10 cursos técnicos mais recomendados para quem passou dos 40

Se você tem mais de 40 anos e busca opções de cursos, saiba que existem excelentes opções para quem já é mais experiente

A busca pelo conhecimento não possui idade, e a decisão de voltar aos estudos transcende qualquer barreira de idade. Se você está pensando em retomar a jornada acadêmica, independente da sua idade, este artigo é para você!

A ideia de frequentar uma faculdade, realizar cursos técnicos ou aprofundar-se em uma área específica do saber não é mais restrita aos recém-formados do ensino médio. Nunca antes tantas pessoas, com mais experiência de vida, têm demonstrado interesse em dedicar-se aos estudos, motivadas por prazer, necessidade ou em busca de realizações pessoais.

A notícia reconfortante é que a idade não deve, de maneira alguma, tornar-se um obstáculo para aqueles que desejam integrar esse grupo crescente de aprendizes maduros. Com a diversidade de opções disponíveis, o leque de cursos técnicos se revela como uma excelente escolha para quem está disposto a explorar novos horizontes educacionais.

Pensando nisso, preparamos uma lista concisa com alguns dos melhores cursos técnicos destinados a indivíduos com mais de 40 anos. Vamos juntos explorar oportunidades e quebrar paradigmas!

Cursos recomendados para quem passou dos 40

À medida que a busca por educação continua a transcender as barreiras do tempo, surgem oportunidades incríveis para aqueles que decidem retornar aos estudos após os 40 anos. Diversos cursos técnicos se destacam como escolhas excepcionais, capitalizando a experiência de vida e a maturidade desses aprendizes dedicados. Vamos explorar algumas dessas profissões e entender por que são excelentes opções para quem busca uma reinvenção profissional.

1. Enfermagem

O curso técnico em Enfermagem é uma opção acelerada para aqueles que sonham em ingressar na área da saúde. Sua rápida duração torna-se atrativa, e a valorização no mercado de trabalho é inegável. Mesmo sendo um profissional de nível médio, a modalidade técnica é uma das mais populares, especialmente para aqueles que buscam contribuir para o setor da saúde de maneira ágil e eficaz.

2. Técnico em Construção Civil

O Técnico em Construção Civil desempenha um papel crucial na supervisão de obras e no controle de processos. Pessoas acima de 40 anos podem trazer uma perspectiva única ao ambiente de construção, combinando os ensinamentos do curso com suas vivências. A colaboração entre o conhecimento técnico e a experiência de vida é uma combinação poderosa na busca de soluções e na gestão eficiente de projetos.

3. Técnico em Logística

A área de logística está em ascensão, e o Técnico em Logística é essencial para garantir o suprimento eficiente das necessidades organizacionais. Profissionais com mais de 40 anos podem contribuir significativamente, aproveitando suas habilidades de planejamento e administração, agregando um toque de eficiência ao gerenciamento de estoques e fluxo de mercadorias.

4. Técnico em Soldagem

A soldagem é uma área com uma demanda constante por profissionais capacitados. Pessoas mais velhas que se dedicam ao curso técnico em Soldagem não apenas adquirem novas habilidades, mas também contribuem com sua maturidade para a execução de soldas e estruturas metálicas, garantindo a conformidade com normas técnicas e de segurança.

5. Comércio Exterior

O Comércio Exterior é uma carreira dinâmica e em expansão, abrindo espaço para profissionais mais velhos que desejam aplicar suas experiências pessoais e visão madura. A maturidade é um diferencial valioso nesse campo, permitindo uma abordagem estratégica e uma compreensão aprofundada das nuances do comércio global. Além disso, a demanda por profissionais qualificados é alta, independentemente da idade, tornando o Comércio Exterior uma escolha promissora.

6. Gastronomia

Para entusiastas culinários que aspiram a se tornar chefs de cozinha, o curso técnico em Gastronomia é uma escolha envolvente. Com aulas práticas, a experiência de vida de alunos mais maduros pode enriquecer o ambiente educacional, oferecendo perspectivas valiosas. Profissionais de gastronomia mais velhos muitas vezes transmitem confiança e habilidades consolidadas, destacando-se no competitivo cenário gastronômico.

7. Técnico em Segurança no Trabalho

A segurança no trabalho é uma preocupação crescente nas empresas, e o Técnico em Segurança no Trabalho desempenha um papel crucial nesse cenário. Profissionais com mais de 40 anos são valiosos nessa área, supervisionando a aplicação de medidas para garantir condições seguras, aproveitando sua maturidade para identificar e minimizar os riscos de acidentes no ambiente de trabalho.

8. Técnico em Radiologia

O curso técnico em Radiologia é uma opção intrigante para quem busca uma carreira técnica após os 40 anos. Com a experiência de vida, esses profissionais podem agregar uma compreensão mais profunda sobre a importância das imagens na área da saúde. O conhecimento técnico adquirido no curso permite que contribuam para a produção e análise de imagens radiológicas, desempenhando um papel crucial nos diagnósticos médicos.

9. Técnico em Meio Ambiente

A crescente preocupação com a sustentabilidade torna o curso técnico em Meio Ambiente uma escolha significativa. Profissionais com mais de 40 anos, ao optarem por essa formação, podem aplicar sua maturidade no desenvolvimento e implementação de práticas ambientalmente responsáveis. A compreensão aprofundada dos desafios globais e a capacidade de liderança fazem deles agentes valiosos na promoção da sustentabilidade em diversos setores.

10. Técnico em Informática

Em um mundo cada vez mais digital, o curso técnico em Informática surge como uma oportunidade para quem busca reinventar-se profissionalmente após os 40 anos. Profissionais mais experientes trazem consigo uma mentalidade analítica e habilidades interpessoais desenvolvidas ao longo dos anos. Ao explorar esse curso, eles podem adquirir conhecimentos técnicos em programação, redes e suporte, tornando-se ativos valiosos na era da transformação digital.

Por que escolher um curso técnico após os 40 anos?

Escolher um curso técnico após os 40 anos é uma decisão estratégica que oferece inúmeras vantagens para os profissionais nessa faixa etária. Em primeiro lugar, os cursos técnicos são reconhecidos por sua abordagem prática e foco direto nas habilidades exigidas pelo mercado de trabalho. Para quem já acumulou experiência profissional ao longo dos anos, essa abordagem permite uma transição mais rápida e eficiente para novas áreas, capitalizando as habilidades prévias e agregando conhecimentos técnicos específicos.

Além disso, a escolha por um curso técnico oferece a chance de explorar novas paixões e se adaptar às demandas do mercado contemporâneo. Profissionais mais maduros trazem consigo uma riqueza de experiência e habilidades interpessoais, características valorizadas em qualquer setor. Essa combinação de experiência e treinamento técnico pode resultar em uma reinserção profissional bem-sucedida, promovendo uma carreira mais dinâmica e adaptável em um cenário econômico em constante evolução.

FONTE MEU VALOR DIGITAL

Casamento sem sexo é comum na geração que está entre 30 e 40 anos

Devido ao estresse e à pornografia, millennials tem frequência mais baixa na cama do que idosos acima dos 60 anos

É difícil imaginar um casamento sem sexo, com duas pessoas dividindo a mesma cama e sem qualquer intimidade. Mas ele não só existe, como também vem se transformando num fenômeno comum. A principal explicação para isso tem nome: millennials, a geração Y, nascida entre o início dos anos 1980 e a década seguinte e que viveu a transição tecnológica com a chegada da internet e seus desdobramentos na vida social e profissional.  

“É a geração que mais vive um casamento sem sexo”, garante Bárbara Vilela, psiquiatra e psicoterapeuta, sócia-diretora da Clínica Mangabeiras, em Belo Horizonte. Ela já percebe no consultório uma mudança acentuada de perfil dos pacientes que vão em busca de solução para o problema da falta de contato social sexual, definido como “casamento branco” – a cor é referência ao francês “blanc”, que também significa “vazio”.  

Bárbara salienta que são várias as razões para essa baixa frequência debaixo dos lençóis entre os millenials – a principal delas é o fato de ser uma geração workaholic. Em demasia. “Ela é muito focada no trabalho, inserindo-se nesse mercado num momento de crise, pegando a pandemia, e que agora está muito preocupada em ter a casa própria e alcançar outros objetivos pessoais”, explica a psicoterapeuta.  

Ela lembra que, nessa mesma faixa etária, entre os 30 e 40 anos, os pais desse público já tinham conquistado a maior parte de seus objetivos de vida. “Tem aí um estresse financeiro e profissional. É uma geração também em que a maioria está com filho pequeno, que também é algo que atrapalha bastante a vida sexual”, analisa Bárbara.   

As redes sociais também têm sua parcela de culpa no casamento branco, ao propagandear um ideal de vida perfeita e corpo sarado. “Isso acaba gerando uma comparação, com as pessoas ficando mais insatisfeitas com o próprio corpo. Para as mulheres, isso faz muita diferença quando se trata de vida sexual. Não se sentir confortável com o próprio corpo diminui o desejo sexual”, assinala.  

Se alguém imagina que, para ser considerada uma relação sem intimidade, a quantidade de transas tem que ser zero, está enganado. Embora não haja consenso sobre números, Bárbara observa que “não precisa ser um casamento 100% sem sexo, podendo ser com uma frequência muito baixa”. Alguns estudiosos dizem que, para se encaixar nessa definição, a quantidade de conjunções carnais deve tem que de ser uma vez a cada três ou mais meses. Outros estipulam em 12 vezes ao ano.  

“O que vai definir se é um problema ou não é o fato de um dos dois ou ambos estarem insatisfeitos. Se a frequência for baixa e o casal estiver satisfeito, percebendo que ali há momentos românticos mesmo sem sexo, tudo bem”, pondera. O mais comum, segundo ela, é os dois estarem se questionando sobre o futuro da relação. Nesse momento entra em cena o terapeuta de casais para ajudar num desfecho, que pode ser a separação.  

Para os sexólogos ou psicólogos, o casamento branco se tornou um desafio, já que, tempos atrás, quem buscava ajuda eram casais com mais de 50 anos que estavam parando de ter vida sexual devido à menopausa, à andropausa ou a outros tipos de problemas de saúde. “Agora já é um pessoal mais novo, com outras questões. Hoje, os idosos com mais de 60 anos têm uma vida sexual mais ativa do que os casais de 30, 40 anos”.  

Quando os parceiros chegam ao consultório, a psicoterapeuta tem, como primeiro passo, buscar uma solução. “Temos que ver primeiramente se é um problema ou não para o casal. Eu já atendi vários deles que me relataram isso em algum momento, não sendo a queixa principal deles, mas que não veem problema em continuar dessa forma, sem fazer sexo. Mas, quando é um problema, temos que ver de onde ele está surgindo”, afirma.  

Intimidade sob os lençóis exige tempo e qualidade  

Entre as principais origens está, por exemplo, a falta de tempo de qualidade, principalmente se for um casal que passa mais fora do que dentro de casa, devido ao trabalho. “Quando chega o final do dia, eles já estão exaustos, e nenhum dos dois quer saber disso. Então tentamos investir nesse tempo de qualidade, em que estará sozinho e dedicará energia e tempo para aquilo ali”, detalha Bárbara.  

Se à noite ninguém quer saber de carinhos, qual seria o melhor horário para se estabelecer essa intimidade? Essa pergunta é que deve ser feita para o casal. Outra coisa é perceber se há algo ruim no próprio ato sexual, tornando-o desinteressante. “Se é uma relação muito longa, não tem mais aquela novidade. Aí é preciso buscar, para torná-la interessante de novo”.  

A pornografia em exagero também atrapalha. “Acontece de uma ou as duas pessoas da relação só conseguirem excitação se tiver pornografia envolvida. Nesses casos, não acontece muita coisa entre eles”, pontua. Ela recorda que, até há bem pouco tempo, o que existia de pornografia eram revistas, “que dependiam da imaginação”, e filmes eróticos com história, que “não eram tão explícitos (ou concluídos) rapidamente”.  

Atualmente o que é disponibilizado nos sites são vídeos de até cinco minutos e totalmente fora da realidade. “As pessoas que os consomem passam a ficar acostumadas com um estímulo muito rápido e intenso. E quando você vai comparar com a vida sexual de um casamento de 10, 15 anos, é difícil. Por isso é que dizemos a pornografia interfere muito mais agora do que antigamente”, contrasta.  

Muito se fala da importância do sexo para a saúde do corpo e da mente, mas Bárbara Vilela avisa que, em tese, não se pode estender isso a todas as pessoas. “Tem muita gente que decide viver sem isso ou que se considera assexuada, e está tudo bem. Mas, claro, a gente sabe que o sexo libera endorfina e dopamina, trazendo diversos benefícios, parecidos com o que a gente vê na atividade física. O orgasmo diminui o nível de estresse do dia a dia”.  

Ela ressalta também que o casal que não tem uma boa interação entre quatro paredes acaba se distanciando, do ponto de vista emocional. Esse afastamento acontece, de acordo com a psicóloga, mais em função de uma cultura do que de uma insatisfação. “Eles chegam aqui não querendo que o casamento acabe, mas que, sem vida sexual, imaginam que vai acabar. O que falo é que, se você não quiser, a relação não vai acabar por isso”.  

Bárbara conta que, em alguns casos, os parceiros estão pensando mais no futuro do que no presente. “Como acham que não é possível continuar sem sexo, preferem terminar enquanto são jovens e mudam o relacionamento. Só que o problema continua. Às vezes são outros fatores que estão impactando”, registra. A boa notícia é que, na maioria das vezes, os casais se entendem e preferem não se divorciar. Mas, claro, tudo isso com um acompanhamento profissional.

FONTE O TEMPO

Casamento sem sexo é comum na geração que está entre 30 e 40 anos

Devido ao estresse e à pornografia, millennials tem frequência mais baixa na cama do que idosos acima dos 60 anos

É difícil imaginar um casamento sem sexo, com duas pessoas dividindo a mesma cama e sem qualquer intimidade. Mas ele não só existe, como também vem se transformando num fenômeno comum. A principal explicação para isso tem nome: millennials, a geração Y, nascida entre o início dos anos 1980 e a década seguinte e que viveu a transição tecnológica com a chegada da internet e seus desdobramentos na vida social e profissional.  

“É a geração que mais vive um casamento sem sexo”, garante Bárbara Vilela, psiquiatra e psicoterapeuta, sócia-diretora da Clínica Mangabeiras, em Belo Horizonte. Ela já percebe no consultório uma mudança acentuada de perfil dos pacientes que vão em busca de solução para o problema da falta de contato social sexual, definido como “casamento branco” – a cor é referência ao francês “blanc”, que também significa “vazio”.  

Bárbara salienta que são várias as razões para essa baixa frequência debaixo dos lençóis entre os millenials – a principal delas é o fato de ser uma geração workaholic. Em demasia. “Ela é muito focada no trabalho, inserindo-se nesse mercado num momento de crise, pegando a pandemia, e que agora está muito preocupada em ter a casa própria e alcançar outros objetivos pessoais”, explica a psicoterapeuta.  

Ela lembra que, nessa mesma faixa etária, entre os 30 e 40 anos, os pais desse público já tinham conquistado a maior parte de seus objetivos de vida. “Tem aí um estresse financeiro e profissional. É uma geração também em que a maioria está com filho pequeno, que também é algo que atrapalha bastante a vida sexual”, analisa Bárbara.   

As redes sociais também têm sua parcela de culpa no casamento branco, ao propagandear um ideal de vida perfeita e corpo sarado. “Isso acaba gerando uma comparação, com as pessoas ficando mais insatisfeitas com o próprio corpo. Para as mulheres, isso faz muita diferença quando se trata de vida sexual. Não se sentir confortável com o próprio corpo diminui o desejo sexual”, assinala.  

Se alguém imagina que, para ser considerada uma relação sem intimidade, a quantidade de transas tem que ser zero, está enganado. Embora não haja consenso sobre números, Bárbara observa que “não precisa ser um casamento 100% sem sexo, podendo ser com uma frequência muito baixa”. Alguns estudiosos dizem que, para se encaixar nessa definição, a quantidade de conjunções carnais deve tem que de ser uma vez a cada três ou mais meses. Outros estipulam em 12 vezes ao ano.  

“O que vai definir se é um problema ou não é o fato de um dos dois ou ambos estarem insatisfeitos. Se a frequência for baixa e o casal estiver satisfeito, percebendo que ali há momentos românticos mesmo sem sexo, tudo bem”, pondera. O mais comum, segundo ela, é os dois estarem se questionando sobre o futuro da relação. Nesse momento entra em cena o terapeuta de casais para ajudar num desfecho, que pode ser a separação.  

Para os sexólogos ou psicólogos, o casamento branco se tornou um desafio, já que, tempos atrás, quem buscava ajuda eram casais com mais de 50 anos que estavam parando de ter vida sexual devido à menopausa, à andropausa ou a outros tipos de problemas de saúde. “Agora já é um pessoal mais novo, com outras questões. Hoje, os idosos com mais de 60 anos têm uma vida sexual mais ativa do que os casais de 30, 40 anos”.  

Quando os parceiros chegam ao consultório, a psicoterapeuta tem, como primeiro passo, buscar uma solução. “Temos que ver primeiramente se é um problema ou não para o casal. Eu já atendi vários deles que me relataram isso em algum momento, não sendo a queixa principal deles, mas que não veem problema em continuar dessa forma, sem fazer sexo. Mas, quando é um problema, temos que ver de onde ele está surgindo”, afirma.  

Intimidade sob os lençóis exige tempo e qualidade  

Entre as principais origens está, por exemplo, a falta de tempo de qualidade, principalmente se for um casal que passa mais fora do que dentro de casa, devido ao trabalho. “Quando chega o final do dia, eles já estão exaustos, e nenhum dos dois quer saber disso. Então tentamos investir nesse tempo de qualidade, em que estará sozinho e dedicará energia e tempo para aquilo ali”, detalha Bárbara.  

Se à noite ninguém quer saber de carinhos, qual seria o melhor horário para se estabelecer essa intimidade? Essa pergunta é que deve ser feita para o casal. Outra coisa é perceber se há algo ruim no próprio ato sexual, tornando-o desinteressante. “Se é uma relação muito longa, não tem mais aquela novidade. Aí é preciso buscar, para torná-la interessante de novo”.  

A pornografia em exagero também atrapalha. “Acontece de uma ou as duas pessoas da relação só conseguirem excitação se tiver pornografia envolvida. Nesses casos, não acontece muita coisa entre eles”, pontua. Ela recorda que, até há bem pouco tempo, o que existia de pornografia eram revistas, “que dependiam da imaginação”, e filmes eróticos com história, que “não eram tão explícitos (ou concluídos) rapidamente”.  

Atualmente o que é disponibilizado nos sites são vídeos de até cinco minutos e totalmente fora da realidade. “As pessoas que os consomem passam a ficar acostumadas com um estímulo muito rápido e intenso. E quando você vai comparar com a vida sexual de um casamento de 10, 15 anos, é difícil. Por isso é que dizemos a pornografia interfere muito mais agora do que antigamente”, contrasta.  

Muito se fala da importância do sexo para a saúde do corpo e da mente, mas Bárbara Vilela avisa que, em tese, não se pode estender isso a todas as pessoas. “Tem muita gente que decide viver sem isso ou que se considera assexuada, e está tudo bem. Mas, claro, a gente sabe que o sexo libera endorfina e dopamina, trazendo diversos benefícios, parecidos com o que a gente vê na atividade física. O orgasmo diminui o nível de estresse do dia a dia”.  

Ela ressalta também que o casal que não tem uma boa interação entre quatro paredes acaba se distanciando, do ponto de vista emocional. Esse afastamento acontece, de acordo com a psicóloga, mais em função de uma cultura do que de uma insatisfação. “Eles chegam aqui não querendo que o casamento acabe, mas que, sem vida sexual, imaginam que vai acabar. O que falo é que, se você não quiser, a relação não vai acabar por isso”.  

Bárbara conta que, em alguns casos, os parceiros estão pensando mais no futuro do que no presente. “Como acham que não é possível continuar sem sexo, preferem terminar enquanto são jovens e mudam o relacionamento. Só que o problema continua. Às vezes são outros fatores que estão impactando”, registra. A boa notícia é que, na maioria das vezes, os casais se entendem e preferem não se divorciar. Mas, claro, tudo isso com um acompanhamento profissional.

FONTE O TEMPO

Você tem entre 40 e 60 anos? Confira NOVIDADES sobre a APOSENTADORIA do INSS

Novidades Sobre a Aposentadoria do INSS para Pessoas Entre 40 e 60 Anos

Desde a Reforma da Previdência em 2019, foram implementadas novidades nas modalidades de aposentadoria que afetam diversas gerações. Este artigo pretende esclarecer essas novidades para pessoas entre 40 e 60 anos.

Contexto da Reforma Previdenciária

A reforma previdenciária, realizada em novembro de 2019, trouxe mudanças significativas nos parâmetros de acesso à aposentadoria. Agora, os segurados precisam estar atentos a uma série de regras para acessar os benefícios, seja a aposentadoria por idade ou por tempo de contribuição.

Aposentadoria para Pessoas na Faixa dos 40 aos 50 Anos

A aposentadoria para pessoas nesta faixa etária sempre esteve classificada como especial. Com a reforma da Previdência, para que o indivíduo ainda tenha direito à aposentadoria nessa idade, é necessário aplicar a regra do direito adquirido.

Direito Adquirido

Para ter direito à aposentadoria nesta idade, é necessário que o segurado tenha preenchido os requisitos até o dia 13 de novembro de 2019. Após essa data, a idade mínima exigida passou a ser de 50 anos.

Opções de Benefício

As opções de benefício para quem se encontra nesta faixa etária são:

  1. Aposentadoria por tempo de contribuição;
  2. Aposentadoria proporcional;
  3. Aposentadoria especial;
  4. Aposentadoria para PCD;
  5. Aposentadoria por tempo de contribuição com pedágio de 50%.

Aposentadoria para Pessoas Com Idade Entre 55 e 60 Anos

Para este público, analisar as regras de transição é essencial na escolha do melhor benefício.

Idade Mínima Progressiva

Nesta regra, apenas seguradas com idade superior a 58 anos podem se aposentar, desde que tenham contribuído por 30 anos.

Pedágio de 100%

Esta regra contempla contribuintes de ambos os sexos. Mulheres precisam ter idade acima de 57 anos e homens, superior a 60 anos. Além disso, é necessário cumprir o tempo mínimo de contribuição mais um “pedágio” de 100%.

Pedágio de 50%

Esta regra abrange mulheres e homens. Não exige idade mínima para quem faltava menos de 2 anos de contribuição em 13 de novembro de 2019.

Regra dos Pontos

Segundo esta regra, mulheres que completaram 90 pontos e homens que somaram 100 pontos, de acordo com as regras da previdência, podem se aposentar.

Aposentadoria Especial

Esta regra é uma possibilidade para todos os segurados homens e mulheres que trabalharam em atividades consideradas especiais.

A Conquista da Aposentadoria integral em 2023

aposentadoria integral, ou seja, receber 100% do valor do benefício, é o sonho de todo trabalhador que já está planejando o seu futuro. No entanto, com as novas regras da Reforma da Previdência de 2019, essa meta parece cada vez mais difícil de ser alcançada.

Mas, não se desespere! Em alguns cenários, ainda é possível atingir a tão sonhada aposentadoria integral em 2023. Vamos entender como? Continue lendo este artigo e descubra se você pode ser um dos afortunados.

Entendendo a Aposentadoria integral

Antes de mais nada, é importante esclarecer que a aposentadoria integral não é uma modalidade específica de aposentadoria do INSS, mas sim um termo que se refere à forma de cálculo do benefício. Alcançar a aposentadoria integral significa receber mensalmente 100% do seu salário de benefício, que explicaremos em detalhes a seguir.

É fundamental entender que obter a aposentadoria integral não significa, necessariamente, receber o teto do INSS(R$ 7.507,49). Enquanto o teto do INSS é o valor máximo que a Previdência Social paga, a aposentadoria integral corresponde ao valor integral do seu benefício, baseado nas suas contribuições para o INSS.

O Significado do Salário de Benefício

Salário de Benefício (SB) é um conceito técnico que serve como base para calcular o valor da sua aposentadoria. De forma simplificada, o SB é uma média das suas contribuições para o INSS.

Contudo, é importante esclarecer o que o SB NÃO é:

  • NÃO é o valor que você vai receber mensalmente da sua aposentadoria;
  • NÃO é o mesmo que o valor das suas contribuições mensais.

Como se Calcula a Aposentadoria integral

O cálculo da aposentadoria se baseia no Salário de Benefício (SB) e, na maioria dos casos, é aplicado um redutor (coeficiente). Este redutor diminui o SB, fazendo com que você não receba a aposentadoria integral. Em outras palavras, você não terá direito a 100% da sua aposentadoria.

Mas calma! Existem algumas formas de aposentadoria em que o cálculo não se aplica nenhum redutor. No entanto, isso é uma grande exceção, principalmente após a Reforma da Previdência.

O Antes e o Depois da Reforma da Previdência

Com a Reforma da Previdência, implementada a partir de 13/11/2019, houve uma mudança significativa no cálculo do Salário de Benefício. Antes da reforma, o SB era calculado pela média aritmética dos 80% maiores salários de contribuição, desconsiderando os 20% menores.

Após a reforma, a média do Salário de Benefício passou a considerar 100% de todos os salários, incluindo os menores.

A Regra de Transição e Seus Impactos

A Reforma da Previdência também trouxe as chamadas regras de transição. Estas regras são uma espécie de “meio termo” entre as regras antigas e as novas, permitindo que os segurados que já estavam contribuindo para o INSS antes da reforma possam se aposentar sem serem tão prejudicados pelas novas regras.

A Possibilidade de Aposentadoria integral em 2023

Ainda é possível receber o valor integral da sua aposentadoria, mesmo que a fórmula de cálculo sofra com algum redutor. No entanto, para confirmar se esse é o seu caso, é necessário entender como funciona o cálculo das Aposentadorias do INSS, juntamente com a aplicação de seus respectivos redutores.

Exemplos Práticos de Cálculos de Aposentadoria

Para exemplificar como os cálculos funcionam na prática, vamos considerar alguns exemplos fictícios.

Suponhamos que Maria tenha reunido os requisitos para se aposentar por idade antes do dia 12/11/2019, com 60 anos de idade e 18 anos de contribuição. O seu Salário de Benefício é de R$ 2.500,00. Portanto, a sua aposentadoria por idade seria de 88% de R$ 2.500,00, ou seja, R$ 2.200,00.

Agora, vamos considerar o caso de João, que trabalhou como dentista e reuniu os requisitos para a sua aposentadoria especial antes das regras mudarem. O seu Salário de Benefício é de R$ 4.500,00. Como a Aposentadoria Especial não tinha redutor antes da Reforma da Previdência, ele receberá a sua Aposentadoria de forma integral, ou seja, R$ 4.500,00.

Dicas para Maximizar o Valor da Aposentadoria

Para garantir uma aposentadoria integral, é importante fazer um planejamento previdenciário cuidadoso e estratégico. Aqui vão algumas dicas:

  • Contribua sempre com o teto máximo do INSS;
  • Evite períodos sem contribuição;
  • Se possível, adie a sua aposentadoria para acumular mais contribuições.

A Importância do Planejamento Previdenciário

O planejamento previdenciário é uma ferramenta essencial para garantir uma aposentadoria integral. Ele permite que você se organize e faça as melhores escolhas para maximizar o valor do seu benefício.

Como vimos, alcançar a aposentadoria integral é um desafio, mas não é impossível. Com planejamento e estratégia, você pode garantir um futuro mais tranquilo e seguro. Não deixe para a última hora, comece a planejar a sua aposentadoria agora mesmo!

Espero que este artigo tenha sido útil. Caso você tenha alguma dúvida ou queira compartilhar a sua experiência, deixe um comentário abaixo. Boa sorte na sua jornada rumo à aposentadoria integral!

FONTE NOTICIAS CONCURSOS

Você tem entre 40 e 60 anos? Confira NOVIDADES sobre a APOSENTADORIA do INSS

Novidades Sobre a Aposentadoria do INSS para Pessoas Entre 40 e 60 Anos

Desde a Reforma da Previdência em 2019, foram implementadas novidades nas modalidades de aposentadoria que afetam diversas gerações. Este artigo pretende esclarecer essas novidades para pessoas entre 40 e 60 anos.

Contexto da Reforma Previdenciária

A reforma previdenciária, realizada em novembro de 2019, trouxe mudanças significativas nos parâmetros de acesso à aposentadoria. Agora, os segurados precisam estar atentos a uma série de regras para acessar os benefícios, seja a aposentadoria por idade ou por tempo de contribuição.

Aposentadoria para Pessoas na Faixa dos 40 aos 50 Anos

A aposentadoria para pessoas nesta faixa etária sempre esteve classificada como especial. Com a reforma da Previdência, para que o indivíduo ainda tenha direito à aposentadoria nessa idade, é necessário aplicar a regra do direito adquirido.

Direito Adquirido

Para ter direito à aposentadoria nesta idade, é necessário que o segurado tenha preenchido os requisitos até o dia 13 de novembro de 2019. Após essa data, a idade mínima exigida passou a ser de 50 anos.

Opções de Benefício

As opções de benefício para quem se encontra nesta faixa etária são:

  1. Aposentadoria por tempo de contribuição;
  2. Aposentadoria proporcional;
  3. Aposentadoria especial;
  4. Aposentadoria para PCD;
  5. Aposentadoria por tempo de contribuição com pedágio de 50%.

Aposentadoria para Pessoas Com Idade Entre 55 e 60 Anos

Para este público, analisar as regras de transição é essencial na escolha do melhor benefício.

Idade Mínima Progressiva

Nesta regra, apenas seguradas com idade superior a 58 anos podem se aposentar, desde que tenham contribuído por 30 anos.

Pedágio de 100%

Esta regra contempla contribuintes de ambos os sexos. Mulheres precisam ter idade acima de 57 anos e homens, superior a 60 anos. Além disso, é necessário cumprir o tempo mínimo de contribuição mais um “pedágio” de 100%.

Pedágio de 50%

Esta regra abrange mulheres e homens. Não exige idade mínima para quem faltava menos de 2 anos de contribuição em 13 de novembro de 2019.

Regra dos Pontos

Segundo esta regra, mulheres que completaram 90 pontos e homens que somaram 100 pontos, de acordo com as regras da previdência, podem se aposentar.

Aposentadoria Especial

Esta regra é uma possibilidade para todos os segurados homens e mulheres que trabalharam em atividades consideradas especiais.

A Conquista da Aposentadoria integral em 2023

aposentadoria integral, ou seja, receber 100% do valor do benefício, é o sonho de todo trabalhador que já está planejando o seu futuro. No entanto, com as novas regras da Reforma da Previdência de 2019, essa meta parece cada vez mais difícil de ser alcançada.

Mas, não se desespere! Em alguns cenários, ainda é possível atingir a tão sonhada aposentadoria integral em 2023. Vamos entender como? Continue lendo este artigo e descubra se você pode ser um dos afortunados.

Entendendo a Aposentadoria integral

Antes de mais nada, é importante esclarecer que a aposentadoria integral não é uma modalidade específica de aposentadoria do INSS, mas sim um termo que se refere à forma de cálculo do benefício. Alcançar a aposentadoria integral significa receber mensalmente 100% do seu salário de benefício, que explicaremos em detalhes a seguir.

É fundamental entender que obter a aposentadoria integral não significa, necessariamente, receber o teto do INSS(R$ 7.507,49). Enquanto o teto do INSS é o valor máximo que a Previdência Social paga, a aposentadoria integral corresponde ao valor integral do seu benefício, baseado nas suas contribuições para o INSS.

O Significado do Salário de Benefício

Salário de Benefício (SB) é um conceito técnico que serve como base para calcular o valor da sua aposentadoria. De forma simplificada, o SB é uma média das suas contribuições para o INSS.

Contudo, é importante esclarecer o que o SB NÃO é:

  • NÃO é o valor que você vai receber mensalmente da sua aposentadoria;
  • NÃO é o mesmo que o valor das suas contribuições mensais.

Como se Calcula a Aposentadoria integral

O cálculo da aposentadoria se baseia no Salário de Benefício (SB) e, na maioria dos casos, é aplicado um redutor (coeficiente). Este redutor diminui o SB, fazendo com que você não receba a aposentadoria integral. Em outras palavras, você não terá direito a 100% da sua aposentadoria.

Mas calma! Existem algumas formas de aposentadoria em que o cálculo não se aplica nenhum redutor. No entanto, isso é uma grande exceção, principalmente após a Reforma da Previdência.

O Antes e o Depois da Reforma da Previdência

Com a Reforma da Previdência, implementada a partir de 13/11/2019, houve uma mudança significativa no cálculo do Salário de Benefício. Antes da reforma, o SB era calculado pela média aritmética dos 80% maiores salários de contribuição, desconsiderando os 20% menores.

Após a reforma, a média do Salário de Benefício passou a considerar 100% de todos os salários, incluindo os menores.

A Regra de Transição e Seus Impactos

A Reforma da Previdência também trouxe as chamadas regras de transição. Estas regras são uma espécie de “meio termo” entre as regras antigas e as novas, permitindo que os segurados que já estavam contribuindo para o INSS antes da reforma possam se aposentar sem serem tão prejudicados pelas novas regras.

A Possibilidade de Aposentadoria integral em 2023

Ainda é possível receber o valor integral da sua aposentadoria, mesmo que a fórmula de cálculo sofra com algum redutor. No entanto, para confirmar se esse é o seu caso, é necessário entender como funciona o cálculo das Aposentadorias do INSS, juntamente com a aplicação de seus respectivos redutores.

Exemplos Práticos de Cálculos de Aposentadoria

Para exemplificar como os cálculos funcionam na prática, vamos considerar alguns exemplos fictícios.

Suponhamos que Maria tenha reunido os requisitos para se aposentar por idade antes do dia 12/11/2019, com 60 anos de idade e 18 anos de contribuição. O seu Salário de Benefício é de R$ 2.500,00. Portanto, a sua aposentadoria por idade seria de 88% de R$ 2.500,00, ou seja, R$ 2.200,00.

Agora, vamos considerar o caso de João, que trabalhou como dentista e reuniu os requisitos para a sua aposentadoria especial antes das regras mudarem. O seu Salário de Benefício é de R$ 4.500,00. Como a Aposentadoria Especial não tinha redutor antes da Reforma da Previdência, ele receberá a sua Aposentadoria de forma integral, ou seja, R$ 4.500,00.

Dicas para Maximizar o Valor da Aposentadoria

Para garantir uma aposentadoria integral, é importante fazer um planejamento previdenciário cuidadoso e estratégico. Aqui vão algumas dicas:

  • Contribua sempre com o teto máximo do INSS;
  • Evite períodos sem contribuição;
  • Se possível, adie a sua aposentadoria para acumular mais contribuições.

A Importância do Planejamento Previdenciário

O planejamento previdenciário é uma ferramenta essencial para garantir uma aposentadoria integral. Ele permite que você se organize e faça as melhores escolhas para maximizar o valor do seu benefício.

Como vimos, alcançar a aposentadoria integral é um desafio, mas não é impossível. Com planejamento e estratégia, você pode garantir um futuro mais tranquilo e seguro. Não deixe para a última hora, comece a planejar a sua aposentadoria agora mesmo!

Espero que este artigo tenha sido útil. Caso você tenha alguma dúvida ou queira compartilhar a sua experiência, deixe um comentário abaixo. Boa sorte na sua jornada rumo à aposentadoria integral!

FONTE NOTICIAS CONCURSOS

Hoje (29) e quinta feira (01) têm reforço contra a COVID-19 para adolescentes e pessoas acima de 40 anos

A Secretaria Municipal de Saúde informa que realizará ações de vacinação contra a covid-19 em horário estendido, para que a população tenha a oportunidade de atualizar o esquema vacinal, conforme programação:
➡ Terça-feira, 29/11 e Quinta-feira, 01/12 das 17 às 20h:
Adolescentes de 12 a 17 anos – 1º REFORÇO | Pessoas acima de 18 anos – 1º REFORÇO | Pessoas acima de 40 anos – 2º REFORÇO
➡ Local: Secretaria Municipal de Saúde
Praça Barão de Queluz, s/nº, Centro.
⚠️ Documentação a ser apresentada:
É indispensável a apresentação do cartão de vacina, cartão do SUS ou CPF.
✅ Os menores deverão estar acompanhados de seus pais e/ou responsáveis

História: há mais de 40 anos Lafaiete não elege um deputado federal

Muito se comenta o poder político e a representação política de Lafaiete em comparação a sua vizinha Barbacena, detentora de uma tradição de mais de 2 séculos na vida pública, citando as famílias Andrada e Bias Fortes. A tradição vem do Império e se manteve viva com sucessivas eleições de representantes.
Lafaiete ao que parece vive de com seu “complexo de vira lata”, termo cunhado por foi descrito em 1958 pelo jornalista brasileiro Nelson Rodrigues como “a inferioridade em que o brasileiro se coloca, voluntariamente, em face do resto do mundo”.


A história
O mais brilhante e influente político nos mais de 232 anos de Lafaiete foi sem dúvida Lafayette Rodrigues Pereira que assumiu cargos importante na hierarquia do império. Nascido em 28 março de 1834, Conselheiro Lafaiete, morreu no Rio de Janeiro em janeiro de 1917. Foi um jurista advogado, jornalista, diplomata e político brasileiro, exercendo a presidências das províncias exerceu a presidência das províncias do Ceará (1864-65) e a do Maranhão (1865-66). Conselheiro Lafaiete foi senador em 1879.

O mais brilhante e influente político nos mais de 232 anos de Lafaiete foi sem dúvida Lafayette Rodrigues Pereira que assumiu cargos importante na hierarquia do império/REPRODUÇÃO


Entre Conselheiro Lafaiete e a século XX houve um vácuo político e somente em 1930, a cidade elegeu Francisco Rodrigues Pereira Júnior, descente direito de Lafayette Rodrigues Pereira, como deputado federal na legenda da Concentração Conservadora, exercendo o mandato de maio a outubro desse mesmo ano, quando a Revolução de 1930 suprimiu os órgãos legislativos do país. Restabelecida a normalidade democrática em 1933, voltou a eleger-se vereador à Câmara Municipal de Conselheiro Lafaiete, exercendo o mandato entre 1935 e 1937.
No pleito de dezembro de 1945 elegeu-se deputado por Minas à Assembleia Nacional Constituinte na legenda do Partido Social Democrático (PSD). Assumindo sua cadeira em fevereiro de 1946, participou dos trabalhos constituintes e, com a promulgação da nova Carta (18/9/1946), passou a exercer o mandato legislativo ordinário até janeiro de 1951. Nos pleitos de outubro de 1950 e de 1954 elegeu-se suplente de deputado federal por seu estado na mesma legenda, não chegando a assumir o mandato em ambas as legislaturas.


Década de 50
Na década de 50, Antônio Franco Ribeiro foi oi eleito deputado estadual na Assembleia Legislativa de Minas Gerais para a 2ª Legislatura (1951 – 1955), pelo PTN. Foi substituído por Sílvio Romeu César de Araújo no período de 2/7 a 4/9/1952.
Ely Franco Ribeiro foi deputado estadual em Minas Gerais, pelo PR, durante o período de 1955 a 1959 (3ª legislatura). Atuou como deputado na suplência do legislativo mineiro na legislatura seguinte (1959-1963), também pelo PR. Ambos são avô e tio do atual deputado estadual, em seu 3º mandato e candidato a deputado federal, Glaycon Franco.


João Nogueira
João Nogueira foi por 9 vezes deputado federal entre 1951 a 1981. Ele também foi secretário de estado e renunciou ao mandato de Deputado Federal, na legislatura 1979-1983, para assumir o cargo de Ministro do Tribunal de Contas da União, em 05 de maio de 1981. Após esta data, Lafaiete ficou sem representante no Congresso.
Lafaiete ainda teve diversos representantes na Assembleia de Minas entre os anos de 80 a 200, como Hélio Rezende (1979 a 1987), Arnaldo Penna e José Milton (2000 e 2007).
Em 2010, Milton investiu em uma candidatura ao Congresso chegando a quase 62 mil ficando na suplência. Já em 2012, o ex-prefeito Ivar Cerqueira também tentou a mesma empreitada chegando a 37.985 chegando a suplência do PSDB. As duas lideranças foram as que mais chegaram perto de uma cadeira de deputado federal nas últimas 4 eleições.


E agora?
Em 2022, Lafaiete tem 6 candidatos a deputado federal e mais uma vez tem chance de eleger um sucessor para a vaga deixada desde 1981 por João Nogueira, mesmo nascido em Itaverava, outrora distrito da antiga Queluz, hoje Conselheiro Lafaiete. Este é o desafio dos mais de 97 mil eleitores.

7 profissões ótimas para quem tem mais de 40 anos – Veja a lista!

Veja também alguns exemplos de profissões para esse público

mercado de trabalho é, certamente, um dos espaços mais competitivos do mundo. Para garantir um emprego, é preciso ter muitas qualidades, como boa educação e diferenciais em negócios financeiros.

Além disso, muitas pessoas ainda insistem que é preciso ser novo para disputar as melhores vagas de emprego no mercado. Porém existem várias vantagens para os mais velhos em certos locais de trabalho.

Veja neste texto que vantagens são essas e algumas das melhores profissões para quem tem mais de 40 anos.

A influência da idade no mercado de trabalho

Todo mundo sabe que um profissional experiente é extremamente vantajoso para algumas empresas. Então, o que faz com que pessoas mais velhas sofram tantos preconceitos ao lutarem por vagas de trabalho?

Bom, a resposta tem a ver com os lucros da empresa.

Ao contratar um funcionário, a empresa não observa apenas as suas qualificações. Um dos pontos mais discutidos ao levantar possíveis candidatos a uma vaga é o custo que eles terão. Com a idade, é comum que as pessoas tenham mais problemas de saúde, por exemplo, o que impacta no trabalho de três formas:

  • Faltas;
  • Baixa produção;
  • Alto custo de benefícios como plano de saúde.

É claro que existem outros motivos à não contratação de pessoas mais velhas, como o preconceito. Contudo, a ideia do lucro é a que mais pesa no final das contas.

Profissões para quem tem mais de 40 anos

Entrar no mercado de trabalho depois de certa idade pode ser uma grande dor de cabeça. Mas, nem tudo está perdido. Veja abaixo algumas profissões perfeitas para quem é mais velho:

  • Artesão;
  • Gerente de treinamento;
  • Influenciador digital;
  • Escritor;
  • Professor particular;
  • Organizador de eventos;
  • Motorista.

Para a maioria das profissões acima é imprescindível ter um profissional experiente e qualificado. Por isso, pessoas mais velhas são as mais indicadas nesses casos.

FONTE ROTAS DE VIAGEM

Unidade Ouro Branco do Colégio Batista Mineiro celebra 40 anos

A Unidade Ouro Branco do Colégio Batista Mineiro celebra 40 anos de história neste mês de setembro. A instituição foi a primeira unidade da Rede Batista de Educação (RBE) inaugurada fora de Belo Horizonte, conquistando ao longo dos anos a confiança e o coração de milhares de famílias ouro-branquenses.  

Fundada em 1981, a escola é reconhecida pelo alto padrão de qualidade no ensino e tem alcançado importantes resultados no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) nos últimos anos, com aprovações em vestibulares das principais universidades do Brasil e também dos Estados Unidos.  

Para Gláucio Muniz, diretor do Colégio Batista, celebrar os 40 anos da Unidade Ouro Branco é uma grande honra e alegria. “É com gratidão a Deus que celebramos mais um ano de história dessa escola, que contribuiu e continua contribuindo de forma tão significativa para a formação de crianças e adolescentes da cidade. Temos muito orgulho do ensino de qualidade ofertado pela instituição, que tem como missão formar cidadãos éticos com base nos princípios e valores cristãos”, ressalta.  

Atualmente, a unidade atende estudantes do Berçário ao Ensino Médio, ofertando uma estrutura ampla e acolhedora, além de um ambiente inovador e tecnológico, levando o estudante a desenvolver habilidades e competências essenciais para o século 21. 

Vacinação para 40 anos vai até amanhã (04); na quinta-feira (05) inicia para 39 anos

A Secretaria de Saúde informa que iniciou na manhã desta terça-feira, 03/08, a vacinação do grupo de pessoas com 40 anos, utilizando todo o quantitativo de doses que estavam disponíveis até o momento.
Com a chegada de uma nova remessa ainda na tarde desta terça-feira a conclusão da imunização deste grupo será amanhã, quarta-feira, 04/08.
E na quinta feira, 05/08, será imunizada a faixa etária de 39 anos.
Portanto o calendário de vacinação será:
➡ Quarta, 04/08 das 08 às 16h
Público: População de 40 anos (exclusivo para faixa etária devido ao quantitativo de doses)
➡ Locais:
• SOLAR BARÃO DE SUAÇUI – Rua Barão de Suassui, n°106
• Unidade Central de Vacinação: Av. Dom Pedro II, 190 – São Sebastião
Documentação Cópia e Original
Documento de Identidade com Foto
Cartão Nacional do SUS ou CPF
Comprovante de residência

➡ Quinta, 05/08 das 08 às 16h
Público: População de 39 anos (exclusivo para faixa etária devido ao quantitativo de doses)
➡ Locais:
• SOLAR BARÃO DE SUAÇUI – Rua Barão de Suassui, n°106
• Unidade Central de Vacinação: Av. Dom Pedro II, 190 – São Sebastião
Documentação Cópia e Original
Documento de Identidade com Foto
Cartão Nacional do SUS ou CPF
Comprovante de residência

about

Be informed with the hottest news from all over the world! We monitor what is happenning every day and every minute. Read and enjoy our articles and news and explore this world with Powedris!

Instagram
© 2019 – Powedris. Made by Crocoblock.