Minas tem o primeiro município do Brasil a ter moeda própria, a ‘ubérrima’ da cidade de Resplendor

O objetivo da Ubérrima é aumentar e manter as transações comerciais no município, além de fomentar o desenvolvimento local

A cidade de Resplendor, localizada no leste de Minas Gerais, será a primeira cidade do Brasil a adotar a 1ª moeda pública local –  A Ubérrima foi  lançada oficialmente nesta segunda-feira (15)  e sua circulação começa nesta próxima terça-feira (16) – A iniciativa pioneira foi motivada pela necessidade de criar mecanismos para reter a riqueza no município, aumentando as transações comerciais no próprio território.

A Ubérrima foi criada por meio da lei municipal 1206, de 20 de dezembro de 2022. A moeda local age como uma moeda complementar à nacional. Ela é fiscalizada pelo Conselho Monetário Municipal, Fundo Monetário Municipal e Controladoria Geral do Município, todos com objetivo de garantir a sustentabilidade financeira e a legalidade da moeda.

O controle e a gestão da Ubérrima são de responsabilidade do Conselho Monetário Municipal, composto por membros do governo, do setor empresarial e da sociedade. A nova moeda possui lastro no Fundo Monetário Municipal, que confere segurança e credibilidade à iniciativa. “Para cada unidade de Ubérrima emitida, a prefeitura guarda o valor correspondente em Real nesse fundo, assegurando a paridade com a moeda nacional”, informa Wender Barbosa, presidente do Conselho.

Quase 70 mil cédulas foram impressas para os primeiros seis meses de circulação, totalizando R$ 300 mil (Reais) ou Ub$ 300 mil (Ubérrimas). A população poderá realizar as operações de câmbio na Secretaria de Desenvolvimento Econômico ou nos comércios conveniados. Cada R$ 1 equivale a Ub$ 1. As notas disponíveis são de 1, 2, 5, 10 e 20 Ubérrima.

Fortalecimento do comércio

O comércio local desempenha um papel fundamental na vida cotidiana e na economia da comunidade de Resplendor, pois ajuda a manter a vitalidade econômica do município, evitando o esvaziamento do centro urbano e promovendo um ambiente mais vibrante e dinâmico.

A expectativa é que todo o comércio e demais empreendedores de Resplendor aceitem a moeda local e ofereça benefícios aos consumidores para pagamento em Ubérrima, uma vez que a moeda vai circular livremente no município, sem a necessidade de fazer um cadastro prévio. Cada estabelecimento poderá definir a porcentagem de desconto e outras vantagens para ampliar, cada vez mais, a utilização da moeda.

Além da adesão do comércio, a Prefeitura Municipal vai utilizar a Ubérrima para realizar pagamentos – que seriam feitos com o Real, como benefícios sociais e outros já previstos na lei municipal 1206. Isso faz com que a Prefeitura coloque em circulação a Ubérrima sem implicar em novos gastos para o município.

Antes de implementar a moeda própria, a Prefeitura de Resplendor comprava fora, inclusive em outros estados, boa parte dos itens que compunham as cestas básicas distribuídas em seus programas sociais. Agora, repassará o valor correspondente à cesta em Ubérrima, diretamente aos moradores, para que eles possam comprar no comércio local com a moeda local ou em Real.

“A Ubérrima poderá ser utilizada em diferentes estabelecimentos do município, possibilitando o fortalecimento da economia local, o aumento da arrecadação, a geração de empregos, entre outras vantagens”, explica o prefeito de Resplendor, Diogo Scarabelli.

Desenvolvimento local

A criação da moeda pública faz parte do Plano Municipal de Desenvolvimento Econômico (PMDE) de Resplendor. Com o apoio do Sebrae Minas, o município definiu ações prioritárias para movimentar a economia e impulsionar a geração de trabalho e renda, com foco no estímulo aos pequenos negócios locais.

O programa Moeda Pública Local é uma das soluções desenvolvidas pelo Sebrae Minas para apoiar o desenvolvimento econômico dos municípios mineiros, especialmente por meio da estratégia de retenção de riqueza nas economias locais. A iniciativa foi inspirada na experiência de moedas sociais utilizadas em vários municípios do mundo. A instituição apoia os municípios com orientação, mentoria, instrumentos legais e apoio nas atividades de sensibilização e mobilização das comunidades.

O presidente do Conselho Deliberativo do Sebrae Minas, Marcelo de Souza e Silva, destaca o ineditismo da iniciativa. “A Ubérrima é um marco e estamos muito orgulhosos desse trabalho. A parceria com a Prefeitura de Resplendor contribui para promover o desenvolvimento econômico do município, aumentar a oferta de dinheiro circulando e promover a capacidade de consumo, evitando a saída de recursos financeiros para outras cidades. Com certeza, todos saem ganhando”, reforça.

Concurso

A população de Resplendor foi envolvida, por meio de um concurso público, na escolha do nome da moeda. O nome escolhido significa muito abundante, fértil e foi retirado do hino do município, que diz “Resplendor, terra ubérrima e querida, onde a vida se passa docemente. Trazes no peito ainda bem gravadas as pegadas do indígena valente!”.

Foram dezenas de sugestões e uma comissão foi criada para escolher cinco nomes, que foram colocados em votação popular. O resultado foi divulgado em abril de 2023: mais de 40% dos votos optaram pelo nome Ubérrima.

No dia 15 de abril, durante a solenidade de lançamento da Ubérrima, o vencedor do concurso será contemplado com 1.000 Ubérrimas. Os outros quatro finalistas receberão 500 Ubérrimas. O pagamento dará início à circulação da moeda local no município.

As imagens das cédulas serão variadas, mas todas vão estampar o Rio Doce e a Igreja Matriz Sant’Ana, símbolos do município de Resplendor. A nota de Ub$ 1 terá também a Pedra Resplendor. A de Ub$ 2, o Parque Estadual Sete Salões. A cédula de Ub$ 5 terá a imagem da Ponte Iluminada sobre o Rio Doce. A de Ub$ 10 faz referência à tradicional festa de carro de boi. E as notas de Ub$ 20 mostram o Sagui-da-Serra.

“A realização do concurso promove a conscientização sobre a cidade e seus valores, fortalece os laços comunitários e incentiva o senso de união entre os residentes”, avalia o prefeito de Resplendor.

Moeda Pública Local x Moeda Social

O município de Resplendor é pioneiro na adoção de uma moeda pública local. No Brasil existem outras iniciativas de moedas sociais, mas são diferentes da Ubérrima. Saiba as diferenças entre elas:

·        Moedas Públicas são criadas por lei municipal e emitidas pela própria prefeitura. Já as Sociais são emitidas por organizações sociais;

·        A finalidade principal da Moeda Pública é a retenção de riqueza na economia local. As Moedas Sociais são utilizadas como apoio a projetos sociais ou ambientais;

·        Moedas Públicas têm abrangência e volume em circulação maior do que a maioria das Moedas Sociais;

·        Moedas Públicas são controladas e geridas por um conselho municipal paritário, composto por membros do governo, do setor empresarial e da sociedade. Já as Moedas Sociais são controladas pelas próprias organizações que as criam;

·        Moedas Públicas têm um lastro (fundo) que confere segurança e credibilidade – o Fundo Monetário Municipal, onde os recursos são depositados a cada nova emissão;

·        Moedas Públicas podem utilizar diferentes mecanismos de emissão, possibilitando o alcance de objetivos relacionados ao fortalecimento do comércio, benefícios aos servidores, aumento da arrecadação dentre outros.

Perfil socioeconômico de Resplendor

Localização: Vale do Rio Doce, leste de Minas Gerais

População: 17.226 habitantes

PIB per capita: R$ 15.972,45*

*IBGE 2021

Principais atividades econômicas: cafeicultura, produção de queijo, cachaça, avicultura, turismo

Pequenos negócios: 1, 4 mil empresas**

 

FONTE DIVINEWS

Pré-lançamento da 18ª Semana de Desenvolvimento Econômico de Itabirito (SDE) dá início à maratona de feiras

Em 2024, a SDE será realizada em Itabirito, Ouro Branco, Ouro Preto, Mariana, Conselheiro Lafaiete e Nova Lima.

Aconteceu na última quarta-feira (10/4), no Espaço Maranata, o pré-lançamento da 18ª Semana de Desenvolvimento Econômico (SDE), que será realizada de 27 a 30 de agosto. O evento contou com participação de empreendedores e empresários de Itabirito e região e vários deles aproveitaram para adquirir o seu estande, enquanto outros já o haviam garantido ainda durante a edição anterior. Até agora 30% do total já foram comercializados. Também estiveram presentes ao encontro representante do Governo de Minas, além de autoridades locais e regionais.

Empreendedores e empresários prestigiaram o evento e confirmaram presença na 18ª SDE de Itabirito. – Foto – Espaço Vivo Comunicação.

O pré-lançamento da edição 2024 da SDE de Itabirito marcou o início da programação anual que, este ano, configura-se como uma verdadeira “Maratona de Semanas de Desenvolvimento Econômico”, porque contará também com eventos em Ouro Branco, Ouro Preto, Mariana e, pela primeira vez, em Conselheiro Lafaiete e Nova Lima.

Realizado pela Prefeitura de Itabirito, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, a SDE terá como tema “Inovação e tecnologia” e como lema “Explore um mundo de inovação e negócios e vivencie essa energia contagiante”. São apoiadores a Associação Comercial e Empresarial de Itabirito (ACEI), Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Itabirito, Sebrae-MG, Sistema Fecomércio e o Governo do Estado de Minas Gerais. Esta, como as demais feiras de desenvolvimento da região, tem como entidade gestora a Adesiap Minas.

Pres. da Adesiap Minas, Leonardo H. M. Oliveira; secr. de Desenv. Econ. de Itabirito, Patrícia Nonato; pres. da Câmara M., Anderson Martins; pref. Orlando Caldeira; secr. adj. de Est. Kathleen Garcia; Luís Paulo Nascimento – analista técnico do Sebrae Minas; e o diretor-executivo da Adesiap Minas, Denis Donato. – Foto – Espaço Vivo Comunicação.

Bruno Araújo, proprietário da Araújo Soluções Energéticas, empresa criada em 2019, participa da SDE desde 2022. Ele contou um pouco da sua experiência. “Participar da feira é uma coisa fantástica, a gente consegue chegar diretamente aos clientes, mostrar nosso produto e fazer com que se interessem por ele. Em 2023, vendemos durante o evento o que precisamos de um mês para faturar. Conseguimos também clientes indiretos, indicados por quem a gente atendeu nos quatro dias de feira. O nosso investimento é pequeno e o retorno gigantesco. Sugiro a todo empreendedor que participe”.

“São 17 anos participando da SDE. Atualmente exponho tupperware. Deixo o meu cartão com clientes em potencial e eles me ligam o ano todo. Eu super indico a SDE, meu estande já está garantido desde o ano passado. Este ano vou levar uma nova empreendedora comigo: a minha filha, de 15 anos”, diz entusiasmada Irlene de Souza Ferreira, da Irlene Beleza Rápida.

O prefeito de Itabirito, Orlando Caldeira, destacou o sucesso da feira de negócios nestes 18 anos de existência e seu crescimento a cada edição. “A Prefeitura e a Adesiap vêm se aprimorando ano a ano para fazer sempre um evento melhor, maior e com mais qualidade, para alavancar o desenvolvimento sustentável de Itabirito, por meio da diversificação das atividades econômicas, sempre com o cuidado de preservar nossa identidade”.

Patrícia Nonato, secretária de Desenvolvimento Econômico de Itabirito, afirmou que o objetivo é superar as expectativas e fazer um evento mais grandioso do que o anterior, quando os resultados já haviam sido bastante positivos, na sua avaliação. “O crescimento em relação a 2022 foi expressivo: 184 estandes ocupados por 129 expositores, giro de mais de R$ 40 milhões em expectativa de realização de negócios e mais de 15 mil visitantes”.

A secretária de Desenvolvimento Econômico de Itabirito, Patrícia Nonato, afirma que o objetivo é superar as expectativas e fazer um evento mais grandioso do que o de 2023 – Foto – Espaço Vivo Comunicação.

Denis Donato, diretor-executivo da Adesiap Minas, também comemorou os números de 2023 em Itabirito. “Uma feira de quatro dias promover aproximadamente R$ 40 milhões em negócios ao longo de 120 dias pós-evento, sendo R$ 6,2 milhões somente durante a feira, é mesmo impressionante”.

Diretor-executivo da Adesiap Minas, Denis Donato anunciou a chegada da SDE a Nova Lima e C. Lafaiete. Foto – Espaço Vivo Comunicação.

“Inovação e tecnologia”

De acordo com Patrícia, a escolha do tema está relacionada à busca pela diversificação econômica que Itabirito realiza constantemente. “Fazemos parte do Projeto de Reconversão Produtiva em Territórios Minerados, que é uma das alternativas para a diversificação e a inovação. Nossa cidade, junto a Ouro Preto e Mariana, planeja criar um corredor tecnológico, por isso o município ingressou no Valin e agora estamos trazendo os atores deste ecossistema de inovação para dentro da SDE, com objetivo de envolver a população nesta temática tão importante”.

O Governo de Minas marcou presença no pré-lançamento da 18ª Semana de Desenvolvimento Econômico de Itabirito com Lucas Pitta, representando o presidente da Codemge (Companhia de Desenvolvimento de Minas Gerais), Thiago Toscano, e Kathleen Garcia, secretária adjunta de Desenvolvimento Econômico.

Este ano, o governo do estado investe, por meio da Adesiap Minas, R$ 1 milhão, que será destinado a 11 municípios, incluindo os seis onde serão realizadas as SDE’s. “A vinda do Estado para dentro do evento é uma estratégia para aproximar os governos municipais, entidades e a sociedade civil, a fim de potencializar o desenvolvimento, uma vez que a feira capacita e qualifica empresários e empreendedores. Além disso, ela gera negócios, promove relacionamentos e oferece entretenimento gratuitamente durante os quatro dias”, explica Denis Donato.

Kathleen Garcia se impressionou com os números das edições anteriores e com os estimados para 2024. “Ouvimos quatro depoimentos de expositores e percebemos que esta é uma iniciativa de tamanho sucesso que se tornou quase automática. Um expositor testemunhou que obteve 80% de retorno após a última feira. Uma mãe relatou que trará a filha de 15 anos este ano para que se torne empreendedora. São 15 mil visitantes, R$ 40 milhões em negócios durante e após o evento, é tudo muito impressionante!”.

A secretária adjunta ainda afirmou que o governo do estado quer difundir por Minas Gerais o espírito de realização. “A SDE cumpre este propósito de disseminar dignidade e prosperidade. A Adesiap Minas, que vemos surgir com muita satisfação, poderá replicar a Semana de Desenvolvimento Econômico em outras cidades e gerar mais riqueza”.

O gestor do escritório Sebrae na Microrregião Alto Paraopeba e Inconfidentes, Luís Paulo Nascimento, afirmou que “os parceiros da SDE oferecem cada vez mais suporte para o empreendedor e o visitante. O Sebrae tem aumentado gradativamente sua participação no evento e este ano teremos mais novidades na programação. Além disso, firmamos convênio esta semana com a Prefeitura de Itabirito, por meio do qual ofertaremos capacitação e qualificação para os expositores”.

A maratona da SDE é realidade! O Desenvolvimento tá on! E você, já garantiu sua participação?

Interessados em adquirir estandes devem ligar para (31) 9.8978-4937 e falar com Eron Murta ou para (31) 9.9065-5694 e falar com Samara Martins / Bianca Marina.

 

 

Prefeitura de Congonhas realiza primeiro evento do Plano de Desenvolvimento Sustentável

Com o objetivo de repensar as ferramentas e estratégias de gestão e garantir um desenvolvimento justo e sustentável para Congonhas, o programa INTEGRA, da Prefeitura de Congonhas, realizou na noite desta segunda-feira (25), em parceria com a Fundação Dom Cabral, o primeiro evento do Plano de Desenvolvimento Sustentável.

A palestra Cidades Humanas, Inteligentes e Sustentáveis com o palestrante Dr. Eduardo Moreira da Costa, Diretor Geral do Laboratório Internacional LabCHIS, professor do Departamento de Engenharia e Gestão do Conhecimento da UFSC, Autor do livro Global E-commerce Strategies for Small Businesses e Consultor do BID (na área de e-commerce), e Coordenador de Avaliação do Programa InfoDev do Banco Mundial reuniu congonhenses de vários setores da Cidade.

A participação popular é importante em eventos do INTEGRA, pois, o programa visa a revisão do Plano Diretor, a elaboração do Plano de Mobilidade e do Plano de Desenvolvimento Sustentável para efetividade da discussão sobre “A cidade que queremos”.

Confira nas redes sociais e site da Prefeitura de Congonhas as ações e realizações que serão abordadas, ao longo do ano, para participação popular na elaboração final do programa.

Por Lílian Gonçalves / Fotos: Daniel Silva

Prefeitura realiza pesquisa para criação dos planos Diretor, de Desenvolvimento Sustentável e de Mobilidade Urbana

Os moradores de Congonhas podem participar da consulta pública do Plano Integra que prevê a elaboração dos planos Diretor e de Desenvolvimento Sustentável e Mobilidade Urbana do município, que é um conjunto de diretrizes que deverão ser seguidas pela Prefeitura nos próximos 10 anos.

O formulário pode ser acessado na plataforma do Programa Integra disponível no site da Prefeitura ou pelo link abaixo. A consulta pública tem por objetivo acolher a opinião e sugestões  da população sobre diversos temas tais como atendimentos de serviços públicos, como saúde, educação e assistência social, além de informações de acesso à infraestrutura urbana, saneamento básico e transporte coletivo.

O Programa de Planejamento Integrado de Congonhas (Integra) foi lançado em fevereiro com objetivo de garantir um crescimento organizado e sustentável, menos dependente da mineração e com respeito aos moradores e ao patrimônio histórico e cultural da cidade. O projeto está sendo desenvolvido em parceria com a ONU-Habitat que é uma agência especializada em urbanização sustentável e que será responsável pela revisão do Plano Diretor e pela elaboração do Plano de Mobilidade. E também com o apoio da Fundação Dom Cabral (FDC) que fornecerá apoio técnico na elaboração do Plano de Desenvolvimento Sustentável na busca pela diversificação econômica,  inclusão social, potencialização do turismo, cultura e do patrimônio histórico e a proteção ambiental e equilibrada de modo a atrair novos e diferentes investimentos.

Link da pesquisa:

FORMULÁRIO PARA O CIDADÃO

FORMULÁRIO PARA O EMPREENDEDOR 

Reportagem/Foto: Reinaldo Silva

CDL Jovem Lafaiete retorna às atividades e promove palestras para desenvolvimento do comércio

Temas como Marketing Digital e Código de Defesa do Consumidor foram abordados nos encontros.

A CDL Jovem Lafaiete, órgão ligado à Câmara de Dirigentes Lojistas de Conselheiro Lafaiete – CDLCL, retornou às atividades promovendo duas palestras com temas relevantes e que contribuem para o desenvolvimento de empresários e do comércio.

“A CDL Jovem tem o objetivo de trazer temas, cursos e palestras que possam ajudar no dia a dia do comerciante. Buscamos trazer assuntos que ajudem e solucionem os problemas com o objetivo de prevenir futuros entraves e que possam contribuir com o desenvolvimento de cada empresa”, ressaltou Luís Fernando Nunes, Coordenador da CDL Jovem Lafaiete.

Ainda de acordo com Luís Nunes, com o retorno das atividades, a CDL Jovem pretende encontrar jovens líderes que estejam dispostos a aprender e ensinar e que tenham a missão de contribuir com o crescimento e desenvolvimento do comércio de Lafaiete e região, por meio de eventos, cursos e networking.

Ciclo de palestras

No dia 12 de março, ocorreu um treinamento presencial: “Como colocar sua empresa no digital investindo pouco”, ministrado por Samuel Lima, gestor de tráfego da Virtus, agência de marketing digital e parceira da CDLCL.

Na ocasião, Samuel abordou a compreensão sobre as plataformas digitais, como Instagram e Google, sua importância, retenção de público no Instagram, e diversas estratégias orgânicas e pagas para potencializar seus resultados e vender mais no meio digital. Também foram apresentados cases de sucesso.

Esta palestra contou com a presença do diretor de Tecnologia da CDLCL, Alessandro de Oliveira Vasconcelos; a coordenadora da CDL Mulher, Neila Tavares; a integrante da CDL Mulher, Juliana Vasconcelos; o coordenador da CDL Jovem, Luiz Fernando Nunes, o gerente-executivo da CDLCL, Luiz Candido, além de colaboradores da entidade.

A segunda palestra aconteceu no dia 13 de março, com o tema: “Como o Código de Defesa do Consumidor pode impactar na sua empresa? Com as advogadas Letícia Ribeiro e Patrícia Castro que abordaram pontos importantes do Código de Defesa do Consumidor.  O objetivo foi ajudar as empresas a reduzirem riscos e fortalecerem a imagem perante a sociedade. Foi um momento de troca e aprendizado, no qual as advogadas apresentaram casos práticos e responderam as dúvidas dos participantes.

Abriram o encontro, Neila Tavares – Coordenadora da CDL Mulher e Luis Fernando Nunes – Coordenador da CDL Jovem. Participaram também colaboradores da CDLCL.

Sobre a CDL Jovem

A Câmara de Dirigentes Lojistas Jovem (CDL Jovem) é um órgão complementar, criado em 1988, com o propósito de oferecer às CDLs um espaço para o desenvolvimento de jovens empresários lojistas com espírito de liderança empreendedorismo, para a vida profissional e para seguirem carreira nas entidades.

Para fomentar esse propósito, a CDL Jovem promove fórum de discussões, integrando ideias, conceitos e experiências a partir de reuniões regulares, palestras, seminários e eventos.

São órgãos instituídos e mantidos pelas Câmara dos Dirigentes Lojistas e tem como objetivo complementar as ações das Câmaras, desenvolvendo e capacitando futuros líderes e promovendo ações de responsabilidade social, sustentabilidade e mobilização.

Brasil se une a dois países para desenvolver ferrovia que interliga os oceanos

O Brasil, o Peru e a China firmaram uma parceria estratégica para o desenvolvimento da Ferrovia Transoceânica, um projeto que promete revolucionar as relações comerciais e logísticas entre a América do Sul e a Ásia. A iniciativa, que reflete a crescente influência econômica da China na região sul-americana, visa conectar o Atlântico ao Pacífico, facilitando […]

O Brasil, o Peru e a China firmaram uma parceria estratégica para o desenvolvimento da Ferrovia Transoceânica, um projeto que promete revolucionar as relações comerciais e logísticas entre a América do Sul e a Ásia.

A iniciativa, que reflete a crescente influência econômica da China na região sul-americana, visa conectar o Atlântico ao Pacífico, facilitando assim o comércio e o intercâmbio cultural entre os continentes.

A China, através da sua iniciativa Cinturão e Rota, já demonstrou sua capacidade de unir regiões distantes economicamente.

Com a Ferrovia Transoceânica, o gigante asiático pretende estreitar ainda mais os laços com a América do Sul, apostando em parcerias comerciais e em investimentos em infraestrutura que poderão alterar significativamente a dinâmica econômica do continente.

Este ambicioso projeto de infraestrutura enfrenta, no entanto, desafios logísticos e financeiros notáveis, dada a complexa geografia sul-americana que inclui a Floresta Amazônica e a Cordilheira dos Andes.

Apesar disso, a expertise da China em grandes empreendimentos de infraestrutura sugere uma viabilidade técnica para superar esses obstáculos.

A relação econômica entre a China e a América do Sul tem visto um crescimento substancial, com o comércio bilateral ultrapassando a marca de $490 bilhões.

O projeto da Ferrovia Transoceânica é visto como um passo adiante nessa parceria crescente, oferecendo uma alternativa logística que pode reduzir custos e tempos de transporte, beneficiando não só os países envolvidos diretamente mas também toda a região sul-americana ao melhorar o acesso aos mercados asiáticos.

Além disso, a presença chinesa no Brasil, especialmente desde 2007, destaca-se pelo investimento em setores críticos como energiamineração e infraestrutura, com empresas como a State Grid e a China Three Gorges desempenhando papéis importantes na economia brasileira.

A criação do Fundo China-Brasil em 2017, com recursos de US$ 20 bilhões voltados principalmente para infraestrutura, reforça o compromisso chinês com o desenvolvimento econômico do Brasil.

O projeto Ferrovia Transoceânica simboliza um mundo cada vez mais globalizado, onde a cooperação e a visão conjunta entre nações têm o potencial de superar desafios físicos e geopolíticos, promovendo o desenvolvimento sustentável e o crescimento econômico mútuo.

Com informações do CPG

Prefeitura lança Programa de Planejamento Integrado para o desenvolvimento de Congonhas em parceria com a ONU e a FDC

O Governo Municipal lançou nesta quarta-feira, dia 21, o Programa de Planejamento Integrado do Município (Integra). A cerimônia de lançamento aconteceu no Museu de Congonhas e contou com a presença de representantes do legislativo, empresas e da sociedade civil.

A iniciativa, inédita em Minas Gerais, engloba a revisão e a elaboração dos planos Diretor, de Mobilidade e de Desenvolvimento Sustentável com objetivo de garantir um crescimento organizado e sustentável, menos dependente da mineração e com respeito aos moradores e ao patrimônio histórico e cultural da cidade.

O Programa Integra foi desenvolvido em parceria com a ONU-Habitat que é uma agência especializada em urbanização sustentável e que será responsável pela revisão do Plano Diretor e pela elaboração do Plano de Mobilidade. E também com o apoio da Fundação Dom Cabral (FDC) que fornecerá apoio técnico na elaboração do Plano de Desenvolvimento Sustentável na busca pela diversificação econômica, a inclusão social, a potencialização do turismo, da cultura e do patrimônio histórico e a proteção ambiental de forma integrada e equilibrada de modo a atrair novos e diferentes investimentos.

De acordo com o prefeito Cláudio Antônio de Souza (Dinho) a construção dos planos será feita com participação popular por meio de audiências, entrevistas, reuniões comunitárias e manutenção de um núcleo gestor dos planos com membros da sociedade civil organizada. “Este plano é audacioso porque busca integrar a sustentabilidade econômica e a mobilidade urbana com aquela visão de cidade na qual nós queremos viver no futuro. E é muito importante a participação da população e que cada um traga a sua ideia, porque o melhor plano é aquele no qual a população se engaja e participa”, comentou.

Segundo o Diretor de Programas para Gestão Pública da FDC, Paulo Roberto Gitirana, é fundamental o envolvimento de toda sociedade na construção deste projeto. “Não se constrói uma visão de futuro da cidade em 2035 sem a participação ativa das pessoas e a integração da iniciativa privada e do terceiro setor com o Governo. Então, mais do que esperar pelos resultados deste trabalho, o morador de Congonhas poderá contribuir para construir o futuro que ele deseja e, assim, usufruir dos benefícios de uma nova cidade”, ressalta.

“Graças as consultas, as oficinas e espaços de participação, a população pode esperar que seja promovido um diálogo e um entendimento coletivo do que os habitantes de Congonhas querem e que, a partir destes dados, haja um Plano Diretor e de Mobilidade mais ajustados às necessidades da população e realidade da cidade”, frisou o Coordenador de Programas da ONU-Habitat, Jordi Sánchez Cuenca.

O Planejamento Integrado surgiu da necessidade de revisão do Plano Diretor, de acordo com o Estatuto das Cidades e os outros planos (de Mobilidade e Desenvolvimento Sustentável) são uma iniciativa do poder público municipal para modernizar os instrumentos de gestão para tomada de decisões baseado em evidências e dados, alcançando assim melhores resultados para a cidade, moradores e visitantes.

O foco dos planos é melhorar a qualidade de vida da população congonhense, adotando leis municipais inclusivas, que orientem o crescimento e desenvolvimento urbano de todo o município e que fortaleçam a cultura de tomada de decisões transparentes, baseadas em dados e informações, por meio de diagnósticos, análises e treinamentos. O programa pretende, também, promover o crescimento econômico, a inclusão social e a proteção ambiental de forma equilibrada, contribuindo para que a cidade possa atrair mais investimentos, deixando o município menos dependente da atividade minerária.

Coletas de dados

Muitas das informações que serão utilizadas para a montagem dos três planos virão do Sistema de Informações Geográficas (SIG), já implementado pela Prefeitura Municipal. O sistema utiliza o mapeamento da cidade e as informações dos órgãos públicos para orientar as ações da administração municipal em diversas áreas como o monitoramento de doenças, monitoramento da qualidade do ar, disponibilização de vagas nas escolas, intervenções no trânsito, planejamento e execução de obras, entre outras.

“Ele dará suporte na consolidação dos dados coletados dos três planos, permitirá análises especializadas e regionalizadas do território, além de ser uma potente ferramenta para tomada de decisões e para a participação e transparência de informações com a população”, conta o arquiteto e urbanista Douglas Montes, coordenador da ferramenta.

Com o Programa Integra, a Prefeitura prevê aumentar a eficiência na aplicação dos recursos públicos, dar mais acesso e permitir melhor uso dos serviços públicos à sociedade e melhorar a distribuição de renda e ampliação da autonomia do cidadão.

Por Reinaldo Silva / Fotos: Daniel Silva

6 ótimos livros para inspirar e ajudar no seu desenvolvimento pessoal

Livros para iluminar seu caminho de autodescoberta e levá-lo a um novo nível de consciência e desenvolvimento

Em meio às complexidades do dia a dia, muitas vezes buscamos orientação, inspiração e um entendimento mais profundo de nós mesmos. Nessa jornada de autodescoberta e crescimento pessoal, os livros desempenham um papel fundamental, oferecendo perspectivas transformadoras e sabedoria atemporal.

Por isso, selecionamos cinco livros que se destacam como guias para clareza, coragem e felicidade. Desde explorar os desafios da imperfeição até embarcar em jornadas emocionais de autoconhecimento, cada livro nesta seleção mergulha fundo na condição humana e nas possibilidades de transformação pessoal.

Livros inspiradores para o seu crescimento pessoal

O Poder do Agora – Eckhart Tolle

Frequentemente, nos perdemos no futuro ou no passado, negligenciando o presente. A mente vagueia em pensamentos que nos distraem do momento atual. Isso nos esgota e desvia nossa atenção dos momentos que vivemos.

Eckhart Tolle, em “O Poder do Agora“, destaca a importância de permanecer no presente e acalmar a mente. Experimentar as experiências com os cinco sentidos reduz o domínio da mente. Observar as emoções como um espectador pode ajudar a liberar pensamentos intrusivos.

“A Coragem de Ser Imperfeito” – Brené Brown

Brené Brown destaca como a cultura moderna frequentemente nos pressiona a buscar a perfeição, o que pode levar a sentimentos de inadequação e desconexão.

No entanto, ela argumenta que é através da vulnerabilidade e da aceitação de nossas falhas que podemos encontrar verdadeira coragem e conexão humana.

O livro oferece insights sobre como cultivar a autenticidade e a compaixão consigo mesmo e com os outros, encorajando os leitores a abraçarem sua humanidade.

“Comer, Rezar, Amar” – Elizabeth Gilbert

Elizabeth Gilbert compartilha sua jornada pessoal de autodescoberta após uma crise emocional, explorando diferentes culturas e tradições espirituais em busca da felicidade e do equilíbrio.

Desde saborear pratos deliciosos na Itália até meditar em um ashram na Índia e encontrar o amor em Bali, Gilbert narra suas experiências de forma envolvente, oferecendo reflexões sobre o amor próprio, a aceitação e a busca por um propósito significativo na vida.

“A Arte da Felicidade” – Dalai Lama e Howard Cutler

Neste livro, o Dalai Lama compartilha sua filosofia de felicidade e bem-estar, enfatizando a importância da compaixão, da bondade e do cultivo de uma mente tranquila e equilibrada.

Howard Cutler, em suas conversas com o Dalai Lama, explora como aplicar esses ensinamentos no contexto da vida cotidiana, oferecendo práticas e reflexões para alcançar maior paz interior e satisfação.

“O Alquimista” – Paulo Coelho

Através da jornada de Santiago, um jovem pastor em busca de seu destino, Paulo Coelho aborda temas como a busca pessoal, a importância de seguir os próprios sonhos e a conexão entre o indivíduo e o universo.

O livro inspira os leitores a refletirem sobre seu propósito na vida e a estarem abertos às oportunidades e aos sinais que o universo oferece em direção à realização de seus objetivos.

“O Ponto da Virada” – Malcolm Gladwell

Malcolm Gladwell examina como pequenas mudanças podem desencadear grandes transformações em diferentes áreas da vida, desde a maneira como pensamos até como nos comportamos em sociedade.

Através de exemplos e estudos de caso, ele destaca padrões e estratégias que podem ajudar indivíduos e organizações a criar um impacto positivo e alcançar o sucesso.

FONTE MUNDO EM REVISTA

Reparação Brumadinho: fortalecimento da agricultura contribui com desenvolvimento econômico e qualidade de vida na região atingida

Ações incluem entrega de maquinário, distribuição de kits-feira, manutenção de estradas rurais, regularização de propriedade, apoio aos agricultores, entre outras

O impacto do rompimento das barragens da Vale S.A, em 2019, em Brumadinho na agricultura e demais atividades rurais está entre os focos prioritários do Acordo Judicial para a reparação dos danos causados à população e à região atingida. Ações socioeconômicas para os 26 municípios atingidos foram direcionadas especificamente para reparar os prejuízos nessas áreas, por meio de diversas medidas. O rompimento tirou a vida de 272 pessoas e gerou uma série de danos sociais, econômicos e ambientais.

Para a agricultura e as atividades rurais, em 2023, as ações incluíram entrega de equipamentos, trabalhos para regularização de propriedade, realização de cursos de capacitação e atendimentos individuais a agricultores de Brumadinho. Outras iniciativas estão em andamento, voltadas, também, para o incremento da atividade econômica, melhoria da qualidade de vida e apoio aos pequenos agricultores, além de mais segurança jurídica, acesso às políticas públicas e preservação ambiental.

Entre os destaques, nessas áreas, estão os projetos de Distribuição de kits-feira e capacitações, que atendeu 23 municípios; Manutenção de Estradas Rurais e Trabalhos de Recuperação Ambiental, em 25 municípios; Equipamentos para Melhoria das Atividades da Secretaria de Agricultura, Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável de Esmeraldas; Regularização Fundiária Rural em 14 municípios; e o Programa Fomento Agro em Brumadinho.

Os investimentos para estas iniciativas são de aproximadamente R$ 113 milhões, recursos provenientes dos Anexos I.3 – Projetos para a Bacia do Paraopeba – e I.4 – Projetos para Brumadinho – do Acordo de Reparação ao rompimento.

Distribuição de kits-feira e capacitações

Ao longo de 2023 foram concluídas as entregas de 86 kits-feira com a distribuição de mais de oito mil itens, contemplando barracas, caixas-plásticas, carrinhos, balanças e jalecos. Quinhentos e quarenta e sete feirantes, dos 23 municípios que optaram pela adesão do projeto, foram formados nos cursos de capacitação.

Moradora de Mateus Leme, Débora Duarte foi uma das participantes da iniciativa. Ela é uma das integrantes da feira da agricultura e artesanato familiar da cidade.

“O projeto contribuiu em todos os sentidos, me ensinou através do curso, me cedeu o espaço e os equipamentos necessários para expor minha mercadoria. O curso mostrou procedimentos que precisamos colocar em prática em nosso dia a dia, como manipulação de alimentos e mercadorias, higienização, limpeza e organização do espaço em que iremos trabalhar. Também ensinou questões de visão administrativa, como custo e lucro nas vendas”, explica Débora.

O investimento total do projeto foi de R$ 3.925.752,80.

Máquinas para recuperação de estradas rurais

O projeto para recuperação de estradas rurais e recuperação ambiental foi realizado nos 25 municípios atingidos, contemplados pelo Anexo I.3 do Acordo de Reparação. Por meio do projeto, foram entregues 75 máquinas, sendo três por cidade, e realizados cursos de capacitação ao longo do último ano, possibilitando que os municípios possam atuar diretamente nas melhorias das estradas rurais, fundamentais para a mobilidade da população e escoamento das produções agrícolas.

O investimento total foi de R$ 52.350.125,98, sendo R$ 49.469.924,62 para a aquisição das máquinas e R$ 2.880.201,36 para as capacitações.

Participaram dos cursos 332 operadores municipais. Entre eles Cipriano Gontijo, de Igarapé, que assinala como o projeto já está contribuindo para melhorias das vias rurais no município e favorecendo a produção agrícola.

“Utilizamos os conhecimentos adquiridos no curso para a melhoria da estrada do Curralinho e também na Fazenda do Tatu. Os moradores do bairro Curralinho, da Fazenda do Tatu e do bairro Ouro Branco ficaram satisfeitos com as melhorias e elogiaram muito o trabalho”, relatou.

O foco ambiental é fator de destaque no projeto, conforme explica o superintendente de Logística e Infraestrutura Rural da Secretaria de Estado de Agricultura (Seapa), Ronaldo Lima Rodrigues. “Há um diferencial, na parte técnica, que contempla a capacitação dos operadores dessas máquinas no município, para a melhor execução possível, na prática, da recuperação de estradas. As estradas bem construídas, planejadas e estruturadas evitam o carreamento de solos, assoreamento de rios e nascentes”, explicou Rodrigues.

Secretaria fortalecida em Esmeraldas

A Secretaria de Agricultura, Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável de Esmeraldas recebeu 12 novas máquinas para fortalecer os serviços prestados pelo órgão, entre trituradores de galhos e troncos e de material de construção, caminhonetes cabine dupla, minicarregadeiras e caminhões basculante. Esmeraldas conta com uma extensa área rural e os novos equipamentos estão desempenhando um papel fundamental na aprimoração da mobilidade, gestão ambiental e no desenvolvimento local.

Com a iniciativa, a Prefeitura pretende agilizar atendimentos, visitas técnicas e fiscalizações ambientais e agrícolas em todo o município e proporcionar suporte à população durante períodos chuvosos. Além disso, os novos veículos e equipamentos complementam as ações já em curso, que estão sendo realizadas com o maquinário entregue no âmbito do projeto “Manutenção de Estradas Rurais”.

O projeto de Esmeraldas, “Compra de equipamentos para melhoria das atividades da Secretaria de Agricultura, Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável”, foi definido na Consulta Popular, realizada em 2021. A iniciativa contou com o investimento de R$ 7.398.102,50.

Regularização de propriedade rural

Além de garantir a segurança jurídica dos imóveis onde as famílias vivem sem o registro de posse da terra, o projeto de Regularização Fundiária permite o acesso dos agricultores familiares à diversas políticas públicas, impactando na solução de conflitos sociais, com mais cidadania, garantia do direito à terra e a melhoria da qualidade de vida.

Em 2023, foram realizadas as primeiras audiências públicas para a mobilização e orientação de posseiros de imóveis rurais passíveis de regularização fundiária nos municípios de Caetanópolis, Paineiras, São Gonçalo do Abaeté e Fortuna de Minas. As próximas audiências serão realizadas a partir do início de 2024, conforme cronograma aprovado pela FGV.

Posteriormente, será realizado o cadastramento dos posseiros, seguido da execução do georreferenciamento e análises técnicas dos processos de regularização fundiária. Caso o posseiro se enquadre no programa, o título de propriedade rural será emitido e assinado pelo governador de Minas Gerais.

Ao longo de 2023, também foram entregues para a Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Minas Gerais (Seapa), responsável pela proposição e pela orientação técnica e metodológica do projeto, 50 equipamentos para o apoio e fortalecimento das atividades de regularização de propriedade, entre eles drones, GPSs, computadores e veículos.

O valor estimado da iniciativa é R$ 7.726.443,68. A expectativa é que, ao fim do projeto, moradores dos municípios participantes tenham suas terras regularizadas. A iniciativa conta com 14 municípios que optaram pela adesão, sendo eles: Abaeté, Caetanópolis, Curvelo, Felixlândia, Fortuna de Minas, Maravilhas, Paineiras, Papagaios, Pequi, Pompeu, São Gonçalo do Abaeté, São Joaquim de Bicas, São José da Varginha e Três Marias.

Fomento Agro em Brumadinho

O projeto Fomento Agro conta com a participação de 192 produtores rurais de Brumadinho desde a ordem de início em 2022. As ações desenvolvidas contribuem para o fortalecimento da política agropecuária e dos serviços públicos rurais. Entre elas, destacam-se a elaboração e validação de projetos produtivos individuais e o fornecimento de materiais publicitários para todos os produtores; 12 capacitações realizadas; a participação em sete feiras e eventos, a implantação de rastreabilidade em 94 propriedades, 230 análises de solo e 560 análises de tecido vegetal realizadas.

A rastreabilidade da produção vegetal contribui para garantir a qualidade dos alimentos em conformidade com a Política Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (SAN) e a análise de solo possibilita a otimização das práticas agrícolas, promovendo sustentabilidade e eficiência na produção. Além disso, a elaboração de materiais publicitários, como marcas e embalagens, atende às necessidades socioeconômicas locais, facilitando o acesso a novos mercados pelos agricultores.

A participação em feiras consolidadas e o assessoramento técnico fortalecem a estratégia de comercialização, dentro do objetivo de fomentar a agricultura local.

Em 2023, como resultado dos primeiros projetos produtivos individuais, foram instaladas 41 usinas fotovoltaicas nas propriedades rurais, promovendo a sustentabilidade ambiental, consolidando a política agropecuária local, com economia de tarifas e incremento ao crescimento econômico e à qualidade de vida na comunidade rural.

Um dos produtores que participa do projeto desde o início é Pascoal Moreira Filho. Para ele, a participação no Fomento Agro tem contribuído com a atividade rural que desempenha. “Sou produtor de leite, goiaba e doces. Minha propriedade fica em Aranha, distrito de Brumadinho. Recebi a fotovoltaica e com ela, já tive economia na conta de energia. No Fomento Agro, tivemos também treinamento de boas práticas com alimentos e diversos tipos de cursos”, destacou. 

Outro avanço, em novembro de 2023, foi a autorização, pelo Governo de Minas, Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), Ministério Público Federal (MPF) e Defensoria Pública de Minas Gerais (DPMG), do início de mais uma fase do programa, de continuidade das entregas aos agricultores, relacionadas aos projetos produtivos individuais elaborados na fase anterior.

As iniciativas são baseadas em levantamentos de necessidades e foco no fortalecimento do serviço público, promoção de práticas sustentáveis e aumento do bem-estar da população. Por exemplo: as certificações e os projetos destinados a estufas e hidroponia elevam a qualidade dos produtos e reforçam a conformidade com regulamentações sanitárias, contribuindo com a segurança alimentar. As melhorias em propriedades, certificações e projetos sustentáveis impulsionam o desenvolvimento rural, enquanto os kits de manejo e irrigação otimizam a produção e poços artesianos asseguram o abastecimento hídrico.

O programa tem um investimento total previsto de R$ 42.880.446,09, divididos entre R$ 17.992.507,14 na primeira fase e R$ 24.887.938,95 na fase 2.

Outros projetos em agricultura

No âmbito da reparação socioeconômica outros quatro projetos na área da agricultura, voltados para quatro municípios, já foram iniciados, com entregas previstas para 2024:

  • Abaeté – Compra de Equipamentos para Recuperação de Estradas;
  • Curvelo – Núcleo de Apoio ao Pequeno Agricultor e Manutenção das Estradas Rurais – Compra de maquinário para obra;
  • Mário Campos – Diversidade da atividade econômica por meio do fortalecimento da agricultura;
  • Morada Nova de Minas – Compra de Equipamentos para recuperação de Estradas Vicinais para o município de Morada Nova de Minas.

Acompanhe o andamento da execução e veja mais informações no site da auditoria da FGV.

FONTE AGÊNCIA MINAS

Programa de desenvolvimento da atividade leiteira gera resultados na Zona da Mata mineira

Quarenta e três propriedades rurais localizadas em 22 municípios da região já receberam assistência técnica gratuita

Há 18 anos, o Sebrae Minas apoia uma iniciativa que tem contribuído significativamente para a sustentabilidade e competitividade de pequenas propriedades leiteiras da Zona da Mata mineira. Criado pela Universidade Federal de Viçosa (UFV) há 35 anos, o Programa de Desenvolvimento da Pecuária Leiteira (PDPL) é uma referência de trabalho sério, comprometido e bem-sucedido em seu propósito de capacitar estudantes e prestar assistência técnica e gerencial aos produtores de leite da região.

O cronograma inicial do programa previa desenvolver ações ao longo de apenas dois anos. Porém, como os resultados foram positivos tanto para o aprimoramento da formação dos estudantes quanto para o desenvolvimento da bovinocultura leiteira da microrregião de Viçosa, os organizadores decidiram dar sequência aos trabalhos.

Nessa longa caminhada, novos parceiros se uniram ao programa. O Sebrae Minas, por exemplo, entrou como apoiador em 2005, levando know-how de gestão para que os produtores assumissem também o papel de empreendedores rurais comprometidos com o aumento da produtividade e rentabilidade a partir de uma governança sustentável, da responsabilidade social e do correto manejo ambiental para diminuição da emissão de carbono – atributos que integram a agenda ESG.

Os números do PDPL são superlativos. Segundo dados consolidados, 171 estudantes das áreas de Medicina Veterinária, Zootecnia e Agronomia participaram do programa em 2022. Neste ano, 135 estudantes estão matriculados. No total, estima-se que cerca de 2,8 mil alunos já tenham passado pelo programa de estágio supervisionado desde a sua criação, com aproximadamente 300 produtores rurais contemplados.

Apenas no ano passado, 43 propriedades rurais localizadas em 22 municípios receberam assistência técnica gratuita. Entre palestras, cursos e oficinas, foram oferecidos cerca de cem treinamentos para os estudantes, que, em busca de uma melhor qualificação, realizaram em torno de 1.360 visitas técnicas às fazendas, totalizando 7,5 mil horas de atendimento periódico.

Buscando obter uma visão holística do negócio rural, o PDPL atua em diversas áreas da propriedade, dentre elas: controle zootécnico; alimentação monitorada; manejo geral do rebanho; controle de qualidade de leite; reuso de dejetos; boas práticas ambientais; e gestão econômico-financeira que avalia diversas ferramentas gerenciais, incluindo fluxo de caixa, custo de produção e mais de cem indicadores técnicos e econômicos.

Outro dado significativo: levantamento dos resultados do programa em 2021 mostra que a média de produtividade unitária nacional é de 6,1 litros/vaca/dia, enquanto a média do PDPL alcança em torno de 20 litros/vaca/dia.

Valor compartilhado

O produtor Antônio Maria Silva Araújo é um exemplo dessa transformação. Proprietário de uma fazenda de 300 hectares no município de Cajuri, a 14 km de Viçosa, ele saiu de uma produção diária de 200 litros de leite para os atuais 9 mil litros/dia. Nesse período, viu crescer o rebanho lactante de 50 cabeças para as atuais 350, sempre de maneira controlada, rentável e organizada. Antônio Maria conhece bem o trabalho desenvolvido pelo programa, já que participa desde o primeiro ano.

Para ele, os ganhos com as visitas semanais ou quinzenais dos estudantes e técnicos são incalculáveis. “O programa mudou a minha vida. As consultorias me trouxeram muito conhecimento, que aplico em todo o processo produtivo do leite, desde a alimentação do gado até a forma de confinamento, incluindo práticas mais tecnológicas de ordenha, e no trato da saúde dos animais. Eu não tinha noção de planejamento e, hoje, tenho controle dos custos, dos insumos, da venda. Enfim, está tudo organizado e planejado. Eu só cheguei aonde cheguei graças ao PDPL”, ressalta.

about

Be informed with the hottest news from all over the world! We monitor what is happenning every day and every minute. Read and enjoy our articles and news and explore this world with Powedris!

Instagram
© 2019 – Powedris. Made by Crocoblock.