OPORTUNIDADE ÚNICA! veja como liquidar uma dívida R$1 mil com empresas com apenas R$100,00 e limpar seu nome

21

Sete empresas que realizaram parceria com a Centralização de Serviços dos Bancos (SERASA) estão oferecendo aos seus clientes, que possuírem débito de R$ 200 à R$ 1 mil, a oportunidade de quitá-la por R$ 100.

Devido a pandemia do coronavírus, o Serasa não está realizando atendimento presencial. A renegociação de dívida junto as empresas: Santander, Kroton, Credysystem, Recovery, BMG, Ativos S.A e Tricard, pode ser solicitada através do aplicativo ou site Serasa Limpa Nome. A expectativa do Serasa é de que com a facilidade, mais de 25 milhões de dívidas sejam quitadas.

Ainda que o desconto não seja tão atrativo como o acima mencionado, os consumidores que possuírem débitos junto ao banco Itaú, a empresa de cosméticos Avon, ao Carrefour, empresas de telefonia Claro, Oi e vivo ou nas Casas Bahia, também podem renegociar suas dívidas.

Inadimplência

O número de brasileiros endividados bateu recorde no mês de julho. Segundo a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), difundida pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), na última terça-feira (28), o salto no número de inadimplentes foi grande, 0,3 ponto percentual em relação ao mês de junho, o maior crescimento desde janeiro de 2010, representando no geral 3,3 pontos percentuais.

José Roberto Tadros, presidente da CNC, acredita que a situação é preocupante: “Indicadores recentes têm demonstrado sinais de alguma recuperação da economia a partir de maio e junho, mas ainda permanecem incertezas sobre a retomada, e a proporção de consumidores endividados no País é elevada”.

A pesquisa também levantou que a maioria das famílias que se endividaram possuem renda de até 10 salários mínimos, em contraponto, as famílias que recebem com renda superior a esta conseguiu reduzir o endividamento.

Os principais vilões dessa história já não são tão desconhecidos pela população, a pesquisa apontou que grande parte das dívidas foram realizadas através de cheque pré-datado, cartão de crédito, cheque especial, carnê de loja, crédito consignado, empréstimo pessoal e prestação de carro e de casa. (Mais Minas)