Rodovia da morte: Câmara vai discutir obras prioritárias para o trecho da BR 040 em Lafaiete

Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.
Palco de inúmeras tragédias, Câmara entra no debate para discussão das intervenções na BR040 no trecho de Lafaiete/Reprodução

Perto da relicitação da nova concessionária, a Câmara aprovou ontem, dia 25, durante sessão, a realização de audiência pública, de iniciativa do vereador Sandro José (PSDB), para a definição, pela comunidade, das obras prioritárias, como pontes, viadutos, passarelas e outras intervenções no perímetro de Lafaiete. As obras farão parte de um pacote de investimentos que serão entregues ao Governo Federal e incluídas para as suas realizações no contrato com a nova concessionária. “È um pouco vergonha o trecho entre Carandaí a Belo Horizonte. Tomara que façamos esta audiência após as eleições para cobrarmos dos deputados votados aqui em Lafaiete maior compromisso com a cidade. A gente fica pensando nas pessoas que saem de casa e talvez não retornem aos seus lares por tantas tragédias provocadas”, sentenciou.

O vereador Fernando Bandeira (PTB) também exigiu a participação e o empenho dos deputados votados em Lafaiete em torno das demandas e investimento necessários para trazer mais segurança a rodovia. “Vou cobrar do meu deputado e espero que ele esteja aqui na audiência. Em outras que nós promovemos aqui sequer a Via 040 mandou um representante, mas cobrar pedágios eles podem”, disparou.

O vereador André Menezes (PP) sugeriu a criação de uma pista somente para caminhões e carretas. “Vivemos de migalhas pois não temos representação o Congresso. Esta rodovia é assassina”, insinuou Alan Teixeira (PHS).

Já o vereador Osvaldo Barbosa (PP) frisou que apenas 2% dos acidentes são provocados por falha mecânica. “Tivemos muito poucas melhorias e BR continua na mesma situação. Precisamos investir o ser humano”, assinalou.

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.
FacebooktwitterFacebooktwitter

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *