Vereador Pedrinho faz cobrança ao executivo: “falta respeito com a Câmara”, desabafa

15
O vereador Pedro Américo/CORREIO DE MINAS
O vereador Pedro Américo/CORREIO DE MINAS

Usando a Tribuna da Câmara nesta semana, o vereador Pedro Américo (PT) direcionou suas críticas a prefeitura acerca da Comissão Especial criada para investigar a contratação de um trator para o antigo lixão de Lafaiete.

O petista, que é também presidente da Comissão, insinuou que há mais de 2 meses foram solicitadas informações para abastecer as investigações, porém até o presente momento não foram respondidas em seu inteiro teor. “Para mim está faltando muito respeito do Executivo com a Câmara. Ele não responde aos requerimentos e quando responde, informa  de um jeito que não dá pra entender nada. A gente pergunta de novo eles falam que já responderam. Nós temos 90 dias para concluir e já estamos perto de completar 60. A prefeitura está impedindo a Câmara de trabalhar, isso é muita falta de respeito conosco. O que estamos fazendo é para ajudar o Executivo. Estão jogando dinheiro fora sendo que poderiam, ao invés de contratar o trato, consertar o equipamento que a prefeitura dispõe”, desabafou Pedrinho.

O vereador também criticou a demora de atendimentos a diversos requerimentos, como também cobrou uma solução para a devolução do terreno do Doce São João. “Vão fazer 11 anos e não foi feito nada. Perguntamos agora porque eles não cumpriram e se vão pedir o terreno de volta. Mas até agora não tomaram uma atitude. Esta casa tem que ser respeitada”, assinalou.

Em outra questão, o vereador reforçou nova cobrança ao Executivo. “O meu colega Fernando Bandeira me relatou que tem 16 requerimentos sobre a questão da regularização fundiária. O pessoal fica querendo certidão de número, não consegue, quantos anos nós estamos pelejando com isso? Depende lá do executivo, eles estão amarrando as coisas. Nosso gabinete questionou o Ministério Público e ele nos disse que depende do executivo. É  bom o povo saber que não é a Câmara que está amarrando. É um absurdo, fazendo o povo de bobo”, criticou.