Violas de Queluz: vereador Darcy homenageia o maior símbolo cultura de Lafaiete

24
Violas são o maior símbolo cultural de Lafaiete/Reprodução
Vereador Darcy / CORREIO DE MINAS

O Dia das Violas de Queluz não passou sem uma referência durante a reunião da Câmara de Lafaiete ontem a noite.

O Presidente da Casa, o vereador Darcy da Barreira (SD) usou a tribuna para lembrar a data do maior símbolo cultural da cidade a ser comemorada no próximo dia 29, registra o valor do instrumento na história local. A lei foi criada em 2009 pelos vereadores José Ricardo Siio (Zezé do Salão) e Aluisio de Melo.

O vereador fez um discursou lembrando a importância das violas que nos séculos XIX e inicio do século XX eram fabricadas em oficinas das famílias Meireles e Salgado. Darcy prestou sua homenagem aos músicos Zelito Coringa e Rogério de Castro , autores da musica ” Violas de Queluz” , publicada na antologia ” Lafaiete em verso e prosa” , livro que zelito participou a convite da poeta lafaietense Janice Reis Moraes.

O violeiro Rogério de Castro é professor de viola em Conselheiro Lafaiete e Santana dos Montes e faz parte do grupo Viola Inviolada. Através desses músicos, o vereador Darcy saúda a todos os violeiros.

Vale ressaltar ainda que as violas de Queluz foi o  tema escolhido pelo secretario de cultura Geraldo Lafaiete para o  desfile 7 de setembro de 2017.

A história

A data é uma referência às raízes da riqueza cultural quando em 29 de março de 1881 o imperador Dom Pedro II visitou antiga Queluz de Minas e se encantou com som que o instrumento produzia. 137 anos depois a história está preservada e Lafaiete mantém viva uma de suas mais importantes e originais tradições que levou o nome da cidade além dos continentes.