fbpx
22.8 C
Conselheiro Lafaiete
terça-feira, 27 julho 2021
InícioComunidade“Não se calem”, reforça a Vereadora Damires ao repercutir abuso sexual sofrido...

“Não se calem”, reforça a Vereadora Damires ao repercutir abuso sexual sofrido por mulher

A Vereadora Damires Rinarlly (PV), cuja bandeira é o protagonismo feminino, repercutiu o abuso sexual sofrido por uma mulher durante durante uma sessão de tatuagem. O crime ocorreu na manhã de terça-feira (15) e ganhou ampla divulgação nas mídias sociais.
“Mais um crime contra a mulher. Que elas não se calem e denunciem os assediadores. Após ela levar o caso a delegacia diversas mulheres tomaram coragem e relataram abusos ocorridos com o mesmo tatuador. Temos que denunciar estes crimes para eles não fiquem impunes”, reforçou a vereadora.

O Caso

Eram por volta das 9:30 horas, quando uma jovem de 33 anos se dirigiu ao estúdio do profissional. Seria a segunda tatuagem feita no mesmo local, inclusive o marido da vítima é também cliente do tatuador.

Segundo a vítima relatou a nossa reportagem, por volta das 11:00 horas, já nos retoques finais do procedimento, ele levantou a camisa e colocou o pênis para fora. “Por diversas vezes ele pegava na minha mão e colocava no órgão genital”, contou.

Constrangida, revoltada e apavorada com a situação, ela deixou o estúdio e foi até a rua quando acionou a PM. Sua irmã acompanhou os fatos.

A Vereadora Damires Rinarlly (PV)

“Eu gritava de pavor e as pessoas na rua ficaram assustadas com a situação”, comentou. Em 20 minutos, a viatura da PM chegou quando foram encaminhados ao posto em frente a rodoviária e confeccionado o Boletim de Ocorrência.

Em seguida, a mulher e tatuador foram a Delegacia Regional de Polícia para os depoimentos. O caso será investigado pela Delegacia Especializada de Crimes contra a Mulher. “Foi um horror tudo o que passei. Imagino que outras mulheres também tenham passado pelo mesmo constrangimento, mas tive coragem de denunciar, pois isso é um abuso. Não podemos tolerar mais estas situações, ainda tão comuns. Espero que seja feita justiça”, concluiu a vítima.

Leia mais:

Mais lidas