Paciente reclama de demora e falta de médico na policlínica; prefeitura responde

17
Paciente reclama de demora e falta de médico na policlínica/CORREIO DE MINAS

Mais uma vez a demora e falta de médicos na policlínica de Lafaiete é alvo de protestos. Uma paciente enviou a redação uma reclamação de que na última sexta feira, dia 10, ele passou mal e procurou atendimento. Fiquei lá de 14:00 às 16:00 horas e não vi nenhum médico chamar ninguém. Depois que começamos a reclamar que apareceu. Fiquei lá aguardando exames até às 21:00 horas e no turno da noite foi a mesma coisa. Tinham os quatro nomes dos médicos como se estivessem de plantão, mas lá dentro havia um atendendo. Perguntado aos funcionários cadê os médicos, falaram que eles revezam entre si”, afirmou Flaviana Bandeira de Paiva Machado.

Nossa reportagem procurou a direção da policlínica para esclarecer as denúncias. “Em resposta a reclamação da usuária vimos informar que a direção da Policlínica Municipal vem buscando soluções para melhorar o fluxo do atendimento.

Nesta perspectiva esclarece que presta serviço de Urgência e Emergência além, de atendimentos pouco urgentes e não urgentes seguindo o Protocolo de Manchester determinado pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

Dentro deste, a usuária foi classificada pela cor verde, considerado Pouco Urgente, podendo aguardar atendimento de até 120 minutos ou serem encaminhados para outros serviços de saúde”, disse a nota enviada a redação do site.

Segundo a direção da policlínica no dia do atendimento tinham cinco médicos na urgência e emergência e um médico na reavaliação.