Vereador insinua que reunião do conselho foi uma armação para jogar povo contra a Câmara

18
Vereador Fernando Bandeira comparou a qualidade dos ônibus a carroças/Reprodução
Vereador João Paulo/CORREIO DE MINAS

Em um tom de desabafo e acalorado discurso o vereador João Paulo (DEM) reagiu a postura, ao que classificou popularmente, “como caisinha de cachorro” ou caisinha de caboclo”, à convocação do Presidente do Conselho de Transporte e Trânsito (CMTT), Valdney Alves, a participação em uma reunião, ocorrida ontem, dia 23, no Solar do Barão de Suassuí.

Sem pauta, diversos vereadores estiveram presentes, desconhecendo o teor dos assuntos a serem discutidos. O conselho e os vereadores estão em rota de colisão, desde que o aumento foi anunciado pela Presidente. “Fomos convidados sem saber do assunto. Eu não sabia que a reunião aconteceria de portas fechadas. Quando vi que não deixaram a imprensa, em especial o CORREIO DE MINAS e um líder comunitário, pedimos que abrissem as portas. A votação do aumento é de responsabilidade do conselho. Não participo de negociata e As discussão são às claras. Ao que parece queriam armar uma casinha de cachorro ou de caboclo para nós vereadores e isso não aceitamos”, disparou, o líder comunitário que não pode participar foi o presidente do Bairro Triangulo II, Eleonito Silva. Nossa reportagem também foi barrada, mas depois o conselho voltou atrás e abriu as históricas portas na sala onde acontecia reunião. “Soa muito mau uma discussão desta dimensão que vai afetar toda a comunidade realizada de porte fechada”, protestou o vereador André Menezes.

Presidente do Conselho Municipal de Trânsito Valdney Alves/Reprodução

Há algumas sessões anteriores os vereadores criticaram e batera, boca presidente do CMTT acusando de jogar a Câmara contra a população ao insinuar que o mento passaria pela aprovação dos edis.