Fé e devoção: mutidão encerra jubileu do Bom Jesus do Matosinhos

13

O 261º Jubileu do Senhor Bom Jesus de Matosinhos encerrou na tarde deste sábado (15), com celebração da Santa Missa concelebrada pelo Cônego Geraldo Leocádio, Pe. Rosemberg, Pe. Geraldo Souza e o Pároco da Igreja do Senhor Bom Jesus de Matosinhos, de Portugal, Manuel Mendes, que compõe uma comitiva daquela cidade em visita social a Congonhas.

Jubileu de Congonhas é a maior pregrinação de Minas

A frente da Basílica, onde é montada uma tenda e o palco para as celebrações, cou tomada de eis. Pe. Rosembergo, conhecido por animar esta festividade com sua alegria, arma que “as pessoas participam do Jubileu do Bom Jesus, de forma emocionada, dobrando os joelhos diante de Deus porque elas têm esperança,

Este ano recebemos a benção de poder contar no encerramento com o Pe. Manuel Mendes, porque a devoção ao Bom Jesus começou em Matosinhos há 800 anos e aqui a 261. Isso nos une ainda mais e demonstra a universalidade da Igreja”, comentou. Uma comissão da Prefeitura de Congonhas organizou novamente este ano uma grande infraestrutura que deu a segurança e o conforto necessários para que congonhenses e romeiros expressassem sua fé no Senhor Bom Jesus.