria fez um reverência especial ao Promotor Glauco Peregrino cujas ações resultaram na preservação de diversos bens como Matriz Nossa Senhora da Conceição, o Solar barão do Suassui e Fazenda Paraopeba, como também a construção do viaduto sobre a linha férrea o Bairro Carijós. “Pelo respeito a tantas autoridades aqui presentes, ele deveria ter uma estátua em praça pública pelo brilhante trabalho que desempenha pela nossa cultura, recuperando bens da nossa história. Será uma justa homenagem e reconhecimento”, sugeriu arrancando aplausos e risos do público.

Em seguida, Vicente rasgou elogios ao desempenho do prefeito Mário Marcus, seu pupilo político. “Temos um prefeito de alto quilate no comando de nossa cidade e isso me orgulha. Fui convidado por ele estar nesta cerimônia e não poderia me furtar desse compromisso”, assinalou. “Esta estação abriu as portas de Lafaiete e em torno da qual a cidade cresceu e desenvolveu”, argumentou.

Fotos: Mauro Dutra de Faria