Prefeitos e sindicatos pleiteiam reabertura do comércio

15

Dando voz ao povo:
Um lojista que preferiu não se identificar, indignado com a situação criticou e pontuou a ação de várias prefeitos como desnecessária em relação ao decreto de estado de calamidade pública que aconteceu em vários municípios da nossa região, entre eles, Conselheiro Lafaiete. Com uma população estimada em 128.589 pessoas em [2019], até o momento registrou 3.922 casos suspeitos e apenas um óbito vítima do

Prefeitos e sindicatos pleiteiam reabertura do comércio / AFX NOTÍCIAS

Coronavírus, com leitos disponíveis em dois hospitais, no hospital de Campanha e no HMSJ.
De acordo com o lojista, o mau planejamento das ações de prevenção contra o avanço da pandemia do COVID-19 é o resultado da quebradeira no setor e na economia da maioria das cidades que tem no comércio a sua maior fonte de arrecadação e empregos para o cidadão. Por outro lado, a maioria da população desinformada acatou as normas de confinamento no isolamento social como se esta fosse a única forma de se proteger e combater a disseminação do COVID-19, porém se esqueceram dos demais compromissos como os financeiros que surgiriam em virtude desta ação.

O dono de um Box no camelódromo disse que está completamente fora do ramo e que não entendeu o porquê do fechamento deste tipo de comércio, até porque ele é feito ao ar livre, pois dentro do pequeno Box mal cabe o vendedor e suas mercadorias, no entanto, o numero de pessoas neste tipo de comércio é bem menor do que nas filas da Caixa onde milhares de pessoas se aglomeraram em busca do benefício do Governo.

“Agora que se aproximam as eleições, os prefeitos e os sindicatos do comércio querem buscar soluções junto ao governador para liberar a reabertura de todo o comércio, isto prova que o povo simplesmente é usado como massa de manobra”, disse ele.
“Porque ao invés de fechar totalmente o comércio não usaram o bom senso nos critérios adotados, ou seja, nem todos permaneceram fechados e estes foram considerados essências para a população, más se esqueceram do caos e da quebradeira de muitos ambulantes e lojistas, bem como, dos funcionários que na maioria dependem do seu trabalho para o sustento da sua família” pontuou o Camelô. (AFX Notícias)