Itabirito, Mariana e Lafaiete lideram crescimento no Centro de Minas

Juntos, os três municípios ganharam 30.107 novos moradores entre 2010 e 2022

Em 1º de agosto de 2022, Conselheiro Lafaiete apresentava 131.621 moradores, posicionando-se como o maior município da Região Central de Minas Gerais, excluindo a Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH). O resultado é explicado pelo ganho de 15.109 novos residentes entre 2010 e 2022, fato que fez Lafaiete superar a população de Barbacena, ao longo deste período. Em 1º de agosto do ano passado, data de referência do Censo Demográfico 2022, Barbacena registrava 125.317 residentes. Os números são dos primeiros resultados do novo Censo Demográfico do IBGE, divulgados no dia 28 de junho de 2023, que foram tabulados e analisados com exclusivamente para o Jornal Correio de Minas pelo Observatório das Metropolizações Vale do Aço, do IFMG Ipatinga.

Com ganho de 5.726 novos moradores entre 2010 e 2022, São João del Rei é o terceiro município da Região Central de Minas Gerais fora da RMBH. O município alcançou 90.225 moradores em 1º de agosto de 2022, superando os 74.824 residentes de Ouro Preto.

Primeira cidade brasileira reconhecida como Patrimônio Cultural da Humanidade, no ano de 1980, pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), Ouro Preto localiza-se entre as duas cidades que registraram o maior crescimento da Região Central do estado, fora da RMBH, no período entre os dois últimos Censos Demográficos. Isso porque enquanto Itabirito cresceu à taxa de 1,33% ao ano, Mariana cresceu à taxa de 1,04%, exatamente o dobro dos 0,52% ao ano da última capital mineira antes de Belo Horizonte. Com isso, Itabirito alcançou 53.282 moradores em 1º de agosto de 2022, enquanto Mariana registrou 61.387 residentes.

— Ainda assim, Ouro Preto cresceu num ritmo superior ao de Minas Gerais, cuja população evoluiu 0,39% ao ano entre 2010 e 2022. O Censo 2022 surpreendeu por retratar que a transição demográfica brasileira está mais acelerada do que imaginávamos. O fenômeno reflete a queda brusca da natalidade e o aumento do envelhecimento da população. As famílias brasileiras têm cada vez menos filhos. A média de moradores por domicílio é de menos de 3 pessoas. Isso nas cidades mineiras, no estado de Minas Gerais e no Brasil como um todo. A atual geração de mineiros e de brasileiros não constrói mais aquela família grande, com muitos filhos, agregados e primos. Isso reflete a ampliação da urbanização, o aumento da escolarização feminina e o maior acesso à informação desta geração. As mulheres passaram a adiar o primeiro filho, decidiram ter menos filhos que a própria mãe, ou mesmo decidiram não ter filhos. E isso em todas as camadas da população, inclusive entre as mulheres mais pobres, ao contrário, muitas vezes, da percepção do senso comum — avalia o geógrafo William Passos, coordenador estatístico e de pesquisa do Observatório das Metropolizações Vale do Aço e que tem especialização doutoral em estatística pela Escola Nacional de Ciências Estatísticas (ENCE) do IBGE.

Congonhas, com 52.890 domiciliados, e Ouro Branco, com 38.724 habitantes, completaram o conjunto dos 8 municípios mais populosos no interior da Região Central de Minas Gerais.

— Lafaiete tem atraído população de outros municípios, principalmente Congonhas, Jeceaba, Ouro Branco, Queluzito, São Brás do Suaçuí e Ouro Preto. A imigração é o que explica a aceleração populacional e o ganho de 15.109 novos moradores entre 2010 e 2022 no município. São pessoas das proximidades atraídas pela possibilidade de residir num município maior, com uma maior oferta e diversidade de comércio e serviços. No caso de Ouro Preto, há ainda a questão do esgotamento territorial, que encarece o custo e limita o acesso à moradia, forçando as pessoas a buscarem residência em municípios vizinhos. Diferentemente de Ouro Preto e Mariana, Lafaiete não é uma cidade histórica. E diferentemente de Itabirito, não tem uma topografia tão acidentada. Isso favorece a expansão imobiliária, com imóveis a um preço mais acessível e com menores custos de construção — analisa William Passos, geógrafo e coordenador estatístico e de pesquisa do Observatório das Metropolizações Vale do Aço.

Sobre o Observatório das Metropolizações Vale do Aço

Projeto de Extensão do IFMG Ipatinga, o Observatório das Metropolizações Vale do Aço analisa informações estatísticas e geográficas dos 853 municípios mineiros. As publicações do Projeto estão disponíveis na página https://www.ifmg.edu.br/ipatinga/noticias/observatorio_das_metropolixacoes_vale_do_aco.

PIB de Minas Gerais cresce 3,5% em 2022

Resultados apresentados pela FJP apontam valor estimado em R$ 924,7 bilhões para 2022, indicando taxa de expansão maior que a do cenário nacional no mesmo período (2,9%)

A estimativa preliminar do Produto Interno Bruto (PIB) de Minas Gerais para 2022 totalizou R$ 924,7 bilhões. Na comparação dos últimos 12 meses com o resultado acumulado no ano, houve crescimento de 3,5% no estado, valor acima da taxa de expansão observada no cenário nacional (2,9%).

Em 2022, o PIB de Minas representou 9,3% do produto agregado nacional, incremento de 0,1 ponto percentual no comparativo com 2021, quando representou 9,2% do PIB brasileiro. Com isso, o PIB de Minas Gerais teve a maior representação no cenário nacional nos últimos 20 anos.

O valor estimado em R$ 924,7 bilhões para 2022 foi apresentado, nesta quinta-feira (16/3), pela Fundação João Pinheiro (FJP), responsável pelo cálculo oficial do PIB do estado. Do valor total, 63,7% (R$ 521 bilhões) são atribuídos aos serviços; 28,9% (R$ 235,9 bilhões) à indústria; 7,4% (R$ 60,7 bilhões) à agropecuária. As informações são parte do Informativo FJP – Contas Regionais – PIB MG – 4º trimestre de 2022, já disponível no site da instituição.

Acumulado

“No estado, ao longo do ano, a variação positiva do índice de volume do PIB se concentrou, praticamente, no segundo trimestre, e foi de 6,1%”, explica o pesquisador da FJP Raimundo Leal. À época, o desempenho dos segmentos de energia e saneamento, agropecuário e a indústria extrativa mineral e, por consequência, os serviços de transporte, tiveram os melhores resultados. No cenário nacional, o também pesquisador da FJP, Thiago Almeida, explica que a expansão maior ocorreu no início de 2022. “No Brasil, houve expansão de 1,3% no primeiro trimestre”, comenta.

Em termos anualizados, o crescimento desse agrupamento formado pelos “outros serviços” foi o destaque em 2022, com crescimento de 10,4% no estado e de 6,3% na economia brasileira na comparação com 2021. Neste agrupamento, houve expansão do índice de volume do Valor Adicionado Bruto (VAB) de 0,4% em Minas Gerais e de 0,9% no território nacional no quarto trimestre do ano passado.

Esse agregado inclui serviços de alojamento e alimentação; serviços de informação e comunicação; intermediação financeira, seguros e previdência complementar; atividades profissionais, científicas, técnicas e administrativas; educação e saúde privada; serviços domésticos; artes, cultura, esporte, recreação e outras atividades de serviços; e atividades imobiliárias e aluguéis.

Quarto trimestre

No último trimestre de 2022, considerando a série com ajuste sazonal, o PIB de Minas Gerais apresentou variação negativa de -2% em relação ao trimestre imediatamente anterior. Para o quarto trimestre de 2022, o PIB de Minas foi estimado em R$ 233,4 bilhões e representou 9% do PIB nacional no mesmo período. “Desse total, R$ 27,7 bilhões dizem respeito aos impostos indiretos líquidos de subsídios e R$ 205,7 bilhões referem-se ao Valor Adicionado Bruto (VAB)”, informa Leal. “Na composição setorial relativa ao quarto trimestre de 2022, o VAB agropecuário foi responsável por R$ 2,8 bilhões (1,3% do total); o da indústria, por R$ 61,8 bilhões (30,1% do total); o dos serviços, por R$ 141,1 bilhões (68,6% do total)”, conclui o pesquisador.

A indústria de transformação mineira registrou ligeiro crescimento de 0,3% no volume de VAB na comparação do quarto trimestre de 2022 com o trimestre imediatamente anterior, enquanto, no cenário nacional, houve retração de -1,4% no período.

Na área de energia e saneamento, Minas Gerais apresentou decréscimo de 3,2% no volume de VAB no quarto trimestre de 2022, mas foi registrada uma expansão de 4,0% em 2022 na comparação com 2021. No comércio, a retração foi de -1,1% no volume de VAB na comparação do quarto com o terceiro trimestre de 2022 e, assim como o verificado para o setor de energia e saneamento, houve variação positiva de 1,1% no acumulado do ano.

Na construção civil, houve retração de 0,5% no volume de VAB na comparação do quarto trimestre de 2022 com o trimestre imediatamente anterior em Minas Gerais e, no Brasil, de -0,7%. Mesmo assim, o setor apresentou expansão de 5,4% em Minas Gerais no acumulado do ano.

Em Minas Gerais, o volume de VAB do setor de administração pública diminuiu -0,4% na comparação do quarto trimestre de 2022 com o trimestre imediatamente anterior, enquanto, no Brasil, a queda foi de -0,5%. Assim como nos demais setores de atividade, apesar do resultado negativo do quarto trimestre, a administração pública registrou expansão de 1,8% no acumulado do ano no estado e de 1,5% em âmbito nacional.

Já a indústria extrativa mineral de Minas Gerais, após resultado desfavorável no terceiro trimestre, apresentou expansão no volume de VAB de 3,9% no quarto trimestre de 2022 em relação ao trimestre imediatamente anterior e de 4% em relação ao mesmo trimestre de 2021. Apesar desses resultados, houve queda de 1,6% no volume de VAB no acumulado do ano.

Brasil está entre os países mais empreendedores do mundo

Saiba mais detalhes sobre o crescimento exponencial do empreendedorismo no Brasil

Você sabia que o Brasil está entre os países mais empreendedores do mundo? Apesar de parecer pela crise financeira, o Brasil cresce disparadamente no setor do empreendedorismo. Por isso, veja informações a respeito e quais são as melhores áreas para atuar no empreendedorismo.

Saiba mais sobre o Brasil estar entre os países mais empreendedores do mundo

Apesar do baque da pandemia do COVID-19, o Brasil conseguiu se reerguer em recursos financeiros através do empreendedorismo, que salvou diversas pessoas e a economia.

Pesquisas internacionais e nacionais afirmam que o micro empreendedorismo está em grande ascensão e desempenhando papel auxiliando na economia do nosso país.

Dentre a lista de todos os países, o Brasil ocupa uma das melhores posições, em quinto lugar. Assim sendo, a quinta potência que mais empreende no mundo.

E sabendo muito bem sobre o fato do Brasil ser um dos países mais empreendedores do mundo, também é importante saber quais são as áreas do empreendedorismo que render melhor no nosso país.

Por isso, confira abaixo uma relação de 3 áreas de empreendedorismo mais rentáveis aqui.

Brasil está entre os países mais empreendedores - Reprodução Canva
Brasil está entre os países mais empreendedores – Reprodução Canva

Negócios digitais

Não é novidade que os negócios digitais estão crescendo em massa desde a pandemia do COVID-19. Sendo assim, uma excelente fonte de empreendedorismo.

No Brasil, esse ramo cresceu ainda mais através das redes sociais. Atualmente contando com diversos tipos de conteúdos em inúmeras plataformas e diversos empreendedores que vendem seus produtos online.

Isso tudo foram graças também ao começo do estabelecimento da internet nas nossas vidas. Desde 2018, a internet vem se tornando um meio essencial para o nosso dia a dia e também para fazer negócios.

Com o grande consumo de internet, as pessoas começaram a buscar mais meios de soluções de problemas digitalmente. Por isso, que empreender nessa área pode ser muito mais vantajoso do que se parece.

Por lidar com negócios digitais, o empreendedorismo no Brasil pode alavancar ainda mais por questões de não ter que lidar com certos tipos de gastos do dia a dia.

Para quem deseja iniciar um tipo de empreendedorismo no Brasil, é importante ter em mente que os negócios online estão fazendo muito sucesso e a tendência é aumentar.

Entretanto, é importante aperfeiçoar os conhecimentos na área e estudar bastante sobre o empreendedorismo digital. Com os devidos conhecimentos básicos e um esforço, você consegue alavancar todo o seu negócio.

Serviços de consultoria de vida saudável

Apesar de estarmos vivendo na era da tecnologia, a vida saudável também é um tópico muito importante para os empreendedores do Brasil e no mundo.

Para você que visa empreender sozinho e continuar trabalhando atuando autonomamente, você pode investir na consultoria de vida saudável. Mas é importante lembrar que você deve ter o devido estudo e preparo para isso.

Esse tipo de área, que lida com mudar o estilo de vida e se tornar mais saudável e fazer outras pessoas passarem por isso, é importante que você tenha formação na área nutricional ou de educação física.

São coisas indispensáveis para que você possa trabalhar tranquilamente nessa área, apresentando o seu certificado de conclusão de nível superior e tendo a devida licença para trabalhar na área e empreender o seu negócio.

No Brasil, empreender na área de consultoria de vida saudável é algo muito rentável para quem trabalha no ramo e com uma vantagem extra de poder ajustar os horários conforme a própria disponibilidade e com a disponibilidade de quem está precisando ser consultado.

Por isso, se for o seu sonho empreender nessa área, você pode começar sozinho mesmo sem precisar montar uma empresa e um esquema. É uma forma de trabalho bem mais autônoma, porém, você também pode trabalhar com um sócio.

Franquias

Outra excelente opção para os empreendedores do Brasil é investir em franquias. Essa área vem crescendo há muito tempo, principalmente pela necessidade de Independência dos brasileiros.

É como abrir um micro negócio, entretanto, franqueado por uma empresa grande. E, dessa forma, o investimento é ainda menor do que seria se fosse para abrir o próprio negócio.

Para melhorar ainda mais, as franquias não saem de moda nunca. E desde o período pandémico a partir de 2021, ela apresentou um aumento de melhor tipo de empreendimento no Brasil. Sendo assim, uma excelente opção para diversos trabalhadores que desejam abrir o seu negócio.

Entretanto, é um tipo de área que exige um alto investimento. Por isso você deve estar preparado financeiramente para começar a empreender nessa área. Porém, o retorno geralmente é bem maior do que o investimento, então pode ficar tranquilo quanto às finanças.

FONTE NOTICIAS CONCURSOS

O crescimento das plataformas de jogos online

Antes, uma plataforma de apostas poderia até ser vista como algo ilegal mas hoje, com a disseminaçao das informaçoes sabemos que nao é o caso. Essas empresas estão patrocinando os maiores campeonatos brasileiros, fazendo propagandas utilizando os maiores meios de comunicação, inclusive influencers.

O crescimento exponencial dessas redes se dá por vários fatores, mas alguns são extremamente importantes, o Brasil é um dos países mais apaixonados por futebol, sendo assim, é possível imaginar o quanto os sites de apostas esportivas seriam visitados.

Outro ponto é que apesar da falta de contato com esse tipo de entretenimento em relação aos outros países, o Brasil ainda possui uma das maiores loterias do mundo, o que mostrou para os investidores que o país estava aberto a essa nova modalidade.

Porque as plataformas de apostas online só apareceram agora

Na verdade, as plataformas de apostas online estão no Brasil a alguns anos mas, com certeza, não possuíam tanta força como agora.

Os influenciadores foram talvez o ponto principal quando falamos da disseminação da propaganda dessas casas. Eles conseguem movimentar milhões de pessoas que podem com maior facilidade.

O entendimento que essas casas são seguras é outro ponto importante para a disseminação das casas. Já que não existem leis específicas relacionadas à casas de apostas esportivas online, elas encontraram uma “brecha” para patrocinar alguns dos maiores times de futebol e também campeonatos inteiros. 

Esse é o tipo de propaganda que faz com que o usuário se sinta seguro em relação aquela empresa já que para patrocinar campeonatos, uma extensa pesquisa é feita pelos organizadores além das agências reguladoras.

Sendo assim, é possível ver que as empresas de apostas esportivas online não apareceram agora, mas sim começaram a focar no marketing no mercado brasileiro. 

Essas casas de apostas são confiáveis?

Apesar de nao ainda nao existir uma regulação formada relacionada às casas de apostas esportivas online, existem algumas maneiras de descobrir se uma plataforma é confiável:

  1. A plataforma possui registro e licença no seu país de origem

Ter registro e licença mostra que a casa não só foca em marketing mas também está em dia com suas obrigações. A maioria dos países que já possuem regras específicas para esse tipo de casa costuma ser bem extremo quando se fala na obrigatoriedade de pagamentos e também na segurança de dados e de informações vindas dos clientes, por isso, uma casa de apostas registrada e licenciada deve ser sempre a prioridade do jogador.

  1. Existe um certificado SSL relacionado ao site

Os sites devem possuir um SSL relacionado a ele, principalmente quando se fala de site de apostas esportivas. O SSL é um certificado de proteção de dados extremamente importante para sites onde existem relações com gastos e informações dos usuários. Para saber se um site possui o certificado, o usuário pode fazer um duplo clique no endereço do site e ele deve começar com https.

Essas são apenas algumas das maneiras de saber se uma casa de apostas é segura mas, várias outras estão disponíveis, verificar se a casa possui um bom serviço ao cliente e bons comentários online também ajuda bastante.

Sífilis cresce em Congonhas em 2022 e deve superar o total de registros do ano passado

19 de Outubro é o Dia Nacional de Combate à Sífilis e à Sífilis Congênita. A doença tem aumentado em todo país nos últimos anos e preocupado as autoridades sanitárias. Apesar de curável, esta Infecção Sexualmente Transmissível (IST) pode trazer sérios riscos à saúde.

 Em Congonhas, o número de casos de sífilis tem crescido em 2022 e deve superar o total de registros do ano passado. De acordo com o setor de epidemiologia da Secretaria Municipal de Saúde, só este ano já foram confirmados 123 casos da doença. Em 2021 foram ao todo 126 registros.

 A Secretaria Municipal de Saúde trabalha o ano todo na conscientização preventiva contra a sífilis através dos agentes comunitários de saúde, bem como no acompanhamento e orientação aos usuários da Clínica da Criança e da Mulher. Estas ações de conscientização são intensificadas nas regiões onde os diagnósticos positivos são confirmados.

 O QUE É A SÍFILIS?

 A Sífilis é um infecção causada por uma bactéria que pode atingir todas as pessoas sexualmente ativas, e pode até ser passada de mãe para filho. Algumas vezes ela pode passar despercebida ou ser confundida com outras doenças. Por isso é importante estar atento há alguns detalhes que podem indicar a presença da infecção.

 SINAIS DE SÍFILIS

  • Ferida, geralmente única, no local de entrada da bactéria (pênis, vulva, vagina, colo uterino, ânus, boca, ou outros locais da pele)
  • Podem surgir manchas no corpo, que geralmente não coçam, incluindo palmas das mãos e plantas dos pés.
  • Pode ocorrer febre, ínguas pelo corpo, mal-estar e dor de cabeça.

DIAGNÓSTICO, TRATAMENTO E PREVENÇÃO

 A confirmação do diagnóstico é feito através de testes rápidos de sangue que podem ser feitos em todas as Unidades Básicas de Saúde de Congonhas, de segunda a sexta-feira. Basta o paciente manifestar interesse na testagem no acolhimento com os enfermeiros. O tratamento é feito com a penicilina benzatina, antibiótico que é disponibilizado pelo SUS.

 É importante que todas as parcerias sexuais no últimos meses antes do diagnóstico sejam testadas para que o ciclo de transmissão da doença seja interrompido. Apesar de ter cura, o paciente pode se reinfectar, uma vez que o tratamento não oferece imunidade contra a bactéria.

O uso de preservativos (masculinos e femininos) em todas as relações sexuais (inclusive anais e orais) é a principal forma de prevenção da sífilis e de outras Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST). O acompanhamento das gestantes e dos parceiros sexuais durante o pré-natal contribui para o controle da sífilis congênita.

A DOENÇA SE MANIFESTA EM TRÊS ESTÁGIOS

A sífilis é uma doença traiçoeira que possui três fases com sintomas variados que podem desaparecer mesmo sem tratamento, ficando de forma silenciosa por um período no organismo.

Sífilis primária: o primeiro sinal, de acordo com a Secretaria Estadual de Saúde, é o surgimento de uma ferida, geralmente única e indolor, chamada de “cancro”. Essa lesão surge algumas semanas após o contato sexual e é rica em bactérias do Treponema Pallidum. Este estágio pode durar de duas a seis semanas.

Sífilis secundária: erupções (manchas e/ou bolhas) na surgem na pele, em várias partes do corpo, que geralmente não coçam, podendo atingir a planta dos pés e a palma das mãos. Estes sinais aparecem, em média, após seis semanas a seis meses depois da infecção e duram de quatro a doze semanas. Neste estágio pode haver febre, mal-estar, dor de cabeça, desânimo e aumento de ínguas.

Sífilis terciária: Pode surgir de dois a 40 anos depois do início da infecção. Costuma apresentar sinais e sintomas, principalmente lesões cutâneas, ósseas, cardiovasculares e neurológicas (neurossífilis), podendo levar à morte.

Sífilis congênita: É a infecção transmitida da mãe para o bebê. Ela pode acontecer em qualquer fase da gravidez e quando a mãe não é tratada, pode ocorrer má-formação do feto, aborto espontâneo e morte fetal. O bebê pode nascer aparentemente saudável, mas nos primeiros meses de vida, durante ou após dois anos, pode apresentar pneumonia, feridas no corpo, alterações nos ossos e no desenvolvimento mental, surdez e cegueira.

Por Reinaldo Silva – Comunicação Prefeitura de Congonhas

Foto: Divulgação/Prefeitura Municipal de Jahu

Hoje (29) tem audiência para discutir crescente violência contra a mulher

Vereadora Damires (PV) reforça a luta pelo fim da violência contra mulher

No mês de agosto promove-se a campanha de conscientização pelo fim da violência contra a mulher. A campanha “Agosto Lilás” faz referência ao aniversário da Lei Maria da Penha, instituído pela Lei 11.340/06.
Neste mês, órgãos do município e a Vereadora Damires Rinarlly buscam promover diversas atividades de conscientização, dentre elas, será realizada audiência pública para debater sobre o tema, unindo toda a população e toda a rede de proteção da mulher em um único objetivo: erradicar a violência doméstica e familiar contra a mulher.
Em 08 de março de 2022, o município teve uma enorme conquista para nossa população, instalando o serviço de apoio a mulher por meio do Centro de Referência da Mulher – Matilde da Silva Cruz. O serviço busca possibilitar a identificação das violências e oferecer a mulher apoio social, psicológico e jurídico tudo de maneira gratuita. Além de encaminhar e acompanhar as vítimas junto aos órgãos competentes e zelar pela manutenção desta vítima fora do ciclo de violência.
Com o apoio do Centro de Referência da Mulher – Matilde da Silva Cruz e em conjunto com os demais órgãos que integram a rede de proteção, é possível colher dados precisos, como quais os bairros com maiores incidências de violência doméstica, qual o tipo de violência é mais praticado, qual a idade, estado civil, renda e nível de escolaridade das vítimas e dos agressores. Tudo isso no intuito de mapear a violência e identificar todos os perfis de potenciais agressores e potencias vítimas, elaborando assim, políticas públicas eficazes e agindo antes que a violência de fato venha a ser consumada em um feminicídio.
A Vereadora Damires Rinarlly reforça o convite para toda a população para participar da audiência pública sobre o “Agosto Lilás”, que será realizada no dia 29 de agosto deste ano, às 19 horas, no Plenário da Câmara Municipal de Conselheiro Lafaiete, localizado na Rua Assis Andrade, nº 540, Bairro Rosário.
Minas Gerais é o estado com maior número de registros de feminicídios em todo o país no ano passado. De acordo com informações do 16º Anuário Brasileiro de Segurança Pública, foram registrados 154 casos de feminicídio no Estado.

Síndrome respiratória aguda grave segue em tendência de crescimento no Brasil

Covid-19 é responsável por mais de 94% das mortes causadas por SRAG em território nacional

A edição mais atual do Boletim Infogripe da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) indica que casos de Síndrome Respiratório Aguda Grave (SRAG) continuam crescendo no Brasil. A tendência de alta de longo prazo foi observada em 23 das 27 unidades da federação. 

Apenas Distrito Federal, Rio de Janeiro e São Paulo apresentaram estabilidade na evolução de casos observados entre os dias 3 e 9 de julho. Em todos os outros estados o cenário é preocupante. 

Infecções por covid-19 representaram 94,5% das mortes causadas pela SRAG. Na análise por faixa etária, a população adulta é que mais tem predomínio do coronavírus nos casos da Síndrome.

No entanto, a Fiocruz vem notando que o cenário passou a se repetir também entre crianças de 0 a 4 anos de idade. Antes, o aumento de casos da SRAG nesse público estava associado principalmente ao vírus sincicial respiratório (VSR), que pertence à categoria dos pneumovírus e que agora foi superado pelo Sars-CoV-2.

Segundo o pesquisador Marcelo Gomes, coordenador do InfoGripe, os dados evidenciam que o crescimento da Síndrome Respiratória Aguda Grave está ligado ao cenário da pandemia. 

Embora as regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste apresentem certa desaceleração no ritmo geral de crescimento de casos, ainda há sinais de avanço no público infantil. 

“No Paraná e no Rio Grande do Sul observam-se indícios de retomada do crescimento em crianças, contrastando com o sinal de platô nos adultos, indicando que o cenário ainda é instável e exige cautela”, alerta Gomes.

Edição: Thalita Pires

FONTE BRASIL DE FATO

Orçamento de Lafaiete cresce mais de 50% nos últimos 5 anos e em 2022 será o maior da história

Acontece hoje (29) a partir das 18:30 horas, na Câmara Municipal, a Audiência Pública Virtual para discutir a receita e a despesa para 2022 da Prefeitura de Lafaiete como também o PPA (Plano Plurianual) para o quadriênio 2022 a 2025.

A sociedade, associações e entidades da sociedade civil organizada podem apresentar sugestões. A participação na reunião será pelo chat do youtube “Direto do Plenário da Câmara Municipal de Conselheiro Lafaiete.

Os números

Entre 2017 a 2021, o orçamento da Prefeitura deve aumentar quase R$100 milhões.

Para 2022, a estimativa de arrecadação de R$330.830.912,09 milhões. Nos cinco anos da atual administração, o aumento pode superar R$130 milhões, o que corresponde a mais de 50%. Já é o maior orçamento da história do município.

IBGE aponta crescimento da população na região e 4 cidades concentram 35% dos habitantes

O IBGE divulgou esta semana as estimativas das populações residentes nos 5.570 municípios brasileiros. Em 1º de julho de 2021, a população do Brasil chegou a 213,3 milhões de habitantes.

Já a população de Minas Gerais em 2021 foi estimada em 21.411.923 habitantes. O número, com data de referência em 1º de julho, foi divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta sexta-feira (27).

A estimativa deste ano representa um crescimento de cerca de 0,5% na comparação com a população estimada em 2020, de 21.292.666 habitantes.

A região

Entre 2020 e 2021 a população das mais de 20 cidades da região saltou de 417.061 para 422.143, um aumento de 1%, totalizando 5.082 habitantes.
Cresceu a população de Lafaiete, Congonhas e Ouro Branco. Casa Grande, Lamim Santana dos Montes, Capela Nova Rio Espera perderam habitantes.

Se somarmos as populações de Lafaiete, Congonhas, Ouro Branco e Itabirito, elas concentram cerca de 35% do total da população regional.

Variantes do coronavírus, sobretudo Delta, reforçam incerteza global

Avaliação é que o crescimento fora dos EUA se concentrou nos países desenvolvidos e na China, mas emergentes ainda enfrentam problemas

Os dirigentes do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) afirmam que as variantes do coronavírus, em especial a delta, reforçam as incertezas sobre o cenário econômico global. A análise consta na ata da última reunião de política monetária, divulgada nesta quarta-feira.

Na visão dos dirigentes a economia internacional acelerou no segundo trimestre deste ano, após um início fraco.

A avaliação é que o crescimento econômico fora dos Estados Unidos se concentrou nos países desenvolvidos e na China, apoiado pelas campanhas de vacinação, a eliminação de restrições de saúde pública, adaptação econômica ao vírus e a reabertura do setor de serviços.

“A situação foi bem diferente em algumas economias emergentes, onde a baixa taxa de vacinação deixou as populações vulneráveis a novas ondas de infecções”, dizem os dirigentes na ata.

Retirada de classificação

O documento informou que a entidade tirou de sua comunicação a classificação de “fraco” para descrever a atividade dos setores mais afetados pela pandemia de coronavírus nos Estados Unidos. No lugar desta descrição, os dirigentes concordaram em afirmar que estes setores “não se recuperara plenamente”, de forma a refletir os avanços da economia americana, afirmou o documento.

Segundo o documento, divulgado nesta quarta, a atividade do setor industrial permaneceu contida por gargalos na cadeia produtiva, que afetam principalmente o setor automobilístico.

Já o setor de construção sofreu com a escassez de matérias-primas, enquanto a demanda por domicílios se fortaleceu.

FONTE INFO MONEY

about

Be informed with the hottest news from all over the world! We monitor what is happenning every day and every minute. Read and enjoy our articles and news and explore this world with Powedris!

Instagram
© 2019 – Powedris. Made by Crocoblock.